VÁRZEA GRANDE

Saúde

Rio pode voltar a suspender aplicação da 1ª dose por falta de vacinas

Publicado em

Saúde


O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, disse hoje (10) que o Rio de Janeiro pode suspender a aplicação da primeira dose das vacinas contra covid-19 a partir de amanhã (11) se uma nova remessa de doses não chegar à cidade.

“A gente tem estoque de primeira dose para até o final do dia de hoje, para pessoas de 25 anos. E a gente precisa de uma remessa com mais doses para poder continuar o calendário de primeira dose da semana. Para a segunda dose, o calendário está garantido”, disse Soranz, que afirmou ter a expectativa de que o Ministério da Saúde distribua 11 milhões de doses aos estados ainda hoje.

Procurada pela Agência Brasil, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) respondeu que depende da chegada das doses do ministério para fazer novos repasses aos municípios. Segundo a assessoria de imprensa da SES, essa distribuição pode ser feita rapidamente, assim que as doses chegarem.

Já o Ministério da Saúde afirmou que vai distribuir mais doses ao Rio de Janeiro nos próximos dias. Segundo a pasta, foi definida no último sábado (7) a liberação de mais 4,5 milhões de doses aos estados e Distrito Federal, sendo que 416 mil doses serão destinadas ao estado do Rio.

“O Ministério da Saúde informa que haverá uma compensação gradual dos quantitativos de vacinas enviados de modo complementar, de maneira que todos os estados deverão finalizar o processo de imunização sem que haja benefícios ou prejuízos a suas respectivas populações”, disse o ministério, que lembrou que 994,4 mil doses foram entregues ao estado na semana passada.

Leia Também:  Covid-19: governo anuncia distribuição de mais 4,4 milhões de vacinas

No fim de julho, o município chegou a suspender a aplicação da primeira dose, também por falta de vacina. A suspensão durou cinco dias.

Momento preocupante

O secretário de Saúde da capital fluminense avaliou que a pandemia está em um momento preocupante na cidade, com o inverno e a disseminação da variante Delta impulsionando o número de casos.

A média móvel de novos casos de covid-19 na cidade do Rio de Janeiro saltou de 1.115 novos diagnósticos por dia, em 25 de julho, para 1.592, em 8 de agosto, segundo o painel de dados Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Já a média móvel de novos óbitos está em queda desde o início de agosto e chegou anteontem (8) a 46 vítimas por dia na média dos últimos sete dias.

Em reunião realizada na manhã de ontem, o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura do Rio de Janeiro, composto por pesquisadores, recomendou que a reabertura anunciada para setembro pelo prefeito, Eduardo Paes, tenha como requisito um percentual maior de vacinados.

Reabertura

Paes havia anunciado que poderia iniciar a reabertura no início de setembro com 45% da população imunizada com duas doses ou dose única, mas os pesquisadores propuseram aumentar o percentual para 50%.

Leia Também:  São Paulo tem queda na cobertura de vacinas durante a pandemia

O grupo recomendou que a primeira etapa da reabertura permita apenas eventos em locais abertos com até 500 pessoas e limitação de 50% de público nos estádios, com exigência de que os torcedores estejam com a vacinação completa.

O comitê sugeriu adiar da primeira para a segunda etapa da reabertura o funcionamento de boates, casas de show e danceterias, também com 50% de público e exigência de vacinação completa. Na segunda etapa da reabertura, 65% da população carioca precisa ter concluído a imunização.

Para os pesquisadores, a reabertura deve ter como premissas um cenário epidemiológico favorável, o aporte adequado de vacinas pelo Programa Nacional de Imunizações, alta performance de vacinação da população do município do Rio e alta cobertura vacinal completa acima de 60 anos e comorbidades.

Soranz classificou as recomendações como ajustes ao plano anunciado anteriormente e disse que a secretaria está com suas energias concentradas em aplicar o máximo de doses que for possível em quem buscar os postos de vacinação. Por isso, a busca ativa de pessoas que precisam completar o esquema vacinal e não compareceram na data marcada para a segunda dose foi suspensa e deve ser retomada a partir do dia 20.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Covid-19: Rio vai receber 120 mil doses de vacinas para as crianças

Publicados

em


O município do Rio de Janeiro espera receber 120 mil novas doses de vacinas contra a covid-19 entre hoje (24) e amanhã (25), sendo 30 mil da Pfizer pediátrica e 90 mil doses de CoronaVac para o público de 6 a 17 anos sem comorbidades, informou nesta manhã a Secretaria Municipal de Saúde.

Até amanhã, a imunização infantil continua para meninas e meninos de 11 anos. A partir de quarta-feira (26), o calendário da vacinação avança para as crianças de 10 anos, de ambos os sexos. O calendário divulgado inicialmente, que previa a imunização dessa faixa etária até o dia 22 de janeiro, foi suspenso por falta de doses.

No último dia 20, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a aplicação do imunizante do Instituto Butantan, a CoronaVac, em crianças e adolescentes com idade entre 6 e 17 anos.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SP não registra intercorrência a lotes suspensos da CoronaVac
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA