VÁRZEA GRANDE

Turismo

Florianópolis: 344 anos de magia na ilha de Santa Catarina

Publicado em

Turismo

As belezas naturais e os traços da cultura açoriana fazem do turismo diversificado uma das principais fontes de renda da capital catarinense.

Conhecida como a “ilha da magia”, Florianópolis celebra nesta quinta-feira (23) seus 344 anos com muita festa. Apresentações de artistas locais (manezinhos) e cantores nacionais, no Trapiche da Avenida Beira-mar Norte, estão entre os atrativos culturais da festa em homenagem à capital catarinense. A programação de comemoração foi iniciada no último sábado (18) e só termina na segunda-feira (26). Além da ilha de Santa Catarina, a capital ocupa parte do continente, incorporada à cidade em 1927 com a construção da ponte pênsil Hercílio Luz, cartão-postal de Florianópolis.

O turismo em Florianópolis é rico em atrativos históricos, culturais e naturais, com mais de 40 praias. Entre as mais badaladas estão Jurerê, Canasvieiras, Ingleses, Mole e Joaquina, cenário de campeonatos nacionais e internacionais de surf. A atividade turística contribui para a economia local o ano inteiro.

A movimentação da cidade é intensa, notadamente no verão, com a chegada de estrangeiros, principalmente argentinos, além de gaúchos e turistas das demais regiões do Brasil. A ilha é recortada com várias enseadas, pontas, ilhas, baías e lagoas. Os bairros ficam entre as montanhas, lagoas, manguezais, dunas e praias e são interligados por rodovias sinuosas.

Leia Também:  Restaurant Week propõe turismo gastronômico  pelos bairros de Salvador

Os cenários entre um atrativo e outro são paradisíacos, como a famosa Lagoa da Conceição, no centro da ilha. Nos arredores da lagoa, se destacam as rendas de bilro, de tradição açoriana. No Centro Histórico, estão atrativos importantes como a Catedral de Nossa Senhora do Desterro (nome original da cidade), a Figueira Centenária da Praça XV de Novembro, o Museu Cruz e Sousa (antigo palácio do governo), o Teatro Álvaro de Carvalho, a Alfândega e o Mercado Público. Apesar das construções modernas, a paisagem urbana ainda mantém o aspecto colonial. Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha estão entre os bairros mais preservados, onde predomina a pesca artesanal.


Crédito: Embratur

A ilha é ideal para a prática de esportes dentro e fora d´água como o surf e o sandboard, surf nas dunas em pranchas de madeira. A Lagoa da Conceição proporciona muitas opções como windsurfe, kitesurf, vela, caiaque e stand-up paddle, além de passeios de barco, inclusive para almoçar em um dos restaurantes da Costa da Lagoa.

O Parque Ecológico do Córrego Grande é uma das opções para fugir do roteiro de sol e mar. Já a Avenida Beira-mar Norte é o lugar para quem quer caminhar, correr, andar de skate, patins ou pedalar. Parapente e asa-delta embelezam ainda mais o cenário esportivo da ilha.

Leia Também:  Secretários debatem processo de concessão do Parque Nacional

Outra atração muito visitada é a Ilha do Campeche, tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional. Campeche abriga praias de águas transparentes e natureza exuberante, além de inscrições rupestres em sítios arqueológicos. Depois de pegar um barco, chega-se ao local protegido por trilhas com acompanhamento de guia.

GASTRONOMIA – Em novembro de 2014, Florianópolis recebeu o título da Unesco de Cidade Criativa da Gastronomia. Essa conquista foi graças a contribuição dos povos que já passaram pela cidade (ilha e continente) e transformaram a cozinha local rica em mistura de ingredientes, temperos, sabores e tradições. Esse patrimônio se reflete nos roteiros gastronômicos de bairros como Cacupé, Santo Antônio de Lisboa, Ribeirão da Ilha, Coqueiros e Itaguaçu.

CURIOSIDADE – Com o advento da República (1889), a resistência dos locais ao novo regime provocou a reação do governo central. Com a vitória das forças do Marechal Floriano Peixoto, o nome da capital mudou de Desterro para Florianópolis, em 1894, em homenagem ao ex-presidente da República. A “Cidade de Floriano” é carinhosamente apelidada de “Floripa”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Turismo

Destinos turísticos recebem R$ 144 milhões em investimentos do Governo de MT

Recursos são aplicados na construção de cinco orlas em Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Luciara, São Félix do Araguaia e Cáceres, entre outras obras

Publicados

em

Municípios turísticos receberam mais de R$ 144 milhões em investimentos do Governo de Mato Grosso nos últimos quatro anos.  A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), por meio da Secretaria de Estado Adjunta de Turismo (Seadtur-MT), vem estruturando destinos regionais e trabalhando em prol do fomento ao turismo em todo o estado.

Os municípios de Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Luciara, São Félix do Araguaia, Cáceres, Jaciara, Chapada dos Guimarães, Barra do Bugres e Porto Estrela, estão recebendo recursos para a construção e revitalização de pontos turísticos e obras de melhorias no acesso. “O aumento de visitantes vai impactar positivamente na economia, na área social, na consciência ambiental da população, com a preservação do meio ambiente e valorização da cultura mato-grossense”, segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Alberto Miranda Lima.

Neste ano, o Governo de Mato Grosso prevê entregar as obras de construção do mirante no munícipio de Jaciara, a reforma da Praça Dom Wunibaldo e o Centro Cultural e Turístico, em Chapada dos Guimarães, além da pavimentação da rodovia estadual MT- 343, entre Porto Estrela a região de Barra do Bugres

O recurso vem sendo aplicado em obras de pavimentação de rodovias, substituições de pontes, construção de orlas turísticas e na capacitação de operadores, guias, dentre outros, que dependem do setor.

FOTO REPRODUÇÃO – DIVULGAÇÃO SECOM MT

As orlas

Entre os investimentos da atual gestão no setor está a construção de cinco orlas turísticas, em Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Luciara, São Félix do Araguaia e Cáceres. As obras buscam potencializar o turismo regional, e ainda abrem espaço para atividades de lazer. Os investimentos são de aproximadamente de R$ 40 milhões. As obras estão em fase de licitação e adaptação de projetos.

Leia Também:  Tribunal especial afasta governador de Santa Catarina

“O turismo tem o potencial de se tornar rentável, lucrativo, seguro e ecológico. Priorizar a infraestrutura no turismo é algo histórico, pois com boas estradas e pontes de acesso podemos facilitar a vida dos turistas, dos prestadores de serviços, dos comerciantes que dependem do turismo. O turismo regional gera emprego, renda e valoriza a cultura de cada cidade”, explica o secretário.

Foto Reprodução – Divulgação SECOM-MT

Chapada dos Guimarães

Assim como os municípios beneficiados com a construção das orlas turísticas, Chapada dos Guimarães, um dos grandes atrativos turísticos do estado, também tem recebido importantes investimentos. Um dos principais cartões de visitas da cidade, a praça Dom Wunibaldo e o entorno passam por obras de revitalização, avaliadas em R$ 14,5 milhões.

Com 40% de conclusão, a previsão é que a obra seja entregue no mês de julho de 2023.  Na cidade, o governo estadual também está construindo o Centro Cultural Turístico de Chapada dos Guimarães, no qual são investidos R$ 487 mil. O novo espaço turístico já está com 96% de conclusão e deve ser entregue em fevereiro deste ano.

Foto Reprodução – Divulgação SECOM-MT

Jaciara

Jaciara também está recebendo investimentos no setor turístico. O governo de Mato Grosso está concluindo a construção de uma praça e de um mirante. A obra considerada moderna terá um chão de vidro. O objetivo é oferecer mais um grande ponto atrativo aos moradores e visitantes. A obra orçada em R$ 3.693 milhões está com 50% de execução. A entrega está prevista para abril.

De acordo com o secretário-adjunto de Turismo (Seadtur-MT), Jefferson Moreno, o investimento no turismo em Mato Grosso vai trazer impactos positivos, atraindo o público e fomentando a economia das regiões. “A gestão busca investir em infraestrutura que facilite o acesso e o trabalho no setor, e impacte a vida da população e atraia olhares tanto de fora quanto de dentro de Mato Grosso”, explica o secretário.

Leia Também:  PRF em ação conjunta com PM/MT recupera carreta roubada em Nova Santa Helena

Foto Reprodução – Divulgação SECOM-MT

 

Melhor acesso

O deslocamento das pessoas também ficou mais fácil graças aos investimentos em infraestrutura. Na região da Transpantaneira, principal estrada de acesso ao Pantanal mato-grossense, nove pontes de madeira foram substituídas por pontes de concreto.

E, para facilitar o acesso dos visitantes e moradores, trechos importantes da MT-343 estão em melhoria com obras de pavimentação, no trecho que liga Cáceres à Vila Nossa Senhora Aparecida, com investimento total de R$ 23.164.818,11.

Com a rodovia em boas condições de trafegabilidade, a região que sedia anualmente o Festival Internacional de Pesca Esportiva, deve atrair mais turistas.

Atualmente, um novo trecho de 64,41 km da MT -343 vem sendo pavimentado, entre o município de Porto Estrela e a região de Barra do Bugres. A obra que está 90% concluída tem o custo de R$ 40.995 milhões.

Capacitação

Em 2022, mais de 250 profissionais do ramo, entre operadores, guias, gestores públicos e empresários participaram de cursos de capacitação voltados para prestação de serviço ao turista.

Ainda de acordo com o secretário Jefferson Moreno, grandes investimentos foram feitos na estruturação dos municípios, por meio de convênios entre a secretaria e as prefeituras: “Entregamos veículos, barcos e motores, além de já termos encaminhado um projeto para a uniformização dos profissionais, que deverá ser executado já em janeiro, através de kits com uniformes para os guias. Tudo isso servirá para auxiliar no atendimento turístico em Mato Grosso, e já existem muitas outras entregas previstas para o ano de 2023”.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA