VÁRZEA GRANDE

Laudo Afirma

Homem que matou e tirou coração da tia tem transtorno bipolar

Publicado em

Polícia

Foto: Portal Sorriso

Laudo pericial constatou que Lumar Costa da Silva, de 28 anos, que matou e arrancou o coração da tia, Zélia da Silva, de 55 anos, em julho de 2019, na cidade de Sorriso, a cerca de 394 KM de Cuiabá, sofre de transtorno bipolar tipo 1. O rapaz retirou o coração da vítima e o entregou para a filha dela em uma sacola.

Para que o criminoso pudesse der julgado, a justiça estadual aguardava o terceiro laudo sobre seu estado de saúde. No primeiro laudo confirmou que o assassino tem transtorno bipolar, porém não foi concluído. Ai foi elaborado um segundo, mas a justiça entendeu que esse era uma “cópia” do primeiro, e ainda não respondeu as interrogações do magistrados, além de não apresentar nenhuma conclusão.

No segundo laudo citava que Lumar poderia ter uma patologia, além de relatar, que o profissional de saúde que lida com a custódia poderia ser mais exato no diagnóstico.

Já o terceiro laudo é do médico psiquiatra forense Rafael de Paula Giusti. O atual doutor diz, que segundo as diretrizes da 5° edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), o Lumar tem características dessa doença.

Esse terceiro laudo diz, que “um comprometimento com humor expansível, autoestima grandiosa e atenção a atividades exacerbadamente aumentadas em um período onde apresenta-se mais loquaz que o habitual, seguidos por um período onde há a presença de um humor deprimido associado a sentimentos de inutilidade e pensamentos de morte caracteriza a doença Transtorno Afetivo Bipolar tipo I”.

De acordo com o exame, nos vários tipos do transtorno bipolar, existe um comprometimento do juízo, da crítica e do autocontrole do paciente. Também podem ser observadas alterações ligadas ao aumento de impulsividade, podendo ter um comportamento incisivo e agressivo, nessa síndrome.

O número de crimes violentos em pacientes com transtorno bipolar foi duas vezes maior do que o ocorridos na população em geral.

O assassino e paciente contou ao psiquiatra que fazia o uso de substâncias psicoativas como o LSD. Pacientes que possuem esse tipo de transtorno e faz o uso dessas substâncias têm 10 vezes mais probabilidade de cometer crimes violentos em comparação com a população geral.

Na conclusão do laudo afirma, que “não restam dúvidas que o periciando padeça de Transtorno Afetivo Bipolar, conforme descrito anteriormente. E é inevitável considerar que o fato do periciando ter feito uso de substancias alucinógenas no dia do crime contribuiu para agravamento do quadro do humor e desenvolvimento dos sintomas psicóticos relatados.

Segundo o laudo, Lumar precisa de tratamento psiquiátrico por tempo indeterminado.

Em 10 de julho de 2019, ele prestou depoimento na Polícia Civil e, ao sair, afirmou à imprensa que ouviu ‘vozes’ do universo que o orientaram a cometer o crime. “Eu matei e não me arrependo. Eu ouço o universo, o universo fala comigo sempre e me disse: mata ela logo, ela tem que morrer”, afirmou.

No dia 17 de julho do mesmo ano, o rapaz foi transferido do Centro de Ressocialização de Sorriso para a Penitenciária Osvaldo Florentino Leite Ferreira (conhecida como Ferrugem), em Sinop, a 503 km da capital. Lumar tentou ainda enforcar um preso durante sua transferência.

O jovem mudou para Sorriso depois de tentar matar a mãe dele em Campinas (SP). Na época o delegado André Ribeiro classificou rapaz como ‘repugnante, monstro e perturbado’. Lumar é técnico em redes de sistema e morava no interior de São Paulo

A Polícia Civil informou, que Lumar chegou a Mato Grosso no fim de junho para morar com a tia. No mesmo dia em que chegou, o rapaz entregou currículos na cidade. A família diz que ele é considerado uma pessoa inteligente e fala duas línguas.

Maria Zélia abrigou o sobrinho, mas o suspeito também começou a causar problemas para a família em Mato Grosso. Ela sabia do desentendimento com a mãe dele em São Paulo. O comportamento dele teria mudado, conforme familiares, depois da briga com a mãe.

Outro motivo que contribuiu para a decisão de Maria Zélia foi a de que o Lumar é usuário de drogas e estava consumindo os entorpecentes na sua residência. Religiosa, a vítima se sentia incomodada com as atitudes do sobrinho.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Motorista é preso por crime ambiental transportando 250 estacas de angico
Propaganda

Polícia

Homem é preso por ameaçar e trancar esposa dentro de casa

A vítima relatou ainda que o suspeito guardava uma espingarda dentro de um dos quartos da casa

Publicados

em

A Polícia Militar libertou uma mulher mantida em cárcere privado pelo marido, no bairro 23 de setembro, em Várzea Grande. O homem de 33 anos foi preso por ameaça, posse irregular de arma de fogo, sequestro e cárcere privado.

Os policiais foram acionados, via 190, para verificar uma ocorrência em que uma mulher estaria sendo mantida em cárcere privado e ameaçada pelo marido. De imediato, a PM foi até a residência e libertou a mulher. A vítima contou que o marido a proibiu de sair para ir ao banco resolver assuntos financeiros. Ela disse que ao se arrumar para sair, o suspeito fez ameaças a ela dizendo que “se ela montasse na motocicleta iria derrubá-la e colocar fogo no veículo dela, e que ela não sairia para lugar nenhum”.

A vítima relatou ainda que o suspeito guardava uma espingarda dentro de um dos quartos da casa. Os policiais fizeram buscas no imóvel e localizaram a arma de fogo de pressão adaptada para calibre 22 e uma caixa contendo 50 munições. O homem recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Judiciária Civil.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PM prende dois jovens com 425 munições e cinco armas de fogo
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA