VÁRZEA GRANDE

Mundo

Donald Trump afirma em rede social que Obamacare ‘explodirá’

Publicado em

Mundo

Projeto de Trump para reforma do sistema de saúde fracassou. Presidente não teve apoio de todos os republicanos para votação.

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump voltou a atacar, neste sábado (25), o sistema de saúde herdado de seu antecessor, Barack Obama. Ele afirmou, no Twitter, que o Obamacare “explodirá”.

“O Obamacare explodirá e nós vamos nos unir e construir uma grande lei de saúde para as pessoas. Não se preocupem!”, escreveu na rede social.

@realDonaldTrump

ObamaCare will explode and we will all get together and piece together a great healthcare plan for THE PEOPLE. Do not worry!

Nesta sexta-feira (24), o presidente sofreu uma dura derrota com a retirada da sua proposta de reforma do sistema de saúde que acabaria com o Obamacare- ele não conseguiu os votos necessários para aprová-lo.

Após o fracasso de sexta-feira, Trump já havia dito em um pronunciamento no Salão Oval da Casa Branca que o Obamacre iria explodir. “Será um ano muito ruim para o Obamacare”, disse. “Foi uma experiência que levará a uma lei de saúde ainda melhor”, disse. Ele afirmou estar “decepcionado” e “um pouco surpreso”, mas evitou atacar os legisladores do seu partido pela retirada do projeto e culpou a minoria democrata.

Leia Também:  Líder do Congresso peruano assume hoje Presidência do país

Também observou que vai virar a página e se concentrar em seu próximo projeto: uma reforma tributária que levaria a uma redução dos impostos.

Trump assumiu a presidência prometendo aplicar suas qualidades como negociador, adquiridas ao longo de sua carreira empresarial, para conseguir a aprovação de seus projetos de governo.

Em apenas nove semanas no cargo, o magnata foi forçado a recuar em duas ocasiões, após o bloqueio da justiça de seus decretos migratórios e a derrota de sexta-feira.

Adiamento

Na quinta-feira, a liderança republicana já teve que adiar a votação que estava prevista por não conseguir um consenso dentro de sua própria bancada e não contar com os votos suficientes para aprovar a legislação.

Após esse primeiro revés, Trump deu um ultimato aos republicanos, exigiu que convocassem uma votação para sexta apesar da falta de acordo e assegurou que não estaria disposto a prolongar mais as negociações. Assim caso perdesse, estaria disposto a deixar em andamento o Obamacare.

Um dos problemas enfrentados por Trump para conseguir a aprovação foi o Freedom Caucus (Bancada da Liberdade), grupo ultraconservador de legisladores que criou dificuldades para um acordo porque quer menos regulamentações e que os cidadãos sejam capazes de escolher quais os cuidados médicos serão cobertos por seus planos de saúde.

Leia Também:  Homens armados matam duas pessoas e ferem mais de 20 na Flórida

Entenda o que estava em jogo

  • Criada em 2010, a lei conhecida como Obamacare ampliou o acesso universal à saúde, mas aumentou os preços de planos para quem não recebe assistência do governo.
  • A lei tem várias regras, como a proibição de que planos de saúde aumentem preços com base no histórico do paciente ou neguem cobertura a doentes graves.
  • Em troca, o Obamacare exige que todo americano ou estrangeiro que vive nos EUA tenha um plano de saúde.
  • Trump considera o Obamacare muito caro e coercitivo. Derrubar a lei e substituí-la foi uma importante promessa de sua campanha.
  • Uma nova lei proposta pelos republicanos manteria subsídios do governo a alguns setores da população, mas os montantes seriam menores. E a reforma tiraria a multa a quem não tiver plano de saúde.
  • Grupos mais conservadores do Partido Republicano não aceitam nenhum tipo de subsídio, por isso, desaprovavam a proposta de Trump.
  • Estima-se que o atual plano republicano pode deixar 14 milhões sem seguro saúde em um ano.
COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Mundo

Nobel de física é atribuído a cientistas da França, EUA e Áustria

Publicados

em

O Prêmio Nobel da Física foi atribuído, nesta terça-feira (4), a Alain Aspect, John F. Clauser e Anton Zeilinger por avanços na mecânica quântica. Os vencedores foram anunciados pela Real Academia Sueca de Ciências, em Estocolmo, na Suécia.

De acordo com a Academia Nobel, os investigadores da Universidade Paris-Saclay (França), da J.F. Clauser & Assoc. (EUA) e da Universidade de Viena (Áustria), respectivamente, distinguiram-se “pelas experiências com fotões enredados, estabelecendo a violação das desigualdades de Bell e sendo pioneiros na ciência da informação quântica”.

Os laureados deste ano “conduziram experiências inovadoras usando estados quânticos emaranhados, onde duas partículas se comportam como uma única unidade, mesmo quando separadas”.

A Academia justifica a nomeação com os resultados que “abriram caminho para novas tecnologias baseadas em informações quânticas”.

Leia Também:  Bolsonaro vê dificuldades na aprovação de reforma tributária no Brasil

“Os efeitos inefáveis ​​da mecânica quântica estão começando a encontrar aplicações. Existe agora um grande campo de investigação que inclui computadores quânticos, redes quânticas e comunicação criptografada quântica segura”.

Um fator-chave nesse desenvolvimento, explicou a Academia, “é como a mecânica quântica permite que duas ou mais partículas existam no que é chamado de estado enredado”. O que acontece com “uma das partículas num par enredado determina o que acontece com a outra partícula, mesmo que estejam distantes”.

John Clauser desenvolveu as ideias de John Bell sobre a informação quântica, com experiências mais práticas. Alain Aspect, por sua vez, “desenvolveu a configuração, usando-a de uma forma que fechou uma brecha importante”.

“Através de ferramentas refinadas e uma longa série de experiências, Anton Zeilinger começou a usar estados quânticos enredados”. Estes investigadores conseguiram provar “um fenômeno chamado teletransporte quântico, que possibilita mover um estado quântico de uma partícula para outra à distância”.

“Tornou-se cada vez mais claro que um novo tipo de tecnologia quântica está surgindo. Podemos ver que o trabalho dos laureados com estados enredados é de grande importância, mesmo além das questões fundamentais sobre a interpretação da mecânica quântica”, explicou ainda Anders Irbäck, presidente do Comitê Nobel de Física.

Leia Também:  Líder do Congresso peruano assume hoje Presidência do país

No ano passado, a academia homenageou Syukuro Manabe, do Japão e dos Estados Unidos, e o alemão Klaus Hasselmann por suas investigações sobre modelos climáticos, enquanto o italiano Giorgio Parisi também ganhou pelo seu trabalho sobre a interação de desordem e flutuações em sistemas físicos.

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA