VÁRZEA GRANDE
Pesquisar
Close this search box.

Política

Comissão de Segurança cobra nomeação de concursados e atendimento psicológico a servidores

Publicado em

Política

A Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) apreciou 20 projetos de lei durante reunião ordinária realizada na tarde desta terça-feira (31), dos quais 16 tiveram pareceres favoráveis aprovados.

Entre os projetos que tiveram pareceres favoráveis aprovados, estão o PL 1628/2023, de autoria da deputada Janaina Riva (MDB), que cria o Programa de Defesa Pessoal e Prevenção Contra Atos de Violência Domésticas no âmbito do estado de Mato Grosso, e o PL 432/2021, do deputado Dr. Eugênio (PSB), que dispõe sobre a prioridade dos procedimentos investigatórios na apuração dos crimes considerados hediondos e dos crimes que resultem morte que tenham como vítimas crianças e adolescentes

Na lista consta ainda o PL 1566/2023, apresentado pelo deputado Elizeu Nascimento (PL), que estabelece providências quanto às prisões cautelares e ao cumprimento de pena dos guardas civis municipais e demais agentes de segurança pública municipal, recolhendo-os a estabelecimentos especiais, separados dos demais custodiados.

“Esse projeto de lei garante aos guardas municipais, a exemplo dos demais membros da segurança pública, um tratamento especial em caso de prisão ou detenção, para evitar qualquer tentativa contra suas vidas por parte de outros detentos, muitas vezes criminosos ou faccionados. Esse é um risco que existe devido à natureza das funções que eles exercem, como prisões e apreensões de veículos”, argumentou o parlamentar, que preside a Comissão de Segurança Pública e Comunitária.

Leia Também:  Campanha arrecada absorventes para mulheres e meninas vítimas de violência

Foram aprovados pareceres contrários aos projetos de lei 1749/2023, 1673/2023, 1439/2023 e 851/2023.

Concurso público – Durante a reunião, Elizeu Nascimento cobrou uma resposta do governo do estado em relação ao cronograma de convocação dos aprovados no concurso público para soldado da Polícia Militar de Mato Grosso (PMMT). No dia 20 de outubro, o parlamentar realizou audiência pública para discutir o assunto. Cerca de 1,5 mil pessoas aguardam nomeação.

Elizeu defendeu a convocação dos aprovados para suprir a demanda de efetivo da categoria. “Hoje nós temos um déficit na nossa gloriosa Polícia Militar, então o que nós buscamos é repor o efetivo que foi perdido durante o tempo que ficamos sem os concursos públicos”, frisou.

O deputado informou ainda que está aguardando reunião com o governador Mauro Mendes para tratar do assunto.

Atendimento psicológico – O presidente da Comissão de Segurança também chamou a atenção para a necessidade de disponibilização de atendimento psicológico aos profissionais da Segurança Pública de todo o estado.

Segundo ele, o serviço ofertado atualmente é insuficiente para suprir a demanda. “O desgaste físico e mental dentro das instituições, em especial a Polícia Militar, é muito grande. A sobrecarga de trabalho é imensa e a falta de efetivo é um dos fatores que agravam a situação, por esse motivo a nossa preocupação sobre a convocação dos candidatos aprovados. São muitos os fatores que geram um desgaste físico e emocional e isso está afetando a instituição, afetando os profissionais a ponto de alguns tirarem a própria vida ou a vida de colegas de trabalho. Não podemos mais admitir que esses tipos de tragédias aconteçam e nenhuma providência seja tomada”, declarou.

Leia Também:  Fiscais identificam estabelecimentos comerciais impedidos de funcionar na quarentena

Participaram da reunião os deputados Elizeu Nascimento, Beto Dois a Um (PSB) e Diego Guimarães (Republicanos).

Fonte: ALMT – MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Mauro Mendes: Não podemos aceitar que empresas de fora, ou brasileiras, desrespeitem nosso Código Florestal

Defesa veemente do governador Mauro Mendes ocorreu durante evento promovido pela CNI, no âmbito da COP 28.

Publicados

em

Secom - MT

O governador Mauro Mendes (União) defendeu rigorosamente que as empresas estrangeiras e brasileiras respeitem o Código Florestal e não adotem iniciativas que imponham restrições aos produtores rurais de nosso país, a exemplo da moratória da soja e da carne.
Defesa veemente do governador Mauro Mendes ocorreu durante evento promovido pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), no âmbito da 28ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP 28.
A moratória restringe a compra de soja e carne de produtores mato-grossenses, que abriram áreas legalmente a partir de 2008. Algumas empresas exportadoras tem adotado a prática por pressão de países da Europa, que é concorrente do Brasil na produção de alimentos.
“Não podemos aceitar que algumas empresas mundiais, até mesmo brasileiras, estabeleçam regras e normas que desrespeitem as leis brasileiras, o Código Florestal brasileiro, que é um dos mais requintados, sofisticados, robustos e restritivos mecanismos de proteção ao meio ambiente de nosso país”, pontuou.
Mauro explicou que a absoluta maioria dos produtores de Mato Grosso age na legalidade, abrindo áreas apenas dentro do perímetro permitido. No caso das áreas na Amazônia, por exemplo, o produtor só pode usar 20% da sua propriedade e precisa manter os 80% restantes inteiramente preservados.
“Há empresas que não estão respeitando isso e tentam estabelecer regras muito mais restritivas do que aquilo que está na lei. Muitas consequências dramáticas já estão acontecendo, com produtores vivendo a incerteza da venda daquilo que produzem. E mais consequências poderão acontecer se essas empresas não respeitarem o Código Florestal brasileiro e os marcos estabelecidos pela nossa legislação”, afirmou, endereçando a fala ao presidente da Câmara, Arthur Lira, para que possa travar esse debate no Congresso Nacional.
Também participaram do evento: Ricardo Alban, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI); Saleh Ahmad Salem Alzaraim Alsuwaidi, embaixador dos Emirados Árabes Unidos no Brasil; deputado federal Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados; senador Veneziano Vital do Rêgo, vice-presidente do Senado Federal; Sidney Leon Romeiro, embaixador do Brasil nos Emirados Árabes Unidos; Osmar Chohfi, presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira; Helder Barbalho, governador do Pará; César Miranda, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso; Paulo Araújo, deputado estadual; e Silvio Rangel, presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso.

Leia Também:  Com gestão exemplar de Mauro Mendes, Mato Grosso é referência em nível nacional

 

 

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA