VÁRZEA GRANDE

Mundo

Equador diz que não permitirá que protestos atentem contra democracia

Publicado em

Mundo

As Forças Armadas do Equador afirmaram que não permitirão que protestos contra as políticas econômicas do presidente Guillermo Lasso atentem contra a democracia, em meio a confrontos de manifestantes indígenas com as forças de segurança em Quito, capital do país.

Milhares de indígenas participaram de uma passeata pela capital na última  segunda-feira (20) para exigir respostas de Lasso a dez pedidos, que incluem baixar o preço dos combustíveis, ampliar prazos para pagar dívidas financeiras, limitar a expansão do petróleo e aumentar o orçamento para saúde e educação intercultural.

O governo respondeu às demandas em contato com as lideranças indígenas e está à espera de novidades. Também aceitou propostas de mediação de organizações da sociedade civil, disse.

Conflito

As forças de segurança e os manifestantes entraram em conflito na capital na tarde de ontem. Alguns participantes das passeatas atiraram paus e foram repelidos com gás lacrimogêneo e munição não letal, segundo uma testemunha da agência de notícias Reuters.

“As Forças Armadas não permitirão que se tente romper a ordem constitucional ou qualquer ação contra a democracia e as leis da república”, afirmou o ministro da Defesa, Luis Lara, em um comunicado à imprensa, ao lado dos chefes militares.

Leia Também:  Pequim: homem é condenado a indenizar a mulher por trabalho doméstico

“Convocamos os equatorianos à unidade nacional”, acrescentou, mencionando que, por trás da violência dos protestos, estão “as mãos do narcotráfico e do crime organizado”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Corpos de 50 imigrantes são encontrados em caminhão no Texas

Publicados

em

Cinquenta pessoas foram encontradas mortas dentro de um caminhão abandonado em uma rodovia da cidade de San Antonio, no estado do Texas, onde as temperaturas chegaram a 39,4 graus Celsius na segunda-feira (27). Esse foi um dos casos mais letais da crise de imigração ao longo da fronteira entre Estados Unidos e México na história recente.

Um funcionário do Corpo de Bombeiros de San Antonio disse ter encontrado “pilhas de corpos” e nenhum sinal de água no caminhão, que foi descoberto próximo aos trilhos de uma ferrovia em uma área remota na periferia sul da cidade.

Dezesseis outras pessoas encontradas dentro do caminhão foram transportadas para hospitais com insolação e exaustão, incluindo quatro menores, mas nenhuma criança estava entre os mortos, segundo os bombeiros.

“Os pacientes que vimos estavam quentes ao toque, estavam sofrendo de insolação, exaustão”, afirmou o chefe dos bombeiros de San Antonio, Charles Hood, em entrevista coletiva. “Era um caminhão-reboque refrigerado, mas não havia unidade de ar condicionado visível.”

Leia Também:  Marco Aurélio é sorteado relator de inquérito contra Aécio no STF

O chefe de polícia de San Antonio, que fica a cerca de 250 quilômetros da fronteira mexicana, William McManus, disse que uma pessoa que trabalha em um prédio próximo ouviu um grito de socorro e saiu para verificar. O trabalhador encontrou as portas do caminhão parcialmente abertas, olhou para dentro e encontrou vários cadáveres.

Um porta-voz do Serviço de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) disse que sua divisão de Investigações de Segurança Interna estava apurando “um suposto evento de contrabando de seres humanos” em coordenação com a polícia local.

“É indescritível”, disse o prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg, observando que sua comunidade depende de imigrantes uma vez que há escassez de mão de obra. “É uma tragédia sem explicação.”

O presidente dos EUA, Joe Biden, em um comunicado nesta terça-feira, chamou o incidente de “horrível e comovente”.

Chamando a atenção para a indústria bilionária do contrabando criminoso, Biden disse que “explorar indivíduos vulneráveis com fins lucrativos é vergonhoso”, e disse que seu governo está trabalhando para reprimir essas redes de tráfico de pessoas.

Leia Também:  Tropas de paz russas vão a Nagorno-Karabakh após acordo de trégua

Biden tem enfrentado uma crise de imigração com um número recorde de travessias de imigrantes na fronteira EUA-México desde que assumiu o cargo, em janeiro de 2021.

Ao menos 22 mexicanos, sete guatemaltecos e dois hondurenhos foram identificados entre os mortos, disse o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, no Twitter, nesta terça-feira. Não havia informações sobre a nacionalidade dos outros mortos, disseram autoridades mexicanas.

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA