VÁRZEA GRANDE

Coronavírus

MT registra 2 mil novos casos da covid-19 e oito óbitos nas últimas 24 horas

Taxa de ocupação está em 77,99% para UTIs adulto e em 20% para enfermaria adulto.

Publicado em

Saúde

Foto: Procon/MS

Na tarde da última quinta-feira (13), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou 572.022 casos confirmados de coronavírus em Mato grosso, sendo registrados um total de 14.118 óbitos. Nas últimas 24 horas no estado registrou 2.471 novos casos da covid-19 e oito mortes registradas.

Dos 572.022 casos confirmados, 11.445 estão em isolamento domiciliar e 545.770 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a covid-19, há 124 internações em UTIs públicas e 87 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 77,99% para UTIs adulto e em 20% para enfermaria adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de covid-19 estão: Cuiabá (115.607), Várzea Grande (42.206), Rondonópolis (38.960), Sinop (27.331), Sorriso (18.942), Tangará da Serra (18.664), Lucas do Rio Verde (16.018), Primavera do Leste (15.420), Cáceres (12.571) e Alta Floresta (11.765).

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Rio registra mais 46 mortes pelo novo coronavirus
Propaganda

Saúde

Covid-19: prefeitura diz que criança teve parada cardíaca após vacina

Publicados

em


A prefeitura municipal de Lençóis Paulista (SP) divulgou uma nota oficial no início da noite de hoje (19) informando que suspendeu por sete dias a vacinação infantil em razão de uma criança de dez anos ter sofrido uma parada cardíaca 12 horas após ser vacinada contra a covid-19 na cidade. Segundo a família, a criança está estável e consciente. A prefeitura não teve acesso ao prontuário médico da criança, que foi atendida na rede privada. A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que é precipitado e irresponsável afirmar que o caso ocorrido está associação à vacinação. 

“O Comitê [de combate à covid-19 do município] deixa claro que não existe dúvida sobre a importância da vacinação infantil, mas diante do ocorrido será dado esse prazo para o acompanhamento e monitoramento diário das 46 crianças lençoenses vacinadas até o momento. Além disso, esse prazo é necessário para aprofundamento sobre o caso de forma específica e envio de relatórios aos órgãos de controle federais e estaduais”, diz o texto da nota da prefeitura.

Leia Também:  Prefeito do Rio prevê desobrigar uso de máscaras em duas semanas

De acordo com a prefeitura, na noite de ontem (18), aproximadamente 12 horas após ser vacinada com o imunizante da Pfizer, a criança de dez anos apresentou alterações nos batimentos cardíacos e desmaiou, segundo relato do pai obtido pela prefeitura. Ela foi levada à rede de saúde particular para atendimento profissional, onde foi reanimada. Após ser estabilizada, a criança foi transferida para o Hospital da Unimed, em Botucatu (SP), onde permanece sob observação.

A administração municipal de Lençóis Paulista informou ainda que pais ou responsáveis que desejam vacinar seus filhos antes da retomada da imunização devem ligar na Central Saúde do município para realizar agendamento. A vacinação em adultos continua normalmente.

Precipitado e irresponsável

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde disse que é precipitado e irresponsável afirmar que o caso ocorrido tem associação com a vacinação. A pasta destacou que todas as vacinas aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) são seguras e eficazes e são responsáveis diretamente na redução de mortes, casos graves e internações por covid-19. 

Leia Também:  Atletas do Bope conquistam 22 medalhas

De acordo com a secretaria, o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) está acompanhando e analisará o caso de Lençóis Paulista. O CVE informou que todos os casos de eventos adversos são analisados por uma comissão de especialistas antes de qualquer confirmação. 

“É, portanto, precipitado e irresponsável afirmar que o caso do município está associado a vacinação. Na maioria das vezes, os casos de eventos adversos pós-vacinação são coincidentes, sem qualquer relação causal com o imunizante”, diz o texto da nota da secretaria.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA