VÁRZEA GRANDE

Política

Novo PGR apoia investigar presidente

Publicado em

Política

Os 8 candidatos à sucessão de Janot dizem ao ‘Estado’ defender inquérito quando houver indícios de crimes praticados durante o mandato

Da Redação

 

Embora tenham opiniões divergentes sobre vários temas internos do Ministério Público Federal, oito candidatos à sucessão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concordam que, havendo indícios de crimes praticados pelo presidente da República no exercício do mandato, como os citados pelo empresário Joesley Batista, do Grupo J&F, sobre Michel Temer, é necessária a abertura de uma investigação.

Os subprocuradores Raquel Dodge, Nicolao Dino, Eitel Santiago, Mário Bonsaglia, Ela Wiecko, Carlos Frederico, Sandra Cureau e Franklin Costa participaram nesta quinta-feira, 22, do sexto e último debate entre os candidatos organizado pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). O tema não foi abordado no debate, mas todos foram questionados pelo Estado sobre a possibilidade de investigação do presidente da República por crimes praticados antes e durante o mandato.

 Os oito candidatos afirmaram que, em caso de provas ou indícios entregues em uma colaboração premiada sobre crimes praticados no mandato, é dever do procurador-geral da República instaurar uma investigação. No entanto, eles não quiseram falar sobre o caso concreto envolvendo a atual investigação sobre o presidente Michel Temer pelos crimes de obstrução da Justiça, organização criminosa e corrupção passiva.

Apontada como favorita na disputa, Raquel Dodge afirmou que a abertura de investigação diante de indícios de crime é “obrigação do titular da ação penal” que deve solicitar a avaliação da necessidade da investigação do Supremo Tribunal Federal. Raquel chegou a debater o tema, mas com foco em investigações de crimes anteriores ao mandato, com Sandra Cureau.

Leia Também:  Presidente da FIFA assistirá à final da Copa do Brasil entre Corinthians e Flamengo

Enquanto Sandra se posicionou contra a investigação de crimes praticados antes do mandato, Raquel considerou que nesses casos também é possível realizar a investigação, mas sem apresentar a denúncia. “Me refiro à possibilidade com os argumentos de que ninguém está acima da lei e, também, para preservar os vestígios e as provas. Mas isso deve ser feito com cautela para não manchar o mandato do presidente da República”, afirmou Raquel.

Com esse posicionamento, se eleita, Raquel seria a favor de que Temer fosse investigado pelos crimes pelos quais foi acusado na delação da Odebrecht e também pelos outros supostos delitos citados no acordo de colaboração dos executivos da JBS. Na Odebrecht, Temer foi acusado de pedir US$ 40 milhões em propina por um contrato da área internacional. Na JBS, além dos crimes investigados por Janot, Temer aparece apontado como destinatário de repasses irregulares para suas campanhas eleitorais. O presidente nega irregularidades.

‘Exagero’. Crítico da gestão de Janot, o subprocurador Eitel Santiago defendeu a investigação em caso de indícios de crimes praticados no mandato, mas apontou a necessidade de se evitar uma apuração “escandalosa”. “Há um certo exagero na divulgação antecipada, isso é prejudicial ao País”, disse.

Leia Também:  Ao vivo: presidente da Caixa detalha pagamento do auxílio emergencial

Assim como nos outros encontros, o último debate oficial da ANPR não entrou em temas polêmicos como os acordos de colaboração assinados por Janot e a imunidade concedida ao empresário Joesley Batista. 

Lista. Para procuradores ouvidos pela reportagem, quatro dos oito concorrentes estão mais próximos de uma vaga na lista tríplice que será encaminhada ao presidente da República. Além de Raquel, vista como favorita, estariam no páreo os candidatos Mário Bonsaglia, Ela Wiecko e Nicolao Dino. A eleição será realizada na próxima terça-feira, 27.

 

 

 

 

Fonte: O Estado de S.Paulo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Vice-prefeito Stopa reforça compromissos da gestão Emanuel Pinheiro

Ainda conforme Stopa, a entrega da primeira etapa da maior avenida estruturante dos últimos 50 anos do município, o Contorno Leste, também é uma das primazias da administração atual para este ano, com mais de 6,5 quilômetros asfalto, composto por ciclovia, canteiro central, sistema de iluminação LED, meio-fio, entre outros. 

Publicados

em

Foto: Luiz Alves - SECOM-CUIABÁ

O vice-prefeito e secretário municipal de Obras Públicas, José Roberto Stopa, reforçou as ações para pavimentação asfáltica contemplando distintas regiões de Cuiabá. A meta da gestão Emanuel Pinheiro é a de beneficiar aproximadamente 30 bairros em 2023.

O compromisso foi confirmado na manhã desta segunda-feira (6), em parceria com a Caixa Econômica Federal, foi assinada a autorização de abertura do processo licitatório para pavimentação dos bairros Três Poderes, Chico Mendes e região.

“Além do investimento, por meio de recursos próprios, buscamos parcerias para dar continuidade ao trabalho que vem sendo executado pela Prefeitura de Cuiabá há seis anos. A cidade, além das regiões não pavimentadas, conta com uma malha viária antiga e deteriorada. A gestão trabalha intensamente, mas temos a ciência de que é possível aprimorar e ampliar. A Caixa Econômica já nos garantiu recursos para os bairros Chico Mendes, Três Poderes e região e a nossa meta é de cerca de 30 para este ano”, declarou o gestor.

Ainda conforme Stopa, a entrega da primeira etapa da maior avenida estruturante dos últimos 50 anos do município, o Contorno Leste, também é uma das primazias da administração atual para este ano, com mais de 6,5 quilômetros asfalto, composto por ciclovia, canteiro central, sistema de iluminação LED, meio-fio, entre outros.

Leia Também:  Governo do Estado assina cooperação para pavimentação de 41 km na MT-208

“Uma obra muito importante e que já está mudando milhares de vidas, preenchendo um antigo vazio que existia em Cuiabá, oportunizando com que as políticas públicas cheguem, de fato, até aqueles que mais precisam e às regiões mais afastadas. Ano que vem, vamos inaugurar 100% do Contorno Leste. Esse é o legado que eu e o prefeito Emanuel Pinheiro vamos deixar para a nossa gente”, completou.

A construção da via foi dividida em dois percursos, sendo um de 11 quilômetros, entre o Rio Coxipó e a Rodovia Emanuel Pinheiro, e outro de cerca de seis quilômetros, até a Avenida Fernando Corrêa. Cada um desses processos é executado por uma empresa diferente, ambas vencedoras do certame. O aporte financeiro aplicado ultrapassa R$ 125 milhões.

Por NATHANY GOMES – Secom-Cuiabá

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA