VÁRZEA GRANDE

Mundo

Mais de 800 migrantes são interceptados no Canal da Mancha em um dia

Publicado em

Mundo


Aumentam as travessias de migrantes no Canal da Mancha, rumo à ilha britânica. No último sábado (21), mais de 800 pessoas cruzaram o estreito, entre a costa francesa e o Reino Unido. Os serviços de fronteira falam de um número recorde de migrantes num só dia. Entre novas políticas para desencorajar a chegada de mais pessoas, estão os planos para receber refugiados afegãos.

As 828 pessoas faziam a travessia em 30 pequenos barcos quando as autoridades da Brã-Bretanha os interceptaram. Os serviços franceses retiveram mais 193 migrantes que viajavam em dez barcos, também rumo ao Reino Unido. No dia 12 de agosto, mais 592 pessoas viram sua viagem interrompida.

Até agora, foram contabilizados 12.500 migrantes que fizeram a travessia, em 2021.

As autoridades atribuem o fato às redes de tráfico humano. “Essas travessias perigosas de países seguros da União Europeia são completamente desnecessárias, e estamos determinados a combater as gangs criminosas que estão por trás delas”, afirmou Dan O’Mahoney, comandante responsável pela ameaça clandestina no Canal da Mancha, citado pela BBC.

Leia Também:  Itália autoriza desembarque de 265 migrantes em navio humanitário

Migrantes perto de Dover

Parcerias estão sendo desenvolvidas entre autoridades marítimas dos dois países para combater as “travessias perigosas”.

Os governos de Paris e Londres acertaram colocar mais patrulhas nas praias francesas, assim como financiar ferramentas tecnológicas para melhor vigilância e partilha de informação a fim de detectar as redes criminosas.

Várias medidas são discutidas para desencorajar a chegada de mais migrantes. O Projeto de Lei de Nacionalidade e Fronteiras, caso seja aprovado, penaliza quem entrar no Reino Unido clandestinamente. Esses migrantes podem enfrentar pena de até quatro anos de prisão.

Organizações não governamentais de apoio aos migrantes pedem ao governo para criar rotas seguras e novas regras para quem pede asilo.

Refugiados afegãos

Entre as políticas para conter as travessias de migrantes, está o Programa de Realojamento para permitir que 5 mil afegãos sejam recebidos no Reino Unido. A longo prazo, serão 20 mil.

Depois do processo de Realojamento de Pessoas Vulneráveis da Síria, em que a Grã-Bretanha concordou em receber pelo menos 20 mil pessoas, o novo contexto internacional em terras afegãs traz para a ilha novos refugiados que estejam em perigo devido ao regime talibã.

Leia Também:  Argentina aprova legalização do aborto: em que países da América Latina o procedimento já é legal

A prioridade são mulheres e crianças, assim como minorias e pessoas perseguidas por professarem diferentes religiões.

Os intérpretes e famílias e outros ex-funcionários que trabalharam para o Reino Unido no Afeganistão já estão sendo realojados em solo britânico. Até o final do ano, 5 mil pessoas serão integradas ao programa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Nasa lança sonda para estudar asteróides “troianos” em Júpiter

Publicados

em


A Nasa lançou uma missão inédita neste sábado para estudar os asteroides troianos de Júpiter, dois grandes aglomerados de rochas espaciais que os cientistas acreditam serem remanescentes de material que formou planetas externos do Sistema Solar.

A sonda espacial, apelidada de Lucy e embalada dentro de uma cápsula de carga especial, decolou no horário programado da Estação da Força Aérea dos Estados Unidos em Cabo Canaveral, na Flórida, às 6h34 (horário de Brasília), informou a Nasa. O equipamento foi lançado em um foguete Atlas V da United Launch Alliance (UAL), uma joint venture da Boeing e da Lockheed Martin.

A missão de Lucy é uma expedição de 12 anos para estudar um número recorde de asteroides. Será a primeira a explorar os chamados troianos, milhares de objetos rochosos orbitando o Sol em dois aglomerados – um à frente do caminho de Júpiter e outro atrás dele.

Acredita-se que os maiores asteroides troianos conhecidos, batizados em homenagem aos guerreiros da mitologia grega, meçam até 225 quilômetros de diâmetro.

Leia Também:  Opas alerta: Américas passam por uma grave crise de saúde mental

Os cientistas esperam que o sobrevoo de Lucy por sete rochas troianas forneça novas pistas sobre como os planetas do Sistema Solar se formaram há cerca de 4,5 bilhões de anos e o que moldou sua configuração atual.

Lucy também fará um voo rasante sobre um asteroide no cinturão principal do Sistema Solar, chamado DonaldJohanson, em homenagem ao principal descobridor do ancestral humano fossilizado conhecido como Lucy. O fóssil de Lucy, descoberto na Etiópia em 1974, inspirou por sua vez a música Lucy in the Sky with Diamonds, dos Beatles.

A sonda usará foguetes para manobrar no espaço e dois painéis solares arredondados, cada um da largura de um ônibus escolar, que recarregarão as baterias que alimentam os instrumentos contidos no corpo de Lucy.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA