VÁRZEA GRANDE

PACIENTES DO SUS

Hospital Municipal de Cuiabá é pioneiro no tratamento com Oxigenoterapia Hiperbárica para pacientes do SUS

Segundo o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, é um orgulho a Saúde da Capital oferecer esse serviço, que é de grande valia para a vida humana.

Publicado em

Saúde

Foto: Davi Valle - Secom-Cuiabá

O maior e mais moderno hospital público do Estado, o Hospital Municipal de Cuiabá e o Pronto-Socorro “Dr. Leony Palma de Carvalho” é pioneiro no tratamento com oxigenoterapia hiperbárica (OHB) para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso. O serviço foi implantado em 2021, e já realizou 10.411 sessões em pessoas hospitalizadas por situações de lesões decorrentes de traumas, feridas, queimaduras e infecções.

O procedimento inovador, melhorou o quadro clínico do paciente com paraplegia Leonildo Veda, 37 anos, que ficou internado há 4 meses e realizou 130 sessões de oxigenoterapia hiperbárica no HMC.

“Dei entrada no HMC com várias feridas abertas pelo corpo e muitas dores. Com a realização das sessões na câmara de oxigenoterapia hiperbárica, minhas úlceras de pele foram cicatrizadas. É o tratamento mais avançado e acelerado que eu já tive. É maravilhoso o resultado, estou muito satisfeito”, completou Leonildo, do município de Araputanga (a 338 km de distância de Cuiabá).

No Hospital Municipal de Cuiabá, unidade referência em ortopedia e traumatologia, o número de pacientes vítimas de traumas é grande, principalmente em decorrência de acidentes automobilísticos e motocicletas.

Leia Também:  Estabelecimentos comerciais de gênero alimentício colaboram com medidas de prevenção ao Covid-19

“As amputações ocorrem devido aos traumas de forte impacto. É primordial o uso da oxigenoterapia hiperbárica para o tratamento destes pacientes, principalmente porque somos portas abertas para situações de urgência e emergência”, destacou o diretor-geral, Paulo Rós, da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), que administra o HMC.

Paulo Rós, explica que o grande benefício do tratamento é a redução de pessoas vítimas de sequelas em decorrência de amputações. “A oxigenoterapia hiperbárica é um tratamento revolucionário na rede SUS, pois acelera a cicatrização e diminui o risco de infecção”, afirmou.

Segundo o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, é um orgulho a Saúde da Capital oferecer esse serviço, que é de grande valia para a vida humana.

“Nossa gente merece padrão particular para o serviço público. O preço médio por sessão na câmara hiperbárica em uma unidade particular é caríssimo, e as pessoas humildes necessitam deste tratamento de ponta. Isso é humanizar e contemplar nossa população com qualidade de vida”, destacou.

“O HMC, inclusive, recebeu reconhecimento internacional, através de uma reportagem publicada no dia 26/05/2022, no jornal coreano “Journal of Trauma and Injury – JTI, que traz o relato de caso de um paciente que sofreu esmagamento na mão, mas recuperou totalmente as funções, após o tratamento com oxigenoterapia hiperbárica no HMC, revelou o prefeito.

Leia Também:  Saúde recebe novas doações da empresa Studio Z no enfrentamento ao Coronavírus

Tratamento com oxigenoterapia hiperbárica – O médico hiperbarista, Pedro Henry, explica que o paciente é colocado em uma câmara hiperbárica por 90 minutos, durante esse tempo, o paciente inala oxigênio a 100%, em um ambiente cuja pressão é cerca de 2,5 vezes maior que a pressão atmosférica normal.

“A absorção maciça de oxigênio que ocorre nessas condições eleva para mais de 20 vezes os valores normais da pressão de oxigênio no organismo humano. Isso é um tratamento de ponta que produz  inúmeros efeitos benéficos nos pacientes. São poucos os hospitais públicos do país que oferecem esse serviço”, explicou Henry.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida

Publicados

em

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fará um webinar nesta segunda-feira (6), a partir das 15, para tratar da nova norma sobre reprodução humana assistida. Durante o seminário, o regulamento será apresentada por Renata Parca, que há 17 anos integra a área responsável pelo tema. A moderação será feita pelo gerente da área de Sangue, Tecido, Células, Órgãos e Produtos de Terapias Avançadas, João Batista da Silva Júnior.

Segundo a Anvisa, as novas regras têm como objetivo dar mais segurança sanitária, acessibilidade e dinamismo ao processo de reprodução humana assistida, em vista da sua demanda crescente pela população. A legislação também foi atualizada contemplando as mudanças no setor, que está sempre se modernizando quanto a novas técnicas, terapias e tecnologias.

Entre os temas que serão discutidos no seminário está o  novo modelo de importação de gametas e embriões, as atualizações com relação aos testes laboratoriais de pacientes e doadores de gametas, e a necessidade de um profissional responsável pela garantia da qualidade nos estabelecimentos. No Brasil, há 183 Centros de Reprodução Humana Assistida (CRHAs) em funcionamento, conforme dados do Sistema Nacional de Produção de Embriões (SisEmbrio) da Anvisa. 

Leia Também:  Ministério da Saúde registra 62.334 novos casos de covid-19

A participação do webinar pode ser feita por este link   no dia e horário do evento.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA