VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE (3)

Dono da JBS diz ter pago R$ 7,5 milhões de dívida de campanha de Silval Barbosa

Publicado em

DESTAQUE (3)

Em depoimento à PGR, Wesley Batista disse que Silval estava ‘desesperado’. Empresário também contou ter pago R$ 30 milhões em propina ao então governador.

Da Redação

Em depoimento à Procuradoria-Geral da República, um dos donos da JBS, Wesley Batista, afirmou que pagou uma dívida de campanha do ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB), referente a 2010, no valor de R$ 7,5 milhões. Silval está preso preventivamente desde setembro de 2015 no Centro de Custódia de Cuiabá. Wesley e o irmão, Joesley Batista, também dono da JBS, firmaram acordo de delação premiada durante as investigações da Operação Lava Jato.

A defesa de Silval Barbosa disse que ainda não teve acesso aos depoimentos e que deverá se posicionar depois que isso ocorrer.

Wesley relatou, sem citar a data, que foi procurado por Silval e que o recebeu em casa durante um fim de semana para tratar do assunto da dívida.

“Um dia governador me ligou apavorado que precisava falar comigo urgente (…). Ele estava apavorado porque devia dinheiro a um cara e esse cara tinha tomado dinheiro no banco para emprestar a ele e a dívida do cara tinha vencido no banco e o governador não tinha pago. E o cara tava ameaçando”, contou Wesley à PGR.

Leia Também:  Após goleada em casa, Carlos Barbosa alcança vice-liderança da LNF

Depois, o empresário contou que pagou a dívida porque tinha “um acerto” com Silval Barbosa e que também já tinha feito negócio com a pessoa que estava cobrando o então governador.

“Coincidentemente a gente tinha comprado umas transportadoras e uns ativos frigoríficos dessa pessoa que emprestou dinheiro a ele. A dívida era de R$ 7 milhões, R$ 7,5 milhões. Dele me pedir encarecidamente para pagar esse cara e descontar do acerto que nós tínhamos eu concordei em pagar e fizemos o pagamento e adicionamos isso no preço da transportadora”, relatou Wesley.

O empresário contou ainda à PGR que a JBS pagou R$ 30 milhões de propina a Silval Barbosa, em troca da concessão de créditos de ICMS no valor de R$ 70 milhões para a empresa. Wesley disse que foram pagos R$ 10 milhões por ano em 2012, 2013 e 2014.

Silval Barbosa está preso acusado de ter recebido propina para conceder benefícios fiscais a empresas por meio do programa Prodeic. O caso foi investigado pela Delegacia Fazendária, durante a operação Sodoma, e tramita na Vara Contra o Crime Organizado de Cuiabá.

Leia Também:  Bolsonaro convida Temer para chefiar missão humanitária no Líbano
Fonte: G1
COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE (3)

População deve regularizar dados do CPF antes de solicitar a Carteira de Identidade Nacional

O número do Registro Geral foi substituído pelo número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), tornando-se o principal dado do documento.

Publicados

em

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Com a implantação da Carteira de Identidade Nacional (CIN), o número do Registro Geral foi substituído pelo número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), tornando-se o principal dado do documento. Por esta razão, a população deve se atentar para a consulta da situação cadastral e conferência dos dados perante à Receita Federal antes de solicitar o documento.

Apesar da mudança de modelo da carteira de identidade, a atualização somente passará a ser obrigatória apenas em 2032. Desta forma, quem ainda tem o documento de identificação dentro do prazo de validade (10 anos), não precisará fazer a atualização de forma imediata.

A consulta da situação do CPF é simples, e pode ser feita através do site da instituição, na aba “meu CPF’’, onde deve ser informado o número do cadastro e a data de nascimento. Durante a consulta é preciso verificar se os dados cadastrais correspondem às informações da certidão de nascimento ou casamento, como nome e sobrenome e data de nascimento.

Caso o sistema constar alguma irregularidade, divergência ou suspensão, a pessoa não poderá concluir a solicitação da CIN no primeiro atendimento. “A primeira etapa da solicitação da CIN no sistema de identificação civil é o preenchimento do número do CPF. Caso o número esteja regular, nós conseguimos avançar para as próximas etapas. Antigamente, os nomes poderiam estar com alguma divergência no cadastro da Receita Federal que não interferiam na solicitação do RG, porém agora com o novo modelo de identidade, o sistema não aceita as informações divergentes entre as bases de dados tanto do CPF quanto das certidões’’, explicou o Gerente de Identificação Civil da Politec Elthon Teixeira.

Leia Também:  Criminosos encapuzados espancam vigilante em Sinop

A Delegada Adjunta da Receita Federal, Simone Chiosini Sanches, orienta que caso o CPF não esteja regular, ou os dados divergentes, a pessoa precisa buscar a regularização junto à Receita Federal. “É importante as pessoas se anteciparem, pois ela não sabe como está a situação cadastral, e procura diretamente o posto de identificação e o processo da emissão da CIN pode ser demorado”, destacou.

A regularização das informações cadastrais é feita gratuitamente, de forma presencial, nos postos de atendimento da Receita Federal, ou através do site da instituição, clicando em “Meu CPF”, acessar o serviço “atualizar CPF” e expandir o item “etapas para realização do serviço’’. Em seguida, para alterar os dados cadastrais do CPF com situação regular, clique em “alterar CPF”. Ou, para o CPF com situação suspensa, clique em “Regularizar CPF”.

Na maioria das vezes a atualização do CPF pelo site corrige as informações na hora, mas, se ao final do procedimento for gerado um protocolo de atendimento, é preciso enviar os seguintes documentos à Receita Federal para finalizar o serviço, como: foto de rosto (selfie) segurando o próprio documento de identidade, certidão de nascimento ou casamento, título eleitoral ou comprovante de alistamento eleitoral e comprovante de endereço. O e-mail para atualização do CPF deve ser enviado par o endereço [email protected]

Leia Também:  Tesouro pede menos gastos para conter alta da dívida pública

Informações sobre a obtenção só CPF e as unidades de atendimento podem ser consultados no site da Receita Federal.

Fonte: SECOM MT

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA