VÁRZEA GRANDE

REDE ESTADUAL DE ENSINO

Governo publica edital de programa de intercâmbio para estudantes

Serão selecionados, ao todo, 100 estudantes do Ensino Médio, atendendo critérios para classificação

Publicado em

Educação

Foto: Junior Salgueiro - SEDUC-MT

O Governo de Mato Grosso publicou no Diário Oficial desta segunda-feira (23.01) o edital de seleção de estudantes da rede pública estadual para o programa de intercâmbio MT No Mundo, gerido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Ao todo, 100 estudantes serão selecionados.

O programa tem como objetivo incentivar o aprimoramento da formação acadêmica e profissional, principalmente em relação ao domínio de uma língua estrangeira, por meio de imersão cultural e desenvolvimento de habilidades, competências interculturais e experiência de estudo.

O intercâmbio terá duração de três semanas e será realizado na Inglaterra. No período, o estudante receberá uma ajuda de custo semanal, no valor de 200 libras esterlinas (cerca de R$ 1,2 mil), para despesas pessoais, como transporte e alimentação. A acomodação será em casa de família no país de destino. A Seduc também providenciará os seguros viagem e saúde para o período do intercâmbio.

Todos os alunos regularmente matriculados no Ensino Médio da rede estadual de ensino já estão automaticamente inscritos para a seleção do programa de intercâmbio.

De acordo com o edital, a previsão é que a classificação provisória dos estudantes seja publicada no dia 6 de março, e o resultado final no dia 14 do mesmo mês. O cronograma também prevê o agendamento para emissão dos passaportes entre 29 de março e 5 de maio. A data do embarque ainda não foi definida.

Leia Também:  Civil prende foragido da Justiça durante diligências de furto em edifício

Critérios de seleção

As 100 vagas disponibilizadas serão divididas em dois grupos, que terão critérios distintos para seleção dos estudantes, e deverão obedecer a disponibilidade de vagas por Diretoria Regional de Educação (veja o quadro ao final da matéria). Os estudantes selecionados não poderão ser da mesma unidade escolar.

Para os dois grupos, os requisitos básicos são os mesmos: os estudantes devem ter cursado o Ensino Médio na rede estadual em 2022 e estar regularmente matriculados em 2023. Além disso, deverão ter no mínimo 14 anos no momento do embarque.

Para a seleção do grupo 1 também é exigido que o estudante tenha pelo menos três certificados de conclusão de nível na plataforma EF Education First. A plataforma faz parte do programa Mais Inglês, lançado pela Seduc em 2022, com o objetivo de potencializar o ensino da Língua Inglesa nas 700 escolas da rede estadual.

Os estudantes deste primeiro grupo serão classificados em duas etapas: a primeira consiste na análise dos requisitos, sendo que apenas passarão para a etapa final os alunos que estudam em escolas que onde o índice de acesso mínimo na plataforma é de 70%, e o índice médio de lições feitas pelos alunos na plataforma é de 17 lições.

Na segunda etapa, a classificação dos estudantes será feita com base em cinco critérios: 1) escolas com maior porcentagem de acesso na plataforma EF Education First; 2) escolas com maior índice médio de lições realizadas na plataforma; 3) estudantes com maior média das notas dos 3 certificados mais avançados emitidos pela plataforma; 4) estudantes que estiverem cursando a série mais avançada; e 5) estudantes com maior número de lições individuais realizadas.

Leia Também:  No Dia Mundial do Turismo, Cetur-MT destaca a importância de investimentos locais

Já o segundo grupo será composto pelos 50 primeiros colocados na Avaliação Formativa de Saída de 2022, obedecendo a disponibilidade de vagas por Diretoria Regional. É critério para a seleção do grupo 2 a frequência mínima de 85% em cada disciplina computada pelo SigEduca em 2022. Em caso de empate, a média na disciplina de Língua Inglesa será o primeiro critério de desempate.

De acordo com o edital, caso algum estudante se classifique nos dois grupos, a vaga no segundo grupo será passada para o próximo classificado.

A Seduc entrará em contato com a família dos estudantes selecionados para as orientações relativas ao intercâmbio. Todos os custos relativos à emissão de passaporte, certificado internacional de vacina, reuniões de orientação e embarque e desembarque serão custeados pela Seduc.

Abaixo, confira a distribuição de vagas por Diretoria Regional de Ensino. Já a publicação do edital pode ser conferida aqui.

(Fonte: SECOM-MT)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

Evento online transmitido pelo Canal 1, da Escola Cuiabana no YouTube

Mais de 2,5 mil pessoas participaram

Publicados

em

Foto: Jorge Pinho - SECOM CUIABÁ

Diálogo e mediação de conflitos nas escolas foi o tema da palestra que abriu a programação da Semana Pedagógica 2023, desta sexta-feira (27). A mesa redonda, transmitida online pelo Canal, 1 da Escola Cuiabana no YouTube, contou com a participação de 2.551 participantes acompanhando as palestras proferidas pelo promotor de Justiça, Miguel Slhessarenko Júnior e a  desembargadora e presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Clarice Claudino da Silva.

Na abertura da mesa redonda, a secretária Municipal de Educação, Edilene de Souza Machado destacou a importância do evento, um momento de reflexão e planejamento do ano letivo, para todos os profissionais. Falou sobre os avanços da Educação pós-pandemia e os resultados da avaliação do desempenho profissional aliada ao desempenho acadêmico dos estudantes, implementada em 2022. “Existia uma expectativa dos especialistas em Educação de que levaríamos de 8 a 10 anos para recompor as habilidades não adquiridas pelos estudantes, em decorrência da pandemia. Tivemos uma grata surpresa. A rede pública municipal de Educação, alcançou na avaliação da Prova Cuiabá realizada em 2022, uma média de 70,4. É um marco, resultado do comprometimento dos profissionais e dos investimentos da gestão Emanuel Pinheiro”, disse a secretária de Educação.

Edilene Machado destacou a parceria com as instituições para o enfrentamento e superação dos desafios. “Eu não tenho dúvida de que iremos superar os nossos desafios e avançar na busca de uma Educação Inclusiva, que garanta o direito de aprendizagem aos estudantes e, esse processo. passa pelo diálogo e a mediação dos conflitos nas escolas”, salientou.

Leia Também:  PM impede arremessos de drogas e celulares em presídios e prende suspeitos

O Promotor de Justiça, Dr. Miguel Slessarenko elogiou realização da Semana Pedagógica, evento que possibilita a discussão de temas relevantes para o ambiente escolar. Disse que o Ministério Público tem atuado de forma contínua na Educação, e uma das preocupações da instituição é com o aumento gradativo dos conflitos nesses ambientes, tornando a questão um desafio para os profissionais, por gerar prejuízos pedagógicos e desmotivação em toda a comunidade escolar. “A escola é um ambiente democrático, com grandes diversidades sociais, econômicas e vulnerabilidades, que acabam, naturalmente, gerando conflitos que impactam o dia a dia das comunidades. Esses conflitos refletem as comunidades onde as unidades estão inseridas. Nesse sentido, temos pensado em ferramentas que possam auxiliar os profissionais a enfrentar esses desafios, de uma forma mais adequada”, destacou.

Miguel Slhessarenko falou sobre o projeto Mediação de Conflitos Escolares, originado de uma parceria do Ministério Público e Tribunal de Justiça. O projeto tem capacitado profissionais no sentido de auxiliar a sua atuação dentro das unidades. “Temos poucas situações envolvendo a rede pública municipal cujo foco é a Educação Infantil, mas é importante que os estudantes saibam lidar com as suas emoções, com seus conflitos, sendo esta uma das competências estampadas na Base Nacional Comum Curricular, daí a importância da formação dos profissionais, e o apoio à comunidade escolar”, disse o promotor de Justiça.

A desembargadora Clarice Claudino da Silva, presidente do Tribunal de Justiça, falou sobre o tema Justiça Restaurativa no ambiente escolar, uma proposta de trabalho que visa prevenir e solucionar conflitos e tensões sociais, por meio da conscientização dos cidadãos, grupos representativos e da sociedade, na construção de uma cultura da paz. “Crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade se sentem ignorados pela sociedade. Sua autodefesa se manifesta na repetição do padrão daquilo que vivem diariamente em casa e na sua comunidade. Então devemos implantar no ambiente escolar, um processo de resgate de crianças e adolescentes por meio da escuta afetiva dos seus conflitos. Demostrar que todos estão inseridos no mesmo contexto social, e sensibilizar a comunidade como um todo para a cultura da paz. Nesse sentido, é fundamental fazermos um trabalho de base no ambiente escolar e, formar os profissionais da educação para serem facilitadores dos círculos de construção de paz, com apoio da rede de proteção”, destacou a presidente do Tribunal de Justiça, Desª. Clarice Claudino.

Leia Também:  Estudante de Ipiranga do Norte vai representar MT no Programa Jovens Embaixadores

Programação

A segunda mesa redonda da manhã discutiu o tema ‘Educação, Curriculo, Identidade e Relações Étnico-raciais: possibilidades para potencializar o trabalho pedagógico na implementação da Lei nº 10.639/2003 e Lei nº 11.645/2008’, que teve como formadora a Prof.ª Ma. Carmen Cinira, do Conselho Municipal de Educação.

A Semana Pedagógica é realizada pela Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação, voltada para as equipes gestoras das unidades educacionais, docentes e técnicos.

Fonte: SECOM CUIABÁ

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA