VÁRZEA GRANDE

Marcos Pontes

Ministro afirma que recuperou parte do orçamento da Ciência e Tecnologia

Pontes comentou sobre a importância do Auxílio Brasil incluir uma Bolsa de Iniciação Científica Júnior para alunos que se destacam em olimpíadas científicas.

Publicado em

Política

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasi

Durante uma entrevista para o programa A Voz do Brasil, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, disse que espera conseguir recuperar parte do orçamento da pasta que havia sido contingenciada na proposta de Orçamento de 2022. “Conversei com o ministro da Economia Paulo Guedes, com a ministra da Secretaria de Governo Flávia Arruda também, e dessa reposição do Orçamento da pasta e tinha ficado estabelecido algo em torno de R$ 300 milhões”, disse Pontes.

Segundo o ministro, parte destes R$ 300 milhões deve entrar na semana que vem. “R$ 151 milhões, que já é um recurso que nós vamos utilizar para operacionalizar uma parte, já foi feito o edital, das bolsas do chamado Universal, que irriga a pesquisa brasileira e é extremamente importante”.

Pontes comentou sobre a importância do Auxílio Brasil incluir uma Bolsa de Iniciação Científica Júnior para alunos que se destacam em olimpíadas científicas. O ministério tem atualmente 62 olimpíadas científicas e alunos brasileiros têm conquistado prêmios não apenas nas competições nacionais, mas também nas internacionais.

“Certamente isso vai trazer para os pais a certeza que investir na educação, colocar os filhos para estudar, é uma coisa que vale a pena para o futuro deles e vale a pena para o presente em termos de renda”, disse. Pontes explicou que a bolsa de iniciação científica traz a “metodologia científica” para a vida destes estudantes e disse que está comprovado, por meio de estudos, que “alunos que participam da iniciação científica têm muitos melhores resultados na educação e na vida profissional depois.”

O ministro também falou sobre a plataforma Adapta Brasil, lançada no mês passado e que consolida, integra e dissemina informações sobre os impactos das mudanças climáticas no território nacional.  “Nós fizemos um teste primeiro com algumas cidades do Brasil e, agora, [a plataforma] já está disponível para todos os municípios brasileiros. É um auxílio aos gestores. Você consegue através dessa ferramenta fazer análises de curto prazo, de médio prazo e até de longo prazo, em muitos casos, socioeconômicas e as influências da meteorologia e das mudanças climáticas para aquela região, tanto numa perspectiva otimista, quanto da mais pessimista”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Prefeito de Rosário Oeste cancela carnaval 2022 e festas similares
Propaganda

Política

Mesas interativas serão usadas para inovar educação infantil em Sinop

Publicados

em

Foto: Prefeitura de Sinop-MT

Mais de 17 mil estudantes da rede pública municipal de Sinop (a cerca de 498 km de Cuiabá), começarão o ano letivo de 2022 equipados com 100 mesas digitais interativas e multidisciplinares. A tecnologia, direcionada aos alunos da educação infantil e ensino fundamental, funcionará como um complemento às atividades realizadas em sala de aula, agregando ao “Programa de Apoio Pedagógico Intensivo”, realizado nas 39 unidades, no reforço escolar contraturno. 

As mesas digitais contam com ecossistema de atividades digitais, em conformidade com a Base Nacional Comum Curricular – BNCC e as diretrizes municipais curriculares da educação básica. São 16 aplicativos digitais com mais de 400 atividades educacionais instaladas. Além de português e matemática, a mesa oferece atividades de contação de histórias, com módulo de leitura simultânea de libras, quebra-cabeça, tabuada divertida, brinquemática, aprendizagem de linguagem de sinais e raciocínio lógico, dentre outras atividades.

Através de interativa amesa promove um aprendizado mais lúdico, divertido, e também soma para alfabetização, desenvolvimento do raciocínio lógico, coordenação motora, memorização, atenção, paciência e criatividade, dos alunos.

A mesa digital interativa é uma tecnologia que oferece possibilidades para uma prática pedagógica inovadora e inclusiva, destaca a secretária de Educação, Esporte e Cultura, Sandra Donato. “As atividades dessa ferramenta tecnológica incentivam o desenvolvimento físico, intelectual, psicológico e social das crianças. Elas manipulam materiais concretos e recursos digitais, exercitando a coordenação motora, o relacionamento e possibilitando a descoberta do mundo pelos temas abordados nessa faixa etária. Inserir as mesas digitais interativas como instrumento de apoio à aprendizagem no cotidiano escolar das crianças, que são cada vez mais seduzidas pelo potencial de interação e socialização dessas tecnologias, sem dúvida é o principal desafio de uma gestão pública”.

A gestora destaca ainda que os professores farão várias capacitações ao longo do ano letivo. “A capacitação será contínua com os professores e a equipe técnica. Também temos estagiários nos laboratórios, que poderão auxiliar os professores”, finaliza.

As mesas digitais interativas estão em consonância com a proposta curricular da rede, uma vez que a maioria das atividades propostas contemplam os eixos contidos na proposta curricular da política de ensino. Nelas as crianças são protagonistas no processo de aprendizagem, participam ativamente das atividades, de maneira colaborativa. Os professores, que buscavam uma inserção digital nas unidades educacionais, podem configurar atividades e contam com sugestões de encaminhamentos que auxiliam no processo ensino e aprendizagem.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  OS CRIMES DO CONSELHEIRO: O QUE JANOT E FUX CONFIRMARAM, OS JORNALISTAS JÁ MOSTRAVAM
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA