VÁRZEA GRANDE

"Marechal Cândido Rondon"

Selo comemorativo aos 170 anos da ALMT será exibido em exposição

Além do selo comemorativo da ALMT, também fazem parte do acervo selos criados em homenagem aos 150 anos de Marechal Cândido Rondon, aos 250 anos de fundação de Cuiabá e aos 90 anos do 44º Batalhão de Infantaria Motorizada, entre outros.

Publicado em

Política

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O selo comemorativo criado em alusão aos 170 anos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, celebrados em 2004, será exibido a partir desta quarta-feira (23) na exposição “Uma Viagem à Filatelia”, que acontece no saguão de entrada da Casa de Leis e apresenta selos postais do Brasil e do mundo.

O símbolo foi produzido por meio de uma parceria entre o Poder Legislativo Estadual e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e integra a coleção de selos lançados em Mato Grosso, da colecionadora Ana Clara Arruda de Souza, que ficará exposta durante a próxima semana.

Além do selo comemorativo da ALMT, também fazem parte do acervo selos criados em homenagem aos 150 anos de Marechal Cândido Rondon, aos 250 anos de fundação de Cuiabá e aos 90 anos do 44º Batalhão de Infantaria Motorizada, entre outros.

Nesta semana serão expostos ainda coleções com os temas “Walt Disney” (da colecionadora Mariana Santana dos Santos Giolo) e “Lojas e Ilustres Maçons”, (de propriedade de Paulo César Serante).

Leia Também:  Sesp capacita servidores sobre procedimento de contratação pública

Já na terceira e última semana da exposição, serão apresentados selos com as temáticas “uniformes militares”, “povos indígenas do Brasil” e “Natal”.

Colecionador de selos (filatelista) há 40 anos, Paulo César Serante é presidente do Clube Filatélico e Numismático de Cuiabá e dono de uma coleção que conta com milhares de selos. Apaixonado pela atividade, ele destaca a satisfação em torná-la conhecida, por meio da exposição.

“Eu comecei a minha coleção em 1982. Eu era office boy e fui trabalhar em um escritório de contabilidade. O gerente desse escritório comprava selos e eu ia aos Correios muitas vezes e acabou despertando esse desejo em mim. Eu fui juntando aos poucos e também já presenteei muitas pessoas. Além de um grande valor sentimental, o meu acervo também tem valor pecuniário, pois muitos selos são raros”, conta.

Segundo ele, a exposição também é uma forma de homenagem a Ruben Fábio Matos Ferreira, que coleciona selos há 65 anos e, na primeira semana de exposição, apresentou sua coleção de “poetas da língua portuguesa”.

Leia Também:  Governo Bolsonaro ainda não tem plano de comunicação

A superintendente do Instituto Memória do Poder Legislativo, Mara Visnadi, explica que a ação realizada em parceria com o Clube Filatélico e Numismático de Cuiabá tem o objetivo de “promover um espaço de visitação e aprendizagens na Assembleia Legislativa” e faz parte de um projeto maior, denominado “Semear Memória, Colher Cidadania”, que incluirá a realização de exposições itinerantes pelo estado.

Sorteio – Todos que visitarem a exposição podem preencher um cupom para concorrer a um sorteio de uma coleção de selos com o tema “Olimpíadas”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Mato Grosso é o terceiro Estado do país com menos pessoas em situação de extrema pobreza

O Estado subiu duas posições em 2021, quando comparado a 2020, e está atrás apenas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Publicados

em

Foto: Jana Pessoa/Secom-MT

Mato Grosso subiu duas posições entre os Estados Brasileiros com menor número de pessoas vivendo na extrema pobreza – isto é, com renda diária abaixo de US$ 1,99 (ou pouco mais de R$ 10 no câmbio desta segunda-feira 05.12) -, ocupando atualmente o terceiro lugar, atrás apenas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2020, o Estado ocupava a quinta colocação, atrás não só Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que mantiveram as primeiras posições, como de Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal, que caíram, respectivamente, para a quinta e sétima posições.

Em relação à região Centro-Oeste, Mato Grosso também subiu duas posições. Enquanto em 2020, estava atrás de Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, em 2021 passou a ser o primeiro com menos pessoas em situação de extrema pobreza.  

Tanto as regiões Sul, em primeiro lugar, quanto a Centro-Oeste mantiveram suas posições em 2020 e 2021, assim como o Nordeste que continua em último lugar no ranking nacional. É também do Nordeste o estado brasileiro com maior percentual de pessoas extremamente pobres – Maranhão.

Leia Também:  PRF reduz em 43% o número de feridos em acidentes durante a Operação Ano Novo

Pelos critérios dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas e recomendações do Banco Mundial, a pobreza extrema é caracterizada por uma renda familiar, per capita disponível, inferior a US$ 1,90 por dia, o equivalente a um rendimento médio mensal de R$ 168 por pessoa em 2021, na conversão pelo método Paridade por Poder de Compra (PPC).

Para o governador Mauro Mendes e a primeira-dama, Virginia Mendes, Mato Grosso galgou estes dois degraus e atingiu tal patamar graças ao apoio a pessoas em situação de extrema pobreza.

“Estamos trabalhando para fazer ainda mais pelos que mais precisam e, por isso, nunca se investiu tanto no social como nesses últimos anos. Todos os programas Ser Família, liderados pela primeira-dama Virginia Mendes de forma voluntária, tiveram um cuidado especial de olhar com carinho para os mais vulneráveis, para garantir segurança alimentar e moradias dignas, além de investimentos em qualificação profissional, para melhorar a renda das famílias”, destacou Mauro Mendes, acrescentando que 19 mil pessoas foram qualificadas para o mercado de trabalho e outras 50 mil novas vagas foram contratadas pelo Estado para 2023.

Leia Também:  Polícia Civil apreende arma de fogo e 50 munições de vários calibres em Tangará da Serra

Segurança alimentar

Em quatro anos, pelo programa Ser Família Solidário, foram distribuídas mais de 1,3 milhão de cestas básicas, em parceria com prefeituras e instituições filantrópicas, para as famílias mais carentes. Esta ação possibilitou alimento na mesa nos períodos mais críticos da pandemia e do pós-pandemia.

Além disso, o Estado implantou o programa Ser Família Emergencial, que beneficiou 100 mil famílias com a entrega de cartões para compra de alimentos. São R$ 200 pagos a cada dois meses.

O governo ainda forneceu mais de 585 mil refeições pelo Restaurante Prato Popular, ao valor de R$ 1, e com marmitas às pessoas em situação de rua, em Cuiabá.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA