VÁRZEA GRANDE

"Opinião"

Da série Oncologia: Novembro Azul e o Câncer de Próstata

Publicado em

Opinião

Foto: Assessoria/Divulgação

O Novembro Azul é mais um mês para lembrarmos de quem nós amamos! Muitas vezes porque eles esquecem de si mesmos para cuidar de nós! Então, vamos desmistificar um pouco sobre o Câncer de Próstata! Costumo dizer que estamos envelhecendo com qualidade e isso proporciona alguns imprevistos no percurso.

No mundo masculino esse é um deles, o tão temido Câncer de próstata o qual é um dos mais prevalentes, pode ser diagnosticado precocemente e até mesmo ser acompanhado! Tudo depende do seu diagnóstico precoce!

A partir dos 50 anos, os homens devem ser avaliados quanto ao PSA (o qual é um marcador) que pode indicar uma alteração prostática. Quando ele está alto, podemos seguir a investigação muitas vezes com o colega Urologista que vai avaliar a causa desse aumento do PSA (Prostate Specific Antigen ou antígeno específico da próstata), com exame local e ou exames complementares.

Em caso de diagnóstico confirmado do câncer de próstata, o paciente tem algumas opções de tratamento, os quais são protocolos de acordo com o Estadiamento (inicial, avançado). Em alguns casos podemos realizar o acompanhamento, em outros podemos realizar a cirurgia, hormônio terapia e radioterapia!

Leia Também:  Botafogo ganha do Coritiba e entra no G4 da serie B

A Radioterapia pode ser utilizada em qualquer fase da doença, inicial ou avançada! É o tratamento em que utilizamos a Radiação direcionada à região afetada! Sem cortes ou dor, a radioterapia é realizada uma sessão por dia e pode variar de 36 dias ou até menos dependendo da tecnologia disponível. No aparelho, o tratamento demora cerca de 10 – 15 minutos e o paciente pode realizar suas atividades habituais durante toda a radioterapia.

Hábitos saudáveis, atividade física, não tabagismo e etilismo auxiliam e muito no tratamento!! Mente sã e vida saudável nos fazem viver mais e com qualidade! Então faça a prevenção e cultive seu amor próprio!

O Novembro está acabando, mas lembre- se de você e dos Homens que Amamos!

 

Dra. Manoela Regina Alves Corrêa é Radio-Oncologista formada no Instituto Nacional de Câncer (Inca) e atua no Hospital de Câncer de Mato Grosso, Santa Casa de Cuiabá e Tez Estética Avançada.
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Opinião

Cuidados com a audição e a voz durante a Copa

Publicados

em

Foto: Assessoria/Divulgação

Não é somente o coração que sofre durante os jogos da Seleção Brasileira. Os ouvidos e a voz também!

Mesmo na euforia deste período, é preciso alguns cuidados com a audição devido ao intenso volume dos jogos de artifícios, cornetas e gritos que fazem parte das vibrações.

A poluição sonora decorrente de fogos de artifício e cornetas pode alcançar de 150 a 175 decibéis, sendo que o limite seguro de exposição aos sons recomendado por especialistas é de 85dB.Quando a quantidade recomendada ultrapassa esse limite, há risco de perda auditiva e, em alguns casos, a situação torna irreversível.

A exposição a esse tipo de poluição sonora pode ocasionar consequências severas na qualidade de vida da população, afetando a saúde do indivíduo e suas relações sociais. Os sintomas são diversos, como sensação de pressão nos ouvidos, zumbido, dificuldade para ouvir, tontura, irritabilidade, sensação de ouvido tapado, e estalos nos ouvidos.

Caso um ou mais sintomas permaneçam, mesmo após o término da festa, a pessoa deve procurar um médico otorrinolaringologista para realizar uma avaliação. Vale ressaltar que se o indivíduo já tem predisposição a desenvolver uma perda auditiva ou se, no dia a dia, está exposto ao ruído intenso de forma consistente, ele terá maior probabilidade de desenvolver uma perda auditiva e, portanto, deve ser ainda mais cauteloso.

Leia Também:  Botafogo ganha do Coritiba e entra no G4 da serie B

Gritar é uma das atitudes mais agressivas para a laringe, pois, nesse momento, ocorre ataque brusco entre as cordas vocais. Isso pode causar um inchaço, irritação na mucosa das cordas vocais. O grito deve ser sempre evitado.

O tom da nossa voz em uma conversa normal varia entre 60 e 70 decibéis. Cada vez que aumentamos 3 decibéis no nosso tom de voz, já fazemos um esforço enorme nas cordas vocais. As consequências desse esforço dependem da intensidade, desde rouquidão até sangramento das cordas vocais.

Se a voz não apresentar melhora depois de três dias, é importante procurar um médico otorrinolaringologista especialista em voz. Seguem algumas dicas para recuperar a voz:

– Beba bastante água: a água vai cair na corrente sanguínea e chegar nas cordas vocais 30 minutos depois;

– Faça repouso vocal por dois ou três dias: poupar a voz, ficar sem falar, é fundamental para recuperar a voz;

-Não pigarreie: ficar pigarreando força as pregas vocais e piora o quadro;

Leia Também:  Igualdade feminina nas empresas

-Não fale sussurrando: sussurrar provoca mais tensão na região e piora o quadro;

E se engana quem pensa que gengibre, mel, própolis, bala de menta podem curar rouquidão. Eles têm efeito anestésico na região próxima à corda vocal, mas não ajudam a recuperar a voz. 

Outro mito é tomar conhaque. Ele aumenta o fluxo sanguíneo na região, melhora na hora, mas o efeito rebote é pior. Já a água morna com sal serve para limpar secreções da garganta. Ela não age diretamente na voz, mas se você estiver com inflamação na região, pode ajudar indiretamente.

Passe essas dicas adiante. Vamos comemorar sem agredir nossa saúde!

Vanessa Moraes é fonoaudióloga e audiologista na Sonicon, em Cuiabá (MT)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA