VÁRZEA GRANDE

Economia

MPF rejeita proposta de R$ 8 bi da J&F para fechar leniência

Publicado em

Economia

Grupo J&F já fez cinco propostas à força-tarefa para o acordo de leniência, todas rejeitadas

Da Redação

 

A força-tarefa da Operação Greenfield rejeitou a proposta de 8 bilhões de reais do grupo J&F, controlador do JBS, para a multa de um acordo de leniência. A J&F já fez cinco propostas à força-tarefa para o acordo de leniência, todas rejeitadas.

Para fechar o acordo, o grupo já se propôs a pagar multas de 700 milhões de reais, 1 bilhão de reais, 1,4 bilhão de reais, 4 bilhões e 8 bilhões.

A Procuradoria pede 10,994 bilhões de reais, ligeiramente abaixo dos 11,2 bilhões de reais propostos até então.  Esse valor, segundo o Ministério Público Federal (MPF), representa 6% do faturamento das empresas do grupo no ano passado e deve ser pago em prestações semestrais ao longo de 13 anos, com início em dezembro de 2017.

Segundo nota do MPF, o dinheiro arrecadado deverá ser destinado às entidades públicas e fundos de pensão que, conforme investigações em curso, foram lesados pela atuação de empresas controladas pela J&F.

Leia Também:  Campos Neto diz que Pix reduzirá custos para as empresas

Pela proposta, os fundos de pensão Funcef e Petros e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) receberão, cada um, 25% do total a ser pago. Os 25% restantes serão distribuídos entre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), com 6,25%, Caixa Econômica Federal (6,25%) e União (12,5%).

Na nota, o MPF esclarece os cálculos que levaram ao montante sugerido para o pagamento. A multa foi inicialmente fixada em 20% do faturamento, percentual máximo previsto em lei. Em seguida, foi aplicado redutor de 2% em razão da existência de programa de integridade e da colaboração parcialmente espontânea dos crimes. Os 18% restantes sofreram um abatimento de dois terços, em razão da efetiva colaboração.

A proposta prevê ainda que, caso o grupo firme acordos no exterior, 50% do valor pago fora do país seja destinado a entidades brasileiras, na mesma proporção prevista no acordo de leniência.

O grupo vem sendo investigado em cinco frentes: Lava Jato, operações Bullish, Greenfield, Carne Fraca e Cui bono, que apuram supostos crimes de pagamento de propina, desvio de recursos e fraudes na liberação de recursos públicos, entre outros delitos.

Leia Também:  Ministério eleva isenção para mercadorias compradas em free shops

 

 

 

 

Fonte:Reuters

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Economia

Procon orienta consumidor a observar prazo de validade dos gêneros alimentícios

Os consumidores devem ficar atentos para evitarem problemas futuros, como problemas com a saúde e o bem estar. Válido ressaltar que, o Procon espera não encontrar irregularidades.

Publicados

em

Foto: divulgação SECOM CUIABÁ

O Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Municipal) de Cuiabá orienta quanto aos cuidados necessários na hora de realizar a compra de gêneros alimentícios.

Conforme o Procon, antes de adquirir um produto é de extrema relevância que o consumidor observe o prazo de fabricação e validade do item, observando ainda se o rótulo apresenta algo diferente do que está descrito nas especificidades.

“Esses cuidados, muitas vezes passam desapercebidos pois, na hora das compras, deixamos de observar detalhes, só depois, caso alguém passar mal, é que serão objetos de avaliação”, explicou o secretário-adjunto de Proteção e Defesa do Consumidor, Genilto Nogueira.

Ele recorda que as ações de fiscalização são regulares. Cita que em recente ação, realizada  pela equipe do Procon em conjunto com o Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso, os fiscais encontraram uma grande quantidade de produto específico com prazo de validade expirado há mais de 60 dias. No ato de fiscalização no mesmo supermercado, as balanças também apresentação problemas. A atuação foi realizada após uma denúncia anônima.

Leia Também:  Campos Neto diz que Pix reduzirá custos para as empresas

Genilto Nogueira explicou que “como novamente foram identificadas uma série de irregularidades, com carrinhos abarrotados de produtos vencidos, potes de margarina vencidos há mais de 60dias, lotes inteiros de pão de alho fora do prazo para consumo, o proprietário foi notificado com autos de infração e contestação no ato da fiscalização. Além disso, ele receberá a notificação de forma presencial e por via eletrônica. Mediante a confirmação de recebimento, ele terá 20 dias para apresentar sua impugnação. Havendo a multa pela gravidade do caso, o valor é multiplicado por quatro. Por conta da reincidência, o valor da multa será mais uma vez multiplicado por dois”, detalhou.

Reforça ainda “mais uma vez chamamos a atenção para a importância dessa conscientização” disse Genilto. Os consumidores devem ficar atentos para evitarem problemas futuros, como problemas com a saúde e o bem estar. Válido ressaltar que, o Procon espera não encontrar irregularidades. Ações de fiscalização servem para garantir a qualidade e a segurança de toda população”, disse o secretário.

“Encontrou algo irregular, denuncie. Seja o seu próprio fiscal, que o Procon Municipal ajudará você, consumidor”, finalizou Genilto.

Leia Também:  Superávit primário poderá fechar o ano acima do previsto, diz Tesouro

O Procon disponibiliza ferramentas digitais como o aplicativo ‘Procon Cuiabá”, nas versões para Android ou IOS para tratativas de denúncias e reclamações, ou pelos telefones 65-3632-6400, o WhatsApp (65) 3641-6400 e e-mail- [email protected]

Fonte: SECOM CUIABÁ

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA