VÁRZEA GRANDE

Opinião

Maio: 150 anos de Várzea Grande 

Publicado em

Opinião

 

Por: Elizeu Silva 

Este mês Várzea Grande adiciona mais uma velinha em seu ciclo de existência. No dia 15 de maio a nossa “VG” – como é carinhosamente chamada por aqueles que nela residem ou a admiram, completa 150 anos de sucessivas transformações: poucas delas descritas em minutos bons, contudo; muitas outras em horas, dias, meses, anos e décadas ruins.

Várzea Grande está situada apenas sete quilômetros de Cuiabá e mesmo com essa conurbação a capital (separadas apenas pelo Rio Cuiabá), políticos e grande parte de seus habitantes não conseguiram acompanhar um raciocínio mais apurado de gestão, seja do cuiabano nato ou daqueles que migraram acolá somando ao progresso do lugar. Prova clara disso se vê no pífio crescimento urbanístico de Várzea Grande. Ela se agoniza em velhos empreendimentos construídos de maneira horizontal, inversamente percebido do outro lado do rio, hoje com seus prédios imponentes mostrando a face do desenvolvimento.

A classe política que sempre esteve à frente da administração municipal várzea-grandense foi incapaz de desenvolver a infraestrutura do lugar, dando transporte de massa e de qualidade a população, saúde, saneamento básico, iluminação, educação, urbanização e até mesmo estímulo para o desenvolvimento de alguma atividade vocacional da localidade. Sem planejamento estratégico e participativo, atrelado ao despreparo administrativo de décadas, políticos locais sequer conseguiram enxergar e tirar proveito das portas de entradas ao desenvolvimento que o município tem a oferecer. Uma dessas portas é o nosso Aeroporto Marechal Rondon – fator primordial a potencialidade da cidade em gerar tráfego e lucro, tanto para as empresas aéreas bem como para os vários segmentos produtivos no município, já que um aeroporto oportuniza atuação de vários negócios na cidade. Potencializa também várias cadeias produtivas e cria uma mobilidade grandiosa local.

Leia Também:  É preciso ter coragem para ser você

Ora! Não somente o aeroporto poderia tá exercendo influencia no desenvolvimento de Várzea Grande e região, como da mesma forma, as rodovias. Afinal, em solo várzea-grandense se entrelaçam três importantes corredores BRs: 163, 364 e 070 (Trevo do Lagarto). Com todos esses meios e caminhos de locomoção, somado a velocidade, agilidade e conectividade, Várzea Grande jamais deveria perder status de cidade industrial. Ela deveria ser a propulsora de desenvolvimento econômico atraindo empreendimentos ligados à logística e a um grande complexo industrial sensível ao tempo de fabricação, comércio e suprimento, telecomunicações, hotelaria, entretenimento, enfim, comercio global já que estamos próximos aos maiores produtores de grãos do país.

Parada no tempo, Várzea Grande se assemelha a Cuiabá apenas no crescimento populacional tornando o segundo município mais populoso de Mato Grosso (ficando atrás justamente de Cuiabá). Tal crescimento desordenado e a ausência do Poder Público vêm tornando Várzea Grande inóspita, dando a vazão das boas características de lugar receptível e alegre.

Pesquisa divulgada pela empresa de consultoria Macroplan em março deste ano apontou Várzea Grande como a 5ª pior cidade brasileira para se viver. Os números também indicaram Várzea Grande como a 8ª pior cidade em oferecimento de serviços públicos de qualidade. Diante dessas mazelas administrativas digo: Amo “VG”, mas sou obrigado a recorrer ao velho ditado popular e admitir que Várzea Grande cresce, porém como rabo de cavalo; pra baixo.

Leia Também:  Comunicação na política: como manter as relações

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Opinião

Quem nunca fez dieta após a virada do ano?

Publicados

em

Foto: Assessoria/Divulgação

Que atire a primeira pedra quem nunca fez uma dieta após as festas de final de ano! É clichê mas é ao mesmo tempo muito atual. No final do ano várias promessas são feitas e com certeza cuidar da saúde sempre está na lista. Mas a que custo?

Às vezes esse desespero pela boa forma é tão grande que leva a procura de dietas milagrosas que na maioria das vezes traz mais danos que benefícios. A sensação de que estamos pesados, de que estamos intoxicados e até mesmo com a auto estima abalada favorece as tomadas de decisões impensadas com foco só na balança.

As dietas na maioria são muito restritivas e com isso comprometem o fornecimento de nutrientes, dificultando o metabolismo por falta de matéria prima para as atividades, incluindo a queima de gordura.

Sim, é isso mesmo que você leu: emagrecer depende de comer com qualidade e não somente diminuir quantidade. Restrição calórica é diferente de déficit calórico. Quantas dietas com baixa calorias você já fez? e porque está aqui lendo este artigo? Se dietas funcionassem provavelmente vc já fez algumas não estaria em busca de nenhuma mais.

Leia Também:  PM fecha ‘escritório’ de falsificação do crime em Várzea Grande

Existe uma taxa de calorias necessárias para o desenvolvimento das atividades basais e isto merece ser respeitado para uma perda progressiva de gordura corporal. As dietas milagrosas prometem perda de peso, quando na verdade só se consegue na maioria, apenas uma desidratação temporária.

Sabia que os primeiros quilos perdidos correspondem à água? A queima de gordura é mais demorada porque o corpo se adapta para não perder gordura. Perder peso exige constância! Constância em montar um prato saudável, com mais alimentos in natura (da feira), constância em se mexer diariamente, constância em preservar as horas de sono, constância em aliviar estresse de forma correta e não somente cortar calorias.

O processo do emagrecimento duradouro começa com mudanças de comportamento. A obesidade para ser tratada exige muito mais de terapia comportamental do que redução de comida pura e simples. A forma como você lida com a comida faz toda diferença na perda de peso e na manutenção de um estilo de vida saudável.

As dietas milagrosas têm prazo para começar e terminar e normalmente terminam quando a sua saúde já piorou um tanto com essas restrições. Se posso te ajudar? Comece a sua lista de promessas para o próximo ano, com a busca por um nutricionista que não só calcule dieta mas que te ensine estratégias para comer melhor a cada dia para que no final do próximo ano, você nem se preocupe com este assunto e apenas recomece a vida com a mesma tranquilidade que terminou os 365 dias.

Leia Também:  Diagnóstico da Sedec aponta grande potencial de expansão de piscicultura em Mato Grosso

A melhor dieta é aquela que você consegue executar. Tudo é difícil! Portanto não é da blogueira, não é da capa da revista, não é a da vizinha.

Existem particularidades que devem ser levadas em conta na hora de começar um processo de perda de peso.

Eu prefiro chamar isto de mudança de estilo de vida em busca de qualidade de vida. Ao contrário das dietas, esta mudança não tem prazo para terminar. Busque ajuda e comece este ano uma nova vida mais coerente e leve!

Ira Soraya C. Arruda é nutricionista e integra a equipe multidisciplinar do IGPA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA