VÁRZEA GRANDE

"Produção Sustentável"

Governador cita ações em prol da Amazônia: “Preservar a floresta é garantir as nossas safras”

Em entrevista à CNN, Mauro Mendes citou que Mato Grosso pode ampliar a produção de alimento sem derrubar nenhuma árvore.

Publicado em

Política

Foto: Assessoria/Divulgação

O governador Mauro Mendes destacou as ações do Estado para preservar a Amazônia, não somente pela consciência ambiental, mas para garantir o volume de produção de alimentos de Mato Grosso, que é a região que mais produz no planeta.

Em entrevista à CNN, na manhã desta terça-feira (04.10), o gestor citou que Mato Grosso é o maior estado produtor do país e, mesmo assim, mantém 62% do território preservado, percentual muito acima dos estados produtores de outros países.

“Nos Estados Unidos, o maior produtor é a Califórnia, que preserva 26%. A China tem a Província de Hubei, que preserva apenas 11%. Se olhar em todos os países, Mato Grosso é um grande produtor de alimentos e, ao mesmo tempo, temos 62% de nosso território preservado”, disse.

Para o governador, a preservação de todos os biomas, especialmente a Amazônia, é fundamental para que Mato Grosso continue a expandir sua produção. Atualmente, o Estado é o maior produtor brasileiro de soja, milho, algodão e etanol de milho, entre outros produtos.

Leia Também:  Stopa acompanha teste com estabilizador de solo nos serviços de tapa buracos

“A Floresta Amazônica é um grande ativo, pois através dela temos um ciclo de chuvas importantes para as nossas duas safras anuais. Preservar a floresta significa garantir a estabilidade do regime de chuvas e a produção de alimentos, que vai crescer muito sem precisar derrubar nenhuma árvore. Poderemos crescer com produtividade, com tecnologia, convertendo áreas de pastagem para o agronegócio e a produção de alimentos”, afirmou.

Mauro Mendes ressaltou as ferramentas de monitoramento que permitem a detecção, em até 48 horas, de qualquer desmate acima de 1 hectare, além do aumento da legalidade no uso das áreas.

“Temos hoje o melhor sistema de monitoramento existente no Brasil. Em até 48h detectamos, autuamos, multamos e embargamos, se necessário, quem comete crimes ambientais. Nós cumprimos a nossa parte no que diz a legislação brasileira. Em 2019, apenas 5% do desmatamento era legal e 95% era ilegal. Nesse ano, 38% já é legal. Ou seja, está crescendo a legalidade e o Governo de Mato Grosso está fazendo uma forte ação para combater a ilegalidade”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Mato Grosso é o terceiro Estado do país com menos pessoas em situação de extrema pobreza

O Estado subiu duas posições em 2021, quando comparado a 2020, e está atrás apenas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Publicados

em

Foto: Jana Pessoa/Secom-MT

Mato Grosso subiu duas posições entre os Estados Brasileiros com menor número de pessoas vivendo na extrema pobreza – isto é, com renda diária abaixo de US$ 1,99 (ou pouco mais de R$ 10 no câmbio desta segunda-feira 05.12) -, ocupando atualmente o terceiro lugar, atrás apenas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2020, o Estado ocupava a quinta colocação, atrás não só Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que mantiveram as primeiras posições, como de Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal, que caíram, respectivamente, para a quinta e sétima posições.

Em relação à região Centro-Oeste, Mato Grosso também subiu duas posições. Enquanto em 2020, estava atrás de Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, em 2021 passou a ser o primeiro com menos pessoas em situação de extrema pobreza.  

Tanto as regiões Sul, em primeiro lugar, quanto a Centro-Oeste mantiveram suas posições em 2020 e 2021, assim como o Nordeste que continua em último lugar no ranking nacional. É também do Nordeste o estado brasileiro com maior percentual de pessoas extremamente pobres – Maranhão.

Leia Também:  Emanuel comemora boa condição financeira do Município

Pelos critérios dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas e recomendações do Banco Mundial, a pobreza extrema é caracterizada por uma renda familiar, per capita disponível, inferior a US$ 1,90 por dia, o equivalente a um rendimento médio mensal de R$ 168 por pessoa em 2021, na conversão pelo método Paridade por Poder de Compra (PPC).

Para o governador Mauro Mendes e a primeira-dama, Virginia Mendes, Mato Grosso galgou estes dois degraus e atingiu tal patamar graças ao apoio a pessoas em situação de extrema pobreza.

“Estamos trabalhando para fazer ainda mais pelos que mais precisam e, por isso, nunca se investiu tanto no social como nesses últimos anos. Todos os programas Ser Família, liderados pela primeira-dama Virginia Mendes de forma voluntária, tiveram um cuidado especial de olhar com carinho para os mais vulneráveis, para garantir segurança alimentar e moradias dignas, além de investimentos em qualificação profissional, para melhorar a renda das famílias”, destacou Mauro Mendes, acrescentando que 19 mil pessoas foram qualificadas para o mercado de trabalho e outras 50 mil novas vagas foram contratadas pelo Estado para 2023.

Leia Também:  Detran-MT reabre mais unidades no Estado a partir de segunda (03)

Segurança alimentar

Em quatro anos, pelo programa Ser Família Solidário, foram distribuídas mais de 1,3 milhão de cestas básicas, em parceria com prefeituras e instituições filantrópicas, para as famílias mais carentes. Esta ação possibilitou alimento na mesa nos períodos mais críticos da pandemia e do pós-pandemia.

Além disso, o Estado implantou o programa Ser Família Emergencial, que beneficiou 100 mil famílias com a entrega de cartões para compra de alimentos. São R$ 200 pagos a cada dois meses.

O governo ainda forneceu mais de 585 mil refeições pelo Restaurante Prato Popular, ao valor de R$ 1, e com marmitas às pessoas em situação de rua, em Cuiabá.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA