VÁRZEA GRANDE

Política

Decreto nº 8.684 mantém medidas contra a Covid-19 até o dia 25 de outubro

Entre as medidas mantidas em vigência está, por exemplo, a restrição a locomoção (toque de recolher) em Cuiabá, no período de 2h às 5h.

Publicado em

Política

Foto: Luiz Alves

Respeitando apontamentos técnico-científicos que visam combater a disseminação da Covid-19, o prefeito Emanuel Pinheiro editou um novo decreto prorrogando a validade das medidas preventivas em vigor na Capital. O documento, de número 8.684, circulará na Gazeta Municipal de segunda-feira (18) e passa a valer imediatamente a partir da publicação. 

Entre as medidas mantidas em vigência está, por exemplo, a restrição a locomoção (toque de recolher) em Cuiabá, no período de 2h às 5h. As determinações do Decreto nº 8.684 são válidas do dia 18 de outubro de 2021 até o dia 25 do mesmo mês, podendo ser estendidas ou alteradas, conforme o monitoramento da pandemia em nível municipal. 

Ao optar pela prorrogação das medidas preventivas, o prefeito Emanuel Pinheiro enfatiza que o ato reforça o comprometimento da gestão do Município com a preservação da saúde da população cuiabana. Além disso, destaca que o Plano Municipal de Imunização está em pleno andamento, alcançando a marca de mais de 700 mil doses de vacinas aplicadas. 

“Desde que fomos atingidos pela pandemia, sempre frisei que a preservação da vida da nossa gente era a prioridade. Ouvindo profissionais da saúde, conseguimos aos poucos retomar a nossas atividades, sempre respeitando os devidos cuidados. Estamos vencendo essa guerra, mas ela ainda não acabou. Por isso, precisamos continuar atentos”, pontua Pinheiro. 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Chuva intensa faz barranco desmoronar na Rodovia MT 251
Propaganda

Política

Ministro afirma que recuperou parte do orçamento da Ciência e Tecnologia

Pontes comentou sobre a importância do Auxílio Brasil incluir uma Bolsa de Iniciação Científica Júnior para alunos que se destacam em olimpíadas científicas.

Publicados

em

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasi

Durante uma entrevista para o programa A Voz do Brasil, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, disse que espera conseguir recuperar parte do orçamento da pasta que havia sido contingenciada na proposta de Orçamento de 2022. “Conversei com o ministro da Economia Paulo Guedes, com a ministra da Secretaria de Governo Flávia Arruda também, e dessa reposição do Orçamento da pasta e tinha ficado estabelecido algo em torno de R$ 300 milhões”, disse Pontes.

Segundo o ministro, parte destes R$ 300 milhões deve entrar na semana que vem. “R$ 151 milhões, que já é um recurso que nós vamos utilizar para operacionalizar uma parte, já foi feito o edital, das bolsas do chamado Universal, que irriga a pesquisa brasileira e é extremamente importante”.

Pontes comentou sobre a importância do Auxílio Brasil incluir uma Bolsa de Iniciação Científica Júnior para alunos que se destacam em olimpíadas científicas. O ministério tem atualmente 62 olimpíadas científicas e alunos brasileiros têm conquistado prêmios não apenas nas competições nacionais, mas também nas internacionais.

“Certamente isso vai trazer para os pais a certeza que investir na educação, colocar os filhos para estudar, é uma coisa que vale a pena para o futuro deles e vale a pena para o presente em termos de renda”, disse. Pontes explicou que a bolsa de iniciação científica traz a “metodologia científica” para a vida destes estudantes e disse que está comprovado, por meio de estudos, que “alunos que participam da iniciação científica têm muitos melhores resultados na educação e na vida profissional depois.”

O ministro também falou sobre a plataforma Adapta Brasil, lançada no mês passado e que consolida, integra e dissemina informações sobre os impactos das mudanças climáticas no território nacional.  “Nós fizemos um teste primeiro com algumas cidades do Brasil e, agora, [a plataforma] já está disponível para todos os municípios brasileiros. É um auxílio aos gestores. Você consegue através dessa ferramenta fazer análises de curto prazo, de médio prazo e até de longo prazo, em muitos casos, socioeconômicas e as influências da meteorologia e das mudanças climáticas para aquela região, tanto numa perspectiva otimista, quanto da mais pessimista”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  STJ nega pedido de Lula para suspender julgamento do sítio de Atibaia
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA