VÁRZEA GRANDE

Saúde

Morte de adolescente em SP não é relacionada à vacina, conclui Anvisa

Publicado em

Saúde


Representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) receberam informações do Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo que negam a relação entre a morte de uma adolescente no estado e sua vacinação contra covid-19. Segundo a Anvisa, os dados apresentados foram considerados “consistentes e bem documentados”.

Uma adolescente de São Paulo morreu sete dias depois de ter tomado vacina contra a covid-19. A causa provável, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, foi atribuída ao diagnóstico de doença autoimune, denominada púrpura trombótica trombocitopênica (PPT), identificada com base no quadro clínico e em exames complementares.

“O relatório de investigação elaborado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo foi recebido pela agência na noite deste domingo, 19 de setembro, contendo detalhes de todo o processo de avaliação que concluiu não ser possível atribuir diretamente o óbito à vacinação”, informou a Anvisa em nota.

A agência notificará a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre as investigações para avaliação quanto a qualquer possível sinal de segurança. Por fim, a Anvisa afirmou manter sua posição acerca dos benefícios das vacinas e de sua importância no combate à pandemia.

Leia Também:  Investimento na saúde pública de Várzea Grande quase dobra nos últimos anos seis anos

“Até o momento, os achados apontam para a manutenção da relação benefício versus risco para todas as vacinas autorizadas no Brasil, ou seja, os benefícios da vacinação excedem significativamente os seus potenciais riscos”.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Cidade de Rosário Oeste é atendida pela Carreta do Projeto Imuniza-Sus

através da Secretaria Municipal de Saúde, a carreta de imunização tem por objetivo, levar a prestação de serviços aos locais mais distantes das comunidades

Publicados

em

A Carreta do Projeto Imuniza-Sus, que percorreu comunidades rurais de Rosário Oeste, realizando imunização para as pessoas da região que ainda não havia tomado as principais vacinas, contra vários tipos de doença.

A ação foi realizada pela Prefeitura de Rosário Oeste, através da Secretaria Municipal de Saúde, a carreta de imunização tem por objetivo, levar a prestação de serviços aos locais mais distantes das comunidades rurais.
As comunidades atendidas são: Cedral, Cocal, Forquilha do Rio Manso, Bauxi, e também a cidade de Rosário Oeste. Ao todo, foram atendidas mais de 400 pessoas e aplicadas mais 800 doses de vacinas.

O setor da saúde, é uma das prioridades da gestão Alex Berto, que mesmo antes de assumir o mandato, já atuava na área e sabe da importância que é o sistema de saúde atendendo nas comunidades.

“É nosso compromisso trabalhar por aqueles que mais precisam, que estão mais distantes, hoje, só estamos fazendo o que falamos lá na campanha que íamos fazer, sabemos que a estrada é longa, ainda há muito trabalho, mas podem ter certeza que nossa equipe está buscando atender a população mais e melhor”, disse Berto.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Bolsonaro decreta luto oficial de três dias por morte de Marco Maciel
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA