VÁRZEA GRANDE

Mundo

Putin se isola após constatar casos de covid-19 próximos a ele

Publicado em

Mundo


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, está em isolamento, como medida de precaução, depois de várias pessoas de seu entorno sentirem sintomas da covid-19, mas está “absolutamente” saudável e não está com a doença, informou o Kremlin nesta terça-feira (14).

Putin, de 68 anos, não viajará para o Tadjiquistão nesta semana, como planejado, por causa do isolamento. Ele participaria de reuniões sobre segurança, que agora fará por videoconferência.

O Kremlin informou ainda que Putin tomou a decisão de ficar em isolamento depois de se reunir com o presidente da Síria, Bashar A l Assad, nessa segunda-feira (13) e após consultas com médicos.

Putin também se reuniu com atletas paralímpicos da Rússia e viajou para o oeste do país, a fim de supervisionar manobras militares feitas em conjunto com a Bielorrússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse a jornalistas que Putin teve contato com várias pessoas de seu entorno que contraíram covid-19 e apresentaram sintomas.

“É claro que sabemos quem ficou doente no entorno do presidente, e o regime de isolamento não afeta o trabalho dele”, afirmou Peskov.

Leia Também:  Fiocruz alerta que incidência de covid-19 mantém patamar elevado

“São somente reuniões presenciais que não ocorrerão por um tempo. Mas isso não afeta a frequência delas,e o presidente manterá suas atividades por videoconferência.”

Indagado se Putin havia testado negativo para a covid-19, Peskov respondeu: “É claro que sim. O presidente está absolutamente saudável”.

* Reportagem adicional de Tom Balmforth, Darya Korsunskaya, Gleb Stolyarov e Vladimir Soldatkin

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Presidente Bolsonaro se reúne com primeiro-ministro britânico nos EUA

Publicados

em


Em encontro na véspera da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, acompanhados de ministros e auxiliares, conversaram sobre as relações comerciais entre os dois países e o fortalecimento da parceria bilateral. A reunião ocorreu nesta segunda-feira (20) pela manhã, em Nova York, nos Estados Unidos. A informação do encontro bilateral é da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

De acordo com a pasta, eles também conversaram sobre seus programas de vacinação contra a covid-19, destacando a parceria entre Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Universidade de Oxford, na Inglaterra, e a companhia farmacêutica AstraZeneca. Outro assunto abordado pelos dois líderes foi sobre a preparação para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26), que será realizada em novembro, na cidade Glasgow, na Escócia, país que faz parte do Reino Unido.

O presidente brasileiro está nos Estado Unidos para participar, pela terceira vez como chefe de Estado, da Assembleia Geral da ONU, cuja abertura será nesta terça-feira (21) pela manhã. Bolsonaro discursou pela primeira vez em 2019, no primeiro ano de mandato. Em 2020, por causa da pandemia, a Assembleia Geral foi totalmente virtual. 

Leia Também:  Casos menos graves da covid-19 também devem fazer fisioterapia

Na edição deste ano, o encontro está sendo em formato híbrido, com parte dos discursos gravados e outra parte presencial. Bolsonaro optou por viajar a Nova York para discursar presencialmente. Por tradição, o presidente brasileiro é o primeiro entre todos os chefes de Estado e de governo a fazerem discurso no plenário da ONU. 

Na semana passada, durante sua live semanal nas redes sociais, Bolsonaro comentou sobre o discurso que pretende fazer na Assembleia Geral deste ano. 

“Vou fazer o discurso de abertura. Um discurso tranquilo, bastante objetivo, focando os pontos que interessam para nós. É um palanque muito bom para isso também, serve como palanque, aquilo lá. Vamos mostrar objetivamente o que é o Brasil, o que estamos fazendo na questão da pandemia —  coisa que somos atacados o tempo todo não é? — bem como o agronegócio, a energia no Brasil”, disse o presidente durante a transmissão. Ele também comentou que defenderá a validade da tese do marco temporal, atualmente em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), e que limita o reconhecimento de terras indígenas. 

Leia Também:  Fiocruz alerta que incidência de covid-19 mantém patamar elevado

Edição: Fábio Massalli

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA