VÁRZEA GRANDE

Opinião

Dicas de final de ano para o consumidor

Publicado em

Opinião

Com a chegada do fim do ano e com ele há um aumento significativo na procura por presentes para o Natal e Ano Novo.  E para evitar possíveis problemas nas compras, vamos dar algumas dicas importantes para orientar o consumidor na hora de comprar os presentes.

Com a pandemia cresceu muito as compras on-line e neste fim de ano essa modalidade de compra continua em alta, tendo vista a comodidade, no entanto o consumidor deve estar atento a algumas situações.

Um ponto importante na hora de realizar a compra on-line é a segurança é recomendado utilizar uma máquina com antivírus. Outra dica é sempre digitar o endereço do site no navegador de internet. Antes de fornecer os dados, verifique se o endereço do site começa com https://.

Busque informações a respeito do site, se possui CNPJ, email e telefone

Outro ponto também importante é a respeito da garantia, pois compra realizada on-line (fora do estabelecimento comercial) possui o direito de arrependimento o prazo é de 07 dias após o recebimento do produto.

Ao receber o produto confira no ato da entrega se não há violação, se o produto não veio com defeito, pois se houver você deve recusar a entrega por este motivo imediatamente  notifique o vendedor/fornecedor do ocorrido.

O prazo para troca de produtos com defeito são os mesmos utilizados na compra presencial.

Nas compras realizadas em loja física o consumidor deve ter atenção analisar com cuidado o produto, pois a garantia nos casos de tamanho, cor, modelo ou arrependimento não pode ser exigido do fornecedor/comerciante, a garantia nesses casos se referem ao produtos com defeito com prazo de 30 dias para bens não duráveis e 90 dias para bens  duráveis.

O comerciante não é obrigado a realizar  parcelamento de compras sendo essa  uma faculdade, não sendo obrigado a fazê-lo sem juros. Caso o parcelamento tenha juros fique atento à taxa cobrada.

Muitas lojas cobram valores diferentes entre pagamento em dinheiro, débito ou crédito. Com advento da lei  13.455/17 essa prática passou a ser legal.

O consumidor deve exigir o preço mais baixo em caso de diferença. O fornecedor deve cumprir toda informação ou publicidade, inclusive o preço de prateleira, que é considerado parte integrante do contrato.

Exija a nota fiscal do produto e em caso de perda o consumidor pode solicitar segunda via junto ao fornecedor.  A nota fiscal deve ser fornecida pelo comerciante tanto na compra online ou física.

Agora aproveite as festas com tranquilidade.

Elaine Freire é advogada em Cuiabá (MT) – @elainefreireadv

Foto: Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PUNIÇÃO E PALCO
Propaganda

Opinião

ARTIGO – Riscos relacionados a testes de aptidão física

Em tese o que acontece é que horas de estudo acaba estafando a parte mental do candidato

Publicados

em

Foto: PJC-MT

A falta de uma rotina de atividade física e ou exercício físico diário faz com que o candidato corra o risco de não conseguir fazer as mensurações mínimas recomendadas para a aprovação em fases recorrentes em determinados concursos. Os concurseiros em sua maioria são muito dedicados e seguem à risca planilhas de estudo contendo conteúdos e uma sequência lógica de aprendizado, porém isso não acontece em sua maioria das vezes quando falamos da melhora do seu condicionamento físico.

Em tese o que acontece é que horas de estudo acaba estafando a parte mental do candidato fazendo com que ele não sinta vontade de realizar mais nenhuma atividade antes ou após seus estudos.

E é aí que mora o grande perigo. A maioria dos candidatos deixam para começar a prática de exercício físico depois que é aprovado. Normalmente os Testes de Aptidão Física são realizados de 3 a 6 semanas da aprovação intelectual. Esse tempo é muito curto considerando que o ideal é de pelo menos 3 meses de preparação física de forma sistematizada e com acompanhamento de um Profissional de Educação Física formado e registrado em seu respectivo Conselho.

Na ânsia de querer recuperar o tempo perdido o candidato resolve treinar de forma desorganizada, colocando seu corpo em estresse físico, onde na grande maioria das vezes resultará em lesões graves ocasionando a incapacidade temporária e o pior, a frustração de uma possível reprovação no TAF para o tão sonhado cargo público.

Como se não bastasse, algumas pessoas ainda fazem uso de suplementação termogênica e ou similares para obter um melhor rendimento no dia do teste de aptidão física desconhecendo os perigos decorrentes do uso indiscriminado desses produtos.  Essas substâncias agem em nosso organismo como aceleradores do metabolismo do indivíduo, ou seja, o corpo passa a funcionar como se estivesse fazendo atividade física, aumentando a temperatura corporal, a frequência cardíaca e a pressão arterial.

Essa combinação, falta de condicionamento físico com o uso de indiscriminado de suplementação se torna uma fórmula perigosa para o nosso organismo.

É muito comum nos dias de hoje, em Testes de Aptidão Física para ingressos em carreiras públicas, candidatos não respeitarem seus limites físicos, chegando a desmaiar e em alguns casos chegam a ter uma parada cardiorrespiratória o levando a óbito.

Temos ainda ocorrências graves em Tafs realizados para progressão de patente, como é o caso dos Policiais Militares. Recentemente tivemos casos de óbitos em testes de aptidão física a nível nacional e muitos questionam sobre a necessidade da existência dessas avaliações para progressão de carreira. É certo que é importante incentivar o indivíduo a obter um estilo de vida saudável, através de uma boa alimentação associada a uma rotina semanal de atividade física. 

A Organização Mundial da Saúde recomenda, para a população adulta, de 150 à 300 minutos de atividade física moderada semanal, mas infelizmente o que nós vemos são pessoas cada vez menos interessadas em se movimentar devido a influências da nossa modernidade. Por isso o militar vai para a avaliação física muitas vezes acima do peso, com comorbidades ou ainda como doenças osteomusculares relacionadas a atividade policial ocasionadas pelo uso do colete balístico, armamento, tempo em pé ou dentro de viatura e outros.

Orienta-se então que o candidato que almeja o ingresso na carreira pública ou para os que já são servidores públicos e que tenham a exigência de Teste de Aptidão Física para a progressão de carreira que se preparem constantemente orientados por um Profissional de Educação Física para que não corra o risco de se frustrar e não conseguir ser aprovado no teste ou em casos mais extremos, não voltar vivo para seu convívio familiar.

Por:
Prof Dr Claudinei da Silva Farina
Investigador de Polícia do Estado de Mato Grosso
Gerente de Educação Física da Acadepol/PJC/MT
Profissional de Educação Física Cref Nº 226 G/MT
Membro do Conselho Regional de Educação Física 17ª região
Instagram: claudineifarina_oficial

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Não desistir daqueles que amamos  
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA