VÁRZEA GRANDE

Esporte

Palmeiras e São Paulo ficam no 0 x 0 no primeiro clássico do Paulistão

Publicado em

Esporte

O primeiro clássico do Campeonato Paulista de 2023 terminou com empate sem gols na tarde deste domingo (22), no Allianz Parque, pela terceira rodada do certame. Com o resultado, o Palmeiras foi a cinco pontos (dois empates e uma vitória) e assume provisoriamente a liderança do Grupo D, seguido do São Bernardo, com quatro pontos, que recebe o Santos para o duelo das 18h30.

Com o resultado, o Verdão segue sendo o único time desse Estadual que ainda não foi vazado – portanto, é, isoladamente, o dono da melhor defesa do competição. De quebra, o fato de não ter perdido para o São Paulo fez com que o Verdão emplacasse o seu quinto clássico seguido sem conhecer derrota.

Desde que foi superado para algum de seus rivais pela última vez, em 23 de junho de 2022, pelo jogo de ida da Copa do Brasil (oitavas de final), contra o São Paulo, no Morumbi, por 1 a 0, o Verdão não sabe mais o que é perder em clássicos: começando pelo próprio jogo de volta daquele revés sofrido (no dia 14 de julho, venceu o Tricolor em casa por 1 a 0 e levou a decisão da vaga para os penais). Depois, pelo Brasileirão, venceu o Corinthians, fora, por 1 a 0, em 18 de agosto, e o Santos, em casa, também por 1 a 0, em 18 de setembro. Depois, o clássico mais recente antes desse havia sido justamente contra o São Paulo, no Allianz Parque (empate sem gols pelo Brasileirão no dia 16 de outubro). E agora, neste domingo, outro empate sem gols.

Vale lembrar que o Palmeiras de Abel Ferreira vem se dando bem nos clássicos ultimamente. Na temporada passada, por exemplo, disputou 13 clássicos e venceu 10! Com isso, o time de 2022 passou a ser o recordista isolado em comparação com todas as outras temporadas da história do clube em termos de vitórias em clássicos em um mesmo ano: o recorde anterior pertencia aos times dos anos de 1965 e 1969, quando, naquelas temporadas, a equipe acumulou nove triunfos em clássicos (porém, em 13 e 16 disputas, respectivamente).

Ótimo também é o desempenho individual do técnico Abel Ferreira em clássicos desde a sua chegada no Verdão, no fim de 2020: incluindo cinco clássicos que foram dirigidos por João Martins (três vitórias, um empate e uma derrota), o aproveitamento é animador! São, ao todo, 32 jogos, com 17 vitórias, 9 empates e 6 reveses, além de 45 gols marcados e 25 gols sofridos.

Leia Também:  Com jogo de volta no Allianz Parque, Palmeiras enfrenta CRBna terceira fase da Copa do Brasil

Diante do Tricolor, aliás, Abel e sua comissão têm um retrospecto extremamente equilibrado nos confrontos: 16 jogos, com cinco vitórias para cada lado e, agora, seis empates – o Verdão, porém, leva ligeira vantagem no saldo de gols, pois vazou o adversário 15 vezes, contra 13 gols que sofreu.

Especificamente contra o São Paulo (fundado em 1935) e enfrentado pelo Alviverde pela primeira vez em 1936, este foi o duelo de 334 da história: o rival leva ligeira vantagem, com 114 triunfos contra 111 do Verdão (além de 109 empates. Apesar da pequena desvantagem no geral do histórico, o Verdão está à frente no saldo de gols: foram 427 marcados contra 423 que sofreu.

Mas se no retrospecto geral o Verdão essa leva pequena desvantagem em relação ao seu rival (aliás, um dos pouquíssimos clubes contra os quais o Verdão aparece atrás numericamente em sua história), no que depender dos resultados obtidos nos últimos anos, será questão de tempo para igualar o retrospecto geral contra o adversário. Isso porque, desde 2014, quando o Allianz Parque foi inaugurado, os Choques-Reis tem sido amplamente favoráveis ao Maior Campeão do Brasil: 17 vitórias esmeraldinas, 11 empates e dez triunfos tricolores em 38 clássicos. Ainda neste cenário, foram 49 gols marcados pelo Verdão contra 28 dos tricolores.

Se por um lado o Verdão não alcançou a vitória desta vez, por outro, além de ter defendido sua invencibilidade em clássicos (agora cinco seguidos invictos) e também de ter defendido a marca de ser o único time desta edição do Paulista que não sofreu gol, manteve ainda mais uma marca significativa: a de dar continuidade à sua série invicta especificamente em sua casa, o Allianz Parque: agora são 17 jogos seguidos sem perder no local.

A última vez em que o Palmeiras foi superado em sua arena foi em um jogo contra o Ahtletico-PR, no dia 02 de julho de 2022, por 2 a 0, pelo Campeonato Brasileiro (aliás, uma das duas únicas derrotas do time em casa naquela temporada). Desde então, o Verdão de Abel Ferreira foi a campo outras 17 vezes no Allianz (já com o jogo de hoje), acumulando 11 vitórias e seis empates.

Leia Também:  Pedro do Flamengo e Brenner do São Paulo são os jogadores mais eficientes do Brasil

E se considerados os jogos em sua casa apenas pela competição estadual, o Palmeiras não perde no Allianz Parque agora há 13 jogos e, com isso, igualou seu próprio recorde neste quesito: entre 2019 e 2021, o time também ficou por 13 partidas sem perderem casa pelo Paulistão (nove vitórias e quatro empates). A última derrota do Verdão em um jogo de Campeonato Paulista em sua casa aconteceu em 29 abril de 2021, para a Inter de Limeira, por 1 a 0.

Atual campeão paulista, o Verdão busca o 25° caneco desta competição em sua história e vem acumulando marcas expressivas nas edições mais recentes, sendo um dos protagonistas. Nos últimos sete anos, por exemplo, o Palmeiras foi dono da melhor defesa do paulistão em seis (de 2016 a 2022, apenas em 2021 o Verdão não fechou a fase inicial do torneio, considerando os 12 primeiros jogos da fase de grupos, na qual todas as equipes possuem o mesmo número de partidas, como o melhor colocado no quesito).

Além disso, outra mostra de protagonismo do Verdão nos Estaduais recentes é que o time, finalista das três últimas edições e campeão em duas delas (2020 e 2022) não fica de fora pelo menos da fase semifinal do torneio desde 2014. Em 2014, duelou a semi com o Ituano (campeão daquela edição); em 2015, chegou à final e enfrentou o Santos (foi vice nos pênaltis); em 2016, enfrentou novamente o Santos, mas desta vez na semifinal e saiu nos pênaltis; em 2017, encarou a Ponte Preta na semifinal; em 2018, foi finalista e enfrentou o Corinthians; e em 2019 se despediu na semifinal contra o São Paulo, nos penais.

A arena alviverde registrou o público de 40.196, e a renda adquirida foi de R$ 2.301.182,60. Para esta partida, o técnico Abel Ferreira mandou a campo: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Gabriel Menino, Zé Rafael e Raphael Veiga; Rony, Dudu e Endrick. Depois, ainda entraram no segundo tempo o volante Atuesta, aos 17 minutos (na vaga de Gabriel Menino); o atacante Breno Lopes, aos 24 (no lugar de Endrick); o atacante Rafael Navarro, aos 36 (no lugar de Rony); o meia Bruno Tabata, também aos 36 (na vaga de Veiga) e, por último, mais um atacante: José López na vaga de Dudu, aos 37.

Fonte: Agência Esporte

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esporte

Botafogo vence o Fluminense pelo Caricão

Publicados

em

O Botafogo venceu o Clássico Vovô ao bater o Fluminense, por 1 a 0, no início da noite deste domingo (29.01), no Maracanã, pela quinta rodada do Carioca Betnacional.

Victor Sá marcou o gol do Alvinegro, que subiu para a terceira posição, com 9 pontos.

Apesar do revés, o primeiro do Tricolor na competição, o time das Laranjeiras (que desperdiçou um pênalti com Callegari na partida) segue na vice-liderança da Taça Guanabara, com 10 pontos.

Na próxima rodada, o Glorioso enfrenta o Nova Iguaçu, na quarta (01.02), às 19 horas, no Luso Brasileiro, enquanto o Flu visita o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira, quinta (02.02), às 21h10.

Fonte: Agência Esporte

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com jogo de volta no Allianz Parque, Palmeiras enfrenta CRBna terceira fase da Copa do Brasil
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA