VÁRZEA GRANDE

MELHOR ASSISTÊNCIA NA SAÚDE

“Farmacêuticos são importantíssimos também no dia a dia hospitalar”, afirma Pinheiro

Dia 20 de janeiro, é celebrado o Dia Nacional do Farmacêutico. A data evidencia a importância deste profissional na qualidade de vida das pessoas hospitalizadas.

Publicado em

Política

Foto: divulgação SECOM CUIABÁ

Ao parabenizar hoje (20) os farmacêuticos pelo seu dia, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, afirmou que essa categoria profissional é uma das mais essenciais para suprir eficientemente o atendimento prestado pelas unidades de Saúde de Cuiabá e de todos os municípios, país afora.

Daí os incentivos de modernização e ampliação estrutural que sua gestão tem direcionado ao setor de Saúde como um todo, explica Pinheiro, solidificando condições operacionais de forma eficiente e gradualmente ampliada. Também o foco de humanização dos servidores foi citado pelo prefeito.

“Nada mais é do que reconhecimento imperioso ao valor da categoria dos servidores, de uma forma em geral. Cabe ao gestor público proporcionar 100% de condições de trabalho  àqueles que colaboram diuturnamente com a administração do município”.

Sobre os profissionais farmacêuticos, Pinheiro disse que são instrumentos imprescindíveis no equilíbrio também do atendimento hospitalar. E parabenizou extensivamente toda a categoria, incluindo professores e os universitários que objetivam profissionalização futura nessa área.

“O profissional farmacêutico, por excelência, simboliza amparo confiável e imprescindível em setores distintos da Saúde, com gama de atuação extensa. Portanto, além de parabenizá-lo pelo seu dia, aproveito para agradecer aos valorosos colaboradores farmacêuticos que atuam em Cuiabá para a reabilitação plena da saúde dos hospitalizados. Recebam todo o meu carinho e reconhecimento!”

Foto: divulgação SECOM CUIABÁ

Para a Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), que gere o Hospital Municipal de Cuiabá e o Pronto-Socorro “Dr. Leony Palma de Carvalho” (HMC) e o Hospital Municipal São Benedito, sob a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro, esses profissionais são realmente indispensáveis.

Leia Também:  Secretaria municipal lança parceria com Senac para oferecer cursos profissionalizantes

A atuação do farmacêutico hospitalar é sinônimo de qualidade de atendimento ao paciente hospitalizado ou em consulta ambulatorial, visto que, possui capacitação para exercer a assistência farmacêutica e orientar os pacientes quanto ao uso seguro e racional de medicamentos, além de avaliar e prevenir possíveis erros com fármacos, reduzindo assim o uso indiscriminado dos medicamentos e ajudando a salvar vidas.

A farmacêutica e responsável técnica da Farmácia Central da ECSP, Raquell Proença Arantes, que exerce há 19 anos a profissão e atua há seis anos na função, explica como é a atribuição e a composição desses profissionais nos hospitais municipais.

“O farmacêutico hospitalar é responsável pelo controle de estoque e da distribuição de medicamentos e produtos para a saúde, sendo o seu trabalho, fundamental à recuperação ou tratamento dos pacientes. Hoje a equipe é composta por quatro profissionais farmacêuticos no Hospital São Benedito, e uma equipe de onze pessoas no Hospital Municipal de Cuiabá, que atuam no intuito de não haver desperdícios de materiais e medicamentos, e prevenção de perdas por validade”, informou.

Leia Também:  Sonho dos alunos de VG, prefeito anuncia passe estudantil

Segundo o diretor-geral da ECSP, Paulo Rós, a Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) é a mantenedora do estoque de medicamentos e materiais das duas unidades hospitalares, conforme a demanda, assim como a distribuição do estoque para as farmácias centrais, satélite da urgência e emergência do HMC e das farmácias satélites dos centros cirúrgicos do HMC e Hospital São Benedito.

“As farmácias das unidades realizam a dispensação de materiais e medicamentos para os pacientes internados, com tratamento humanizado, preconizado pela gestão Emanuel Pinheiro. Essa ação conta com o apoio dos farmacêuticos, nossos profissionais dedicados que atuam com dedicação, meus parabéns”, enalteceu Rós.

Por Da Redação www.omatogrosso.com c/ Cristiane Guerreiro (Secom/Cuiabá)

FONTE: SECOM/CUIABÁ

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Trabalho do Governo de MT inspira novo ministro dos Transportes

Mato Grosso se tornou referência nacional ao propor o modelo inovador de transferência do controle da BR-163 da Rota do Oeste para o Governo do Estado, por meio da MT Participações e Projetos (MT Par), sociedade de economia mista.

Publicados

em

Divulgação: SECOM MT

A solução inovadora do Governo de Mato Grosso para resolver o entrave da concessão da BR-163, entre Cuiabá e Sinop, está servindo de inspiração para o Governo Federal. O ministro dos Transportes, Renan Filho, estuda utilizar a mesma fórmula adotada pelo Estado, por meio da MT Par, no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

O assunto é destaque no jornal Valor Econômico desta sexta-feira (27.01). A publicação aponta que “o governo federal começou a analisar algumas alternativas para destravar a relicitação de rodovias e aeroportos cujas concessões estão em processo de devolução ao poder público”.

“O repasse das concessões rodoviárias para o Dnit é inspirado no modelo adotado recentemente para a Rota do Oeste, trecho da BR-163 que estava sob administração da Odebrecht e que passou ao controle do governo de Mato Grosso, por meio da MT Participações e Projetos. A estatal assumiu todos os compromissos previstos no contrato original”, escreveu o repórter Murillo Camarotto.

Case de sucesso

Mato Grosso se tornou referência nacional ao propor o modelo inovador de transferência do controle da BR-163 da Rota do Oeste para o Governo do Estado, por meio da MT Participações e Projetos (MT Par), sociedade de economia mista.

Leia Também:  Ação conjunta entre Indea e Mapa apreendeu 4,2 mil toneladas de feijão caupi com resíduos de herbicida

Dos mais de 800 km de rodovia que ligam Mato Grosso de Norte a Sul, a Concessionária Rota do Oeste, que detinha o controle da BR-163 desde 2013, se comprometeu em duplicar 450 km de estrada. No entanto, só entregou 120 km. A via passou, então, a ser conhecida como a “rodovia da morte”, em função do grande número de acidentes que acontecem diariamente no trecho.

A proposta recebeu aval do Tribunal de Contas da União (TCU) e aguarda acordo de renegociação das dívidas da concessionária junto às instituições financeiras para ser selado definitivamente pelo governo.

Confira a íntegra da reportagem do Valor Econômico.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA