VÁRZEA GRANDE

Saúde

Covid-19: país registra 57,7 mil casos e 1,5 mil mortes em 24 horas

Publicado em

Saúde


As autoridades de saúde registraram, em 24 horas, em todo o Brasil 57.736 novos casos de infecção pela covid-19 e 1.556 mortes em decorrência de complicações associadas à doença.

Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil (14/07/2021). Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil (14/07/2021).

Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil (14/07/2021). – Divulgação/Ministério da Saúde

Com os novos diagnósticos, o número de pessoas que pegaram covid-19 desde o início da pandemia ficou em 19.209.729. Ontem (13), o total contabilizado pelas autoridades de saúde estava em 19.151.993.

Ainda há 813.702 casos em acompanhamento. Nesta situação, a condição de saúde das pessoas é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves. Nas últimas duas semanas, esse índice vem caindo progressivamente.

Os novos dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde divulgada nesta quarta-feira (14), que consolida informações levantadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

O número de vida perdidas para a covid-19 chegou a 537.394. Ontem, o painel de informações da pandemia marcava 535.838 óbitos desde o primeiro, em março do ano passado. Mais 3.455 mortes estão em investigação. O termo designa mortes com suspeita de que podem ter sido causadas por covid-19, mas com origem ainda sendo analisada por equipes de saúde.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 somou 17.858.633. O número corresponde a 93% das pessoas infectadas desde o início da pandemia.

Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados

O balanço diário do Ministério da Saúde também traz os dados por estado. São Paulo é estado que registra o maior número de mortes por covid-19: 133.364. Em seguida, vêm Rio de Janeiro , com 57.075 óbitos; Minas Gerais, com 48.350; Paraná, com 33.160; e Rio Grande do Sul, com 32.435.

Os estados com menor número de mortes são o Acre, com 1.771; Roraima, com 1.797; o Amapá, com 1.875; o Tocantins, com 3.364; e Alagoas, com 5.578.

Vacinação

Conforme o Ministério da Saúde, foram entregues aos estados 147,3 milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

Considerando as informações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e dos levantamentos de cada secretaria estadual de Saúde, foram feitas 117,3 milhões de aplicações de vacinas, sendo 85,7 milhões da primeira dose e 31,6 milhões da segunda e da dose única.

Quando consideradas somente as doses registradas no sistema do PNI, foram aplicadas 111,3 milhões, sendo 81 milhões da primeira dose e 30,2 milhões da segunda e da dose única. As doses aplicadas e que aguardam registro são 5,9 milhões, sendo 4,4 milhões que tomaram primeira dose e 1,3 milhão que tomaram a segunda ou a dose única.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Covid-19: Manaus faz mutirão para vacinar pessoas a partir de 18 anos
Propaganda

Saúde

São Paulo promove ações no Dia Mundial da Aids

Publicados

em


Na data em que é celebrado o Dia Mundial da Síndrome da Deficiência Imunológica Adquirida (Aids), a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo deu início a uma série de ações que serão desenvolvidas durante todo o mês de dezembro.

Mensagens de prevenção da doença serão exibidas nos relógios de rua e em shoppings da cidade, incluindo iluminação de prédios públicos, testagem rápida do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e seminário de pesquisas.

As ações fazem parte da campanha Dezembro Vermelho, para sensibilizar a população sobre a doença e sua prevenção e podem ser acompanhadas pelas redes sociais da Secretaria Municipal da Saúde (Facebook, Instagram e Twitter – @saudeprefsp) e pelo site da Secretaria.

De acordo com a secretaria, a principal ação foi a inauguração antecipada do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) itinerante, o CTA da Cidade, no último domingo (28), em evento realizado no Minhocão.

A cidade conquistou a Recertificação de Eliminação da Transmissão Vertical do HIV com os registros de transmissão vertical representando 0,3% dos novos casos no município em 2020. “O número garantiu a renovação da certificação, concedida pela primeira vez à cidade de São Paulo em 2019, pelo Ministério da Saúde”, informou a Secretaria de Saúde.

Leia Também:  Proteção de vacinas contra covid diminui após 6 meses, mostra estudo

Segundo a coordenadora de infecçãos sexualmente transmissíveis, IST/Aids, Cristina Abbate, a data é um momento em que a causa do HIV/Aids fica ainda mais em evidência, aproximando o tema da população e homenageando todas as pessoas que perderam suas vidas em decorrência da doença.

“Com a inauguração do CTA da Cidade, no último fim de semana, a cidade de São Paulo deu mais um passo importante no compromisso de enfrentamento da epidemia de HIV/Aids. Mais do que nunca, estaremos onde as pessoas que precisam estão”, afirmou a coordenadora.

As atividades começaram ontem (30), com a exibição de mensagens de prevenção em totens de cinco shoppings de grande porte da capital paulista, iluminação especial na cor vermelha em monumentos e prédios públicos da capital. Essas ações seguem até o dia 4. 

Laço

Hoje (1º), os relógios de rua da cidade apresentarão o laço estilizado da Coordenadoria de IST/Aids, versão do símbolo global da luta contra a Aids com as cores da cidade (vermelho, preto e branco).

Na Avenida Paulista, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostrará o laço vermelho no painel digital da fachada do prédio. Os apresentadores da TV Gazeta também utilizarão os laços durante toda a programação do canal.

Leia Também:  Portaria orienta pagamento de BPC e auxílio-doença durante pandemia

Na quinta-feira (2), ocorre, virtualmente, a 13ª edição do Seminário de Pesquisas em IST/Aids, quando serão apresentados os dados finais e parciais dos principais levantamentos nas unidades da Rede Municipal Especializada (RME) em IST/Aids de São Paulo.

Além disso, será lançado o 16º Inventário de Pesquisas, que reúne todos os estudos realizados na RME, trabalhos da coordenadoria e dos profissionais que atuam nas unidades municipais de saúde especializadas em IST/Aids apresentados em eventos científicos neste ano.

Ainda dentro das ações do Dia Mundial da Aids, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e os serviços da RME intensificarão a divulgação e a realização de testes rápidos de HIV, a distribuição de preservativos internos e externos na primeira semana da campanha.

Também serão articuladas parcerias locais para a oferta de kits gratuitos de autoteste de HIV em locais de sociabilidade da população mais vulnerável ao vírus, como gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans e travestis e profissionais do sexo.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA