VÁRZEA GRANDE

Mundo

Terremoto no Afeganistão mata pelo menos 920 pessoas

Publicado em

Mundo

Um terremoto de magnitude 6,1 matou hoje (22) 920 pessoas no Afeganistão, disseram autoridades de gerenciamento de desastres. Houve mais de 600 feridos, e o número de mortos deve crescer à medida em que as informações chegam de vilas remotas nas montanhas.

Fotos na mídia afegã mostram casas reduzidas a escombros, com corpos envoltos em cobertores no chão. Helicópteros foram mobilizados no esforço de resgate para chegar aos feridos e transportar suprimentos médicos e alimentos, disse Salahuddin Ayubi, autoridade do Ministério do Interior.

“O número de mortos provavelmente aumentará, pois algumas das vilas estão em áreas remotas nas montanhas e levará algum tempo para coletar detalhes”, acrescentou.

O terremoto desta quarta-feira foi o mais mortal desde 2002. Ele ocorreu a cerca de 44 quilômetros da cidade de Khost, no sudeste, perto da fronteira com o Paquistão, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGC).

Mortes confirmadas

A maioria das mortes confirmadas foi na província oriental de Paktika, onde 255 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas, acrescentou Ayubi. Na província de Khost, 25 morreram e 90 foram levados a um hospital.

Leia Também:  Ilha de Java na Indonésia é atingida por terremoto de magnitude 5,9

Haibatullah Akhundzada, o líder supremo do Talibã, ofereceu suas condolências em um comunicado.

Montar uma operação de resgate pode ser um grande teste para o Talibã, que assumiu o país em agosto e foi afastado de grande parte da assistência internacional por causa de sanções.

O tremor foi sentido por cerca de 119 milhões de pessoas no Paquistão, Afeganistão e Índia, disse o Centro Sismológico Euro-Mediterrânico (EMSC), mas não houve relatos imediatos de danos ou vítimas no Paquistão.

O EMSC colocou a magnitude do terremoto em 6,1, embora o USGC tenha dito que foi de 5,9. Somando-se ao desafio para as autoridades afegãs estão as recentes inundações em muitas regiões, que, segundo a agência de desastres, mataram 11, feriram 50 e bloquearam trechos de rodovias.

O terremoto ocorre no momento em que o Afeganistão enfrenta uma grave crise econômica desde que o Talibã assumiu o poder, quando as forças internacionais – lideradas pelos Estados Unidos – se retiraram após duas décadas de guerra.

Em resposta à tomada de poder pelo Talibã, muitas nações impuseram sanções ao setor bancário do Afeganistão e cortaram bilhões de dólares em ajuda ao desenvolvimento. A ajuda humanitária continuou, no entanto, com agências internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU).

Leia Também:  Talibãs declaram Emirado Islâmico do Afeganistão como nação livre

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Corpos de 50 imigrantes são encontrados em caminhão no Texas

Publicados

em

Cinquenta pessoas foram encontradas mortas dentro de um caminhão abandonado em uma rodovia da cidade de San Antonio, no estado do Texas, onde as temperaturas chegaram a 39,4 graus Celsius na segunda-feira (27). Esse foi um dos casos mais letais da crise de imigração ao longo da fronteira entre Estados Unidos e México na história recente.

Um funcionário do Corpo de Bombeiros de San Antonio disse ter encontrado “pilhas de corpos” e nenhum sinal de água no caminhão, que foi descoberto próximo aos trilhos de uma ferrovia em uma área remota na periferia sul da cidade.

Dezesseis outras pessoas encontradas dentro do caminhão foram transportadas para hospitais com insolação e exaustão, incluindo quatro menores, mas nenhuma criança estava entre os mortos, segundo os bombeiros.

“Os pacientes que vimos estavam quentes ao toque, estavam sofrendo de insolação, exaustão”, afirmou o chefe dos bombeiros de San Antonio, Charles Hood, em entrevista coletiva. “Era um caminhão-reboque refrigerado, mas não havia unidade de ar condicionado visível.”

Leia Também:  Covid-19: 711 pessoas morreram no DF após a primeira dose de vacina

O chefe de polícia de San Antonio, que fica a cerca de 250 quilômetros da fronteira mexicana, William McManus, disse que uma pessoa que trabalha em um prédio próximo ouviu um grito de socorro e saiu para verificar. O trabalhador encontrou as portas do caminhão parcialmente abertas, olhou para dentro e encontrou vários cadáveres.

Um porta-voz do Serviço de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) disse que sua divisão de Investigações de Segurança Interna estava apurando “um suposto evento de contrabando de seres humanos” em coordenação com a polícia local.

“É indescritível”, disse o prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg, observando que sua comunidade depende de imigrantes uma vez que há escassez de mão de obra. “É uma tragédia sem explicação.”

O presidente dos EUA, Joe Biden, em um comunicado nesta terça-feira, chamou o incidente de “horrível e comovente”.

Chamando a atenção para a indústria bilionária do contrabando criminoso, Biden disse que “explorar indivíduos vulneráveis com fins lucrativos é vergonhoso”, e disse que seu governo está trabalhando para reprimir essas redes de tráfico de pessoas.

Leia Também:  Agência europeia aprova vacina da Moderna contra covid-19

Biden tem enfrentado uma crise de imigração com um número recorde de travessias de imigrantes na fronteira EUA-México desde que assumiu o cargo, em janeiro de 2021.

Ao menos 22 mexicanos, sete guatemaltecos e dois hondurenhos foram identificados entre os mortos, disse o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, no Twitter, nesta terça-feira. Não havia informações sobre a nacionalidade dos outros mortos, disseram autoridades mexicanas.

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA