VÁRZEA GRANDE

Troca de comando do 4º Batalhão em Várzea Grande

Kalil Baracat recebe homenagem e reafirma parceria institucional

O tenente-coronel Jean Klebber Brito Silva assumiu o comando do 4º BPM, que ficou cinco anos sob o comando do então tenente-coronel Januário Antônio Edwiges Batista, agora promovido a coronel

Publicado em

Polícia

Foto: Secom VG

“Reafirmo aqui a parceria da Prefeitura Municipal com a Polícia Militar do Estado de Mato Grosso. A Prefeitura está à disposição para trabalharmos juntos, seja com a Guarda Municipal de Várzea Grande seja com todo o Poder Público. Eu, enquanto representante do Executivo Municipal, tenho o maior respeito com a instituição da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso. E saibam que enquanto gestor público da cidade de Várzea Grande vou sempre trabalhar em parceria, avançando na infraestrutura da cidade, na iluminação pública, maneiras de contribuir com a segurança pública. O objetivo final é fazer o bem à cidade de Várzea Grande e ao cidadão várzea-grandense”.

A declaração é do prefeito Kalil Baracat, durante a solenidade de passagem de comando do 4º Batalhão de Polícia Militar que ocorreu no auditório do Senai, na tarde de 21 de setembro, em Várzea Grande. O tenente-coronel Jean Klebber Brito Silva, de 43 anos, assumiu o comando do 4º Batalhão de Polícia Militar que ficou sob o comando do então tenente-coronel Januário Antônio Edwiges Batista por cinco anos. No último dia 03 de setembro, o militar foi promovido ao cargo de coronel. Com a promoção do coronel Januário, a unidade do 4º BPM ficou sob a coordenação do tenente-coronel Jean Araújo de Lima que passou o comando do 4º Batalhão para o tenente-coronel Jean Klebber Brito.  

Na ocasião o prefeito Kalil Baracat foi homenageado com a Moeda Honorífica da instituição. “É motivo de honra receber essa homenagem, quero parabenizar o comandante que deixa o cargo e o que assume. Desejo boa sorte e reafirmo aqui: contem com o Poder Público. Deixo aqui também o abraço do senador Jayme Campos que não pode estar presente e pediu para representá-lo neste momento ímpar. Fica aí o carinho e o respeito desse homem público que ama Várzea Grande incondicionalmente”, pontuou Kalil.

Foto: Secom-VG

Para o comandante geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso Cel PM Jonildo José de Assis, as parcerias também são importantes para a segurança pública da sociedade.  “Gostei bastante das palavras do Chefe do Executivo e acredito também nessa parceria da Polícia Militar com o Poder Público Municipal, com o Poder Legislativo e tenho certeza que ajudaremos o prefeito Kalil a fazer o bem. Agradeço também ao grande político várzea-grandense, Jayme Veríssimo de Campos, a lembrança, o apoio e as palavras de bem para com a nossa cidade. Contem com a Polícia Militar e essa parceria renderá muitos frutos positivos para nossa sociedade”.

Em sua despedida, o coronel Januário Batista destacou a produtividade da unidade e agradeceu à tropa pelo empenho para reduzir os índices criminais da região. “Nossa equipe provou o que é ser operacional. A cada dia conquistamos confiança e os indicadores foram despencando. Por três meses não houve um homicídio em VG. Agradeço os policiais por se empenharem em ações preventivas como o 4º Bravo Lutas que atende 160 crianças e adolescentes e o Pedal do 4º Bravo, que gerou uma aproximação importante com a população”,  agradeceu o coronel.

O 4º BPM possui 185 policiais e atua com o policiamento ostensivo e ações preventivas de segurança pública. O novo comandante, tenente-coronel Jean Klebber Brito, é cuiabano e ingressou nas fileiras da PMMT no ano de 1997. O militar é formado no Curso de Oficiais da PM, possui graduação em Direito pela Universidade de Cuiabá, formação de motociclistas e escolta, curso de atualização jurídica em direito público e penal, formação de uso progressivo da força estágio avançado, dentre outras especializações.

A troca de comando do 4º Batalhão reuniu autoridades civis e militares. Também foram homenageados os secretários municipais de Governo, Benedito Gonçalo de Figueiredo; de Defesa Social Cel Alessandro Ferreira da Silva e a vereadora por Várzea Grande Rose Prado.  

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Polícia Civil esclarece furto de gado com prisão de suspeito e identificação de associação criminosa
Propaganda

Polícia

Polícia Civil indicia 25 criminosos por vários crimes na região metropolitana

Nas duas fases da operação, o objetivo do trabalho da DERFVA foi atuar na descapitalização e desmantelamento da organização criminosa.

Publicados

em

Foto: PJC/MT

Investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERFVA), que culminaram em duas fases da Operação Imperial, identificaram em 30 procedimentos instaurados na unidade a autoria de diversos crimes que envolvem, especialmente, roubos e adulterações de veículos praticados na região metropolitana de Cuiabá, além de estelionatos conexos aos roubos. 

Nas duas fases da operação, o objetivo do trabalho da DERFVA foi atuar na descapitalização e desmantelamento da organização criminosa. Para chegar aos autores e na responsabilização criminal de cada integrante, a delegacia reuniu uma farta documentação durante a investigação e também nas fases da Operação Imperial, quando foram cumpridas 84 ordens judiciais decretadas pela 7a Vara de Cuiabá, entre mandados de prisões, buscas e apreensões e medidas cautelares diversas contra a organização criminosa, além do sequestro de valores de contas bancárias e investimentos dos investigados. 

“Isso tudo estruturado em uma organização, com divisões de funções para cada integrante, cujo único objetivo era obter lucro com as ações criminosas”, apontou o delegado Gustavo Garcia, titular da DERFVA. A investigação identificou que o grupo criminoso foi estruturado para atuar em três frentes diferentes. Uma era responsável por executar os roubos e providenciar a estrutura para que os roubos fossem efetivados, como locação de residências, emprego de veículos locados e roubados para apoiar outras ações criminosas. Outra frente criminosa era responsável pela adulteração dos veículos roubados, que depois eram colocados à venda em sites de comércio eletrônico, e estelionatos praticados pela organização. A terceira frente executava a lavagem de dinheiro. 

Investigados e apreensões 

Ao longo das investigações que vem desde 2018, o trabalho das equipes da unidade especializada conseguiu apurar o envolvimento de 25 integrantes do grupo em diversos crimes, entre eles em 22 roubos, cinco estelionatos, três usos de documentos falsos, três crimes de falsidade ideológica e ainda lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Parte dos integrantes, 13 criminosos, foi presa durante as fases da Operação Imperial, e três deles estão foragidos. Três mulheres envolvidas com o grupo criminoso estão em cumprimento de medida cautelar de monitoramento eletrônico. Durante as fases da Operação Imperial foram apreendidos 36 veículos, sendo 30 carros, cinco motocicletas e uma motoaquática (jet ski). Vinte e seis aparelhos eletrônicos, entre celulares, notebooks e Ipad, e sete armas de fogo foram recolhidos durante cumprimento de mandados judiciais. 

Além dos crimes diretamente ligados ao roubo de veículos, os criminosos agiam ainda no tráfico de drogas na modalidade escambo  (troca de veículos, objetos de roubo/furto por entorpecentes) e receptação. 

O resultado das operações de crimes de roubos e furtos de veículos se reflete também nos índices criminais. A região metropolitana da Capital registrou neste ano queda nas ocorrências, sendo 63% nos roubos e 31% nos furtos de veículos em Cuiabá. Em Várzea Grande, os índices de roubo diminuíram 39% e os de furto 25%, respectivamente.

Além da desarticulação do grupo criminoso, a investigação atuou na apreensão de veículos e valores movimentados pela organização criminosa, atingindo o esquema financeiro do grupo, que foi o foco da primeira fase da operação. 

“Buscamos realizar uma investigação para identificar terceiros ligados à organização criminosa, que tinham a função de ocultar bens e valores dos roubos, estelionatos e crimes conexos. Desta forma, damos uma resposta à sociedade, reduzindo a sensação de insegurança e promovendo uma repressão qualificada, que colabora na redução dos índices criminais”, pontuou o delegado.

Leia Também:  Com habilidade política e administrativa Blairo Maggi e Michel Temer são cogitados em Brasília

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA