VÁRZEA GRANDE

ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL

Educação promove formação para técnicos que atendem alunos

O curso vai contemplar cerca de 200 técnicos efetivos e contratados

Publicado em

Educação

Foto: Secom-VG

A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel) promove no mês de setembro curso de formação para Técnicos de Desenvolvimento Educacional Especializado (TDEEs) que atendem alunos da educação especial e inclusiva nas escolas da rede municipal de ensino. O curso vai contemplar cerca de 200 técnicos efetivos e contratados.

A coordenadora de formação da Smecel, Vanilda Mendes, explica que serão quatro encontros presenciais, uma vez por semana, sempre às sextas-feiras, contabilizando carga horária de 40 horas. Esses encontros obedecem todos os protocolos de biossegurança. A carga horária também inclui complementação através do desenvolvimento de atividades práticas realizadas na escola com os alunos.

Os conteúdos abordados referem-se ao histórico da educação especial inclusiva, enfatizando os tipos de deficiência, seu atendimento e a proposta de inclusão, contemplando também a área da saúde. “A formação visa proporcionar aos TDEEs da área da educação especial e inclusiva o conhecimento de teorias e práticas para que desenvolvam o trabalho nas unidades de ensino de maneira mais eficaz, ajudando no desenvolvimento dos alunos com deficiência, tanto na parte cognitiva, quanto na parte motora”, ressalta.

Leia Também:  Universidade lança "Programa Segundo Tempo UFMT" que oferece aula de natação

Segundo a coordenadora-geral do Centro Municipal de Atendimento e Apoio à Inclusão João Ribeiro Filho, Benedita Loadir Pereira Leite, a formação pretende oportunizar conhecimentos na área da educação especial inclusiva aos TDEEs para que desenvolvam seus trabalhos de forma integrada, tendo conhecimento das deficiências e patologias dos seus alunos, bem como a prática para o desenvolvimento destes no processo de aprendizagem. “Através desse trabalho integrado do TDEE com o professor é que vamos ter melhores resultados na aprendizagem dos alunos com deficiência”, acrescentou.

A formação também vai promover reflexão acerca da prática com os TDEEs para que compartilhem suas experiências e conhecimentos referentes aos alunos atendidos e suas necessidades, com o intuito de desenvolver práticas que contribuam para o desenvolvimento dos mesmos. “Queremos subsidiar profissionais desta rede para ações e procedimentos pedagógicos capazes de favorecer a educação, além de possibilitar aos alunos com deficiência uma aprendizagem significativa, tanto nas salas de recursos quanto nas salas comuns de ensino regular, de modo que a educação especial inclusiva ocorra de forma colaborativa e integrada ao ensino comum”, destacou a coordenadora.

Leia Também:  Saúde do servidor da Educação atendeu 1.542 servidores

A subsecretária da Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Maria Alice de Barros, destacou que a rede municipal de Várzea Grande tem um trabalho diferenciado e especial para atender os alunos da educação inclusiva. “Essa formação dos TDEEs busca justamente a melhoria do atendimento aos alunos inclusos, buscando sempre a melhoria do ensino-aprendizagem”, ressalta.

A programação inclui palestras com os seguintes temas: “Políticas e Práticas na educação especial inclusiva”, proferida pela professora Sebastiana Almeida Souza; “Conhecendo e compreendendo a saúde mental dos alunos com deficiência na pandemia”, com a psicóloga Analinda de Siqueira; “Orientação e locomoção dos alunos com deficiência visual e baixa visão”, com a professora Pierina Zanioli; “Autopercepção da mastigação e deglutição”, pelas fonoaudiólogas Isabelle Delmondes e Elisabete Pereira de Moraes.

Contará ainda com uma palestra sobre primeiros socorros e Estudo Orientativo dos TDEEs, com as professoras Neryne Fransosi e Zélia Alves Vidal.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

Inscrições para o Encceja PPL 2022 terminam nesta sexta-feira

Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade

Publicados

em

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Terminam nesta sexta-feira (05) as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja PPL) 2022. Ele é direcionado aos jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir seus estudos em idade apropriada para cada nível de ensino.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet, pelo sistema de inscrição disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O prazo também vale para as solicitações de atendimento especializado e tratamento pelo nome social.

As provas serão aplicadas nos dias 18 e 19 de outubro, para o ensino fundamental e médio, respectivamente. O Encceja PPL tem o mesmo nível de dificuldade da edição regular. Segundo o Inep, a única diferença está na aplicação, que ocorre dentro de unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos respectivos órgãos de administração prisional e socioeducativa dos estados e do Distrito Federal.

Para participar do Encceja, o estudante precisa ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. Quem busca a certificação do ensino médio precisa ter, no mínimo, 18 anos completos na data da prova.

Leia Também:  Universidade lança "Programa Segundo Tempo UFMT" que oferece aula de natação

O exame tem quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, e uma proposta de redação.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA