VÁRZEA GRANDE

Tecnologia

Amazon abre 1ª loja sem caixa fora dos EUA; compras são feitas via QR code do celular

Publicado em

Tecnologia

Da Redação

O subúrbio do oeste londrino teve um vislumbre do futuro na manhã da última quinta-feira, quando a Amazon abriu sua primeira loja sem caixa na cidade.

Enquanto alguns achavam “mágico”, outros recorriam a palavrões enquanto lutavam para se ajustar a uma revolução nas compras de supermercado.

Com a inauguração, a Amazon expande sua loja de alimentos “sem contato” para fora dos Estados Unidos, com os clientes podendo entrar, escolher produtos da prateleira e sair sem fazer fila no caixa.

Os primeiros compradores da loja Amazon Fresh em Ealing – que deveriam ser os primeiros em uma onda de lojas de rua em toda a Grã-Bretanha do gigante do varejo – compartilharam sua alegria e inquietação com a novidade da experiência de pegar os produtos e simplesmente sair andando.

Depois de escanear um QR code ao entrar, as câmeras e a tecnologia de sensor de profundidade identificaram tudo o que os clientes colocaram em suas sacolas, sem a necessidade de escanear as compras.

Os clientes são cobrados automaticamente mais tarde por meio de um aplicativo da Amazon em seus telefones. Mas nem todos gostaram da vantagem.

Primeiros clientes

Um senhor idoso com uma bengala foi informado por um funcionário da Amazon na porta que ele teria que baixar um aplicativo e inserir os dados de seu cartão bancário. Saiu andando se negando participar da novidade.

Outros acharam a experiência estranha, mas emocionante. “Foi como mágica”, disse Philippa Dolphin, de 71 anos, que disse não ter nenhuma preocupação em se inscrever no sistema Amazon. “Senti que estava roubando coisas – roubando minha garrafa de vinho.”

Ela acrescentou: “Isso torna as compras tão rápidas e fáceis. É assustador, como é fácil. Porque faz você se perguntar como outras empresas vão acompanhar isso.”

Chris Griffin, que trabalha para o Museu de Marcas de Londres, fez uma viagem especial às compras em Ealing para experimentar a experiência “sem contato”.

“Este é o próximo estágio no futuro do varejo, então eu queria ver por mim mesmo”, disse o empresário de 63 anos. “Suponho que isso poderia tornar as compras mais impessoais. Mas a tecnologia era tão suave, tão fácil de usar. Acho que os supermercados terão que acompanhar isso.”

Do online para o offline

O supermercado do oeste de Londres é semelhante às 20 lojas Amazon Go que a empresa administra nos Estados Unidos, mas operará sob a marca Fresh que usa em suas operações de supermercado online no Reino Unido.

É surpreendente ver que cerca de um terço dos produtos nas prateleiras são embalados sob a marca própria do gigante das vendas online – chips Amazon, pizzas Amazon, curries Amazon e bolos Amazon – que foram adquiridos de fornecedores britânicos.

A empresa disse que sua tecnologia “just walk out” (simplesmente saia andando) usa “visão computacional, algoritmos de aprendizagem profunda e fusão de sensores” – mas insiste que as ferramentas de reconhecimento facial não fazem parte da maneira como o sistema rastreia os clientes pela loja.

Os defensores das liberdades civis têm preocupações, no entanto. “[Ele] oferece uma experiência de compra distópica e de vigilância total”, disse Silkie Carlo, do Big Brother Watch, à BBC.

“O rastreamento intenso de compradores pela Amazon criará pegadas de dados pessoais maiores do que qualquer outro varejista. Os clientes merecem saber como e por quem esses registros e análises podem ser usados.”

O especialista em varejo Harry Wallop, autor de Consumed, não acredita que muitas pessoas vão se assustar com as câmeras da Amazon e acha que seu modelo único, sem scanner e sem caixa tem o potencial de ser uma “virada de jogo” para compras de alimentos.

“Não envolve entregar mais dados do que qualquer outro aplicativo que você usa para comprar coisas, então acho que o número de pessoas com questões de privacidade será muito pequeno”, disse ele.

“Algumas pessoas podem ficar um pouco assustadas com as câmeras rastreando você, mas para a maioria das pessoas isso não é necessariamente diferente do CCTV.”

O especialista apontou que a Sainsbury’s já havia feito experiências com uma loja totalmente sem caixa no norte de Londres em 2019 – mas abandonou o modelo porque os clientes não gostavam de ter que escanear cada um de seus itens usando seus telefones.

“Os compradores acharam muito enigmático, muito parecido com trabalho duro. Isso pode mudar o jogo, porque as pessoas não precisam fazer nenhum trabalho.

Ainda sou um pouco cético sobre quanto tempo isso economiza para as pessoas. Mas teremos apenas que esperar e ver como as pessoas acharão conveniente.”

 

Leia Também:  Xbox Series X tem preço e data oficialmente revelado

 

Fonte: https://www.msn.com/pt-br/dinheiro/other/amazon-abre-1%c2%aa-loja-sem-caixa-fora-dos-eua-compras-s%c3%a3o-feitas-via-qr-code-do-celular/ar-BB1erNyx

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Tecnologia

MT lança prêmio para empreendedores

A premiação foi lançada na abertura da Semana da Inovação Mato Grosso e as inscrições vão de 23 de agosto até 30 de setembro.

Publicados

em

Foto: Tomas Arthuzzi

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Inova Mato Grosso. A iniciativa, realizada em uma parceria entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Mato Grosso (Seciteci), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat) e o Parque Tecnológico Mato Grosso, é uma forma de reconhecer as empresas que atuam em gestão de inovação no Estado. 

A premiação foi lançada na abertura da Semana da Inovação Mato Grosso e as inscrições vão de 23 de agosto até 30 de setembro. O formulário está disponível no site da Seciteci e do Parque Tecnológico. O regulamento está disponível AQUI

O secretário da Seciteci, Nilton Borgato, explica que o processo de avaliação prevê premiar as melhores práticas inovadoras e tecnológicas de micro, pequena e média empresas. “Esta premiação surgiu da necessidade de fomentarmos e incentivarmos as empresas mato-grossenses em seus processos criativos e inovadores”, ressaltou.  

Segundo a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação, da Seciteci, Lectícia Figueiredo, o foco é fortalecer iniciativas empresariais já existentes e atuantes em práticas e gestão da inovação, além de contribuir para a continuidade dos projetos de inovação nas empresas de Mato Grosso.

“A ideia é incentivar estas empresas a continuarem desenvolvendo seus projetos, apoiando a auxiliando para dar continuidade nisso, gerando para o Estado, modelos inspiradores em gestão de inovação. Então o prêmio é uma forma de acelerar ainda mais o desenvolvimento tecnológico das empresas de Mato Grosso”, disse.

A avaliação será realizada por meio de análise de questionário de autoavaliação e documentos de evidências apresentados pelas empresas candidatas.

O processo de avaliação do prêmio prevê a geração de relatórios de devolutiva as empresas participantes com apontamentos de melhorias em seus processos de inovação, subsídio de ações tanto para as empresas quanto para as instituições de apoio e fomento a inovação.

O presidente da Fapemat, Marcos de Sá, explica que é importante promover um ambiente favorável e contínuo à pesquisa, desenvolvimento e inovação, por isso, a Fundação ofertará para os primeiros colocados, bolsas para pesquisadores nas empresas. “Ao todo vamos conceder seis bolsas pra apoiar e incentivar estes profissionais no processo de desenvolvimento e crescimento empresarial, inserindo mestres e doutores nas empresas”, reforçou.

O coordenador do Parque Tecnológico Mato Grosso, esclarece que, além das bolsas, os primeiros colocados ainda terão outras premiações, como a participação em missão técnica Benchmarking em Gestão da Inovação e a capacitação e mentoria realizada pelo Parque Tecnológico Mato Grosso em Sistema de Gestão de Inovação.

“Além disso, os vencedores serão incluídos no ecossistema do Parque tecnológico Mato Grosso, com possibilidades de conexões de conhecimento e negócios nacionais e internacionais. Além da divulgação nacional e internacional em materiais e mídias digitais e impressas das instituições promotoras do prêmio, enfim, são diversos incentivos para ampliar o desenvolvimento destas empresas”, falou.

Semana da Inovação

Durante a Semana da Inovação, iniciada no dia 20 de agosto, os empreendedores e empresários poderão participar dos diversos eventos virtuais preparados para debater e fomentar o agro em Mato Grosso. Além de receber orientações, os participantes poderão se inscrever no prêmio Inova Mato Grosso.

A programação da primeira Semana da Inovação de Mato Grosso segue até 28 de agosto, de forma totalmente virtual. O evento é realizado com a parceria de empresas, instituições e apoiadores, com o objetivo de colocar a agenda no centro das estratégias do Ecossistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Para saber mais informações e se inscrever nos eventos, basta acessar a plataforma oficial do evento AQUI.

Dentre os eventos confirmados terá o Conexão Inova MT, que será realizado no dia 25 (das 19 às 21h), pelas empresas T4agro e CBC para debater temas relevantes voltados ao agronegócio.

“Durante o bate-papo, serão abordados temas como as novas tendências do setor sucroenergético no Brasil, inovações voltadas à mecanização, a importância de micro-organismos de solo e tecnologias sustentáveis para a agricultura, com profissionais especialistas no setor. Além disso, no encontro, a T4agro lançará a abertura das inscrições para a nossa segunda turma de incubação”, diz Júlio Mila, CEO da T4agro.

Uniram forças para realizar o evento: a Seciteci; o Parque Tecnológico Mato Grosso; a Fapemat; a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec); o Serviço Social da Indústria (Sesi); o Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai); a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR); o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT); a Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat); o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio),  CITIS, a Rede de Inovação Mato Grosso (Inova MT); o AgriHub; a Priante Incubadora; o Colaborama (Laboratório de Inovação, Tecnologia e Gestão); a Comunidade Blockmeet; a Digoreste Startups; o Instituto Tecnológico, de Gestão Estratégica e Organização Social Sustentáveis (I-Geos) e a Incubação e Desenvolvimento de Empresas Inovadoras (I-Deia).

 

Leia Também:  Pode vetar Zuckerberg: nova 'Suprema Corte' do Facebook tem brasileiro na lista
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA