VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Sinfra pavimenta MT-336 e leva asfalto para Santo Antônio do Leste

Publicado em

DESTAQUE

Da redação 

 

Doze anos depois, os produtores rurais realizam o antigo sonho de ver o asfalto chegar a Santo Antônio do Leste (a 379 km de Cuiabá). O município de grande potencial agrícola – hoje com 150 mil hectares de lavora de soja, milho e algodão -, que via o crescimento esbarrar na falta de estrutura, agora pode comemorar a pavimentação da rodovia MT-336.

“O sonho, que começou lá atrás, saiu do papel e se tornou realidade. Em 2005, fizemos o projeto inicial. Com o apoio do Governo do Estado, iniciamos a pavimentação dos primeiros 22 quilômetros. Mas foi com o Pró-Estradas que a obra acelerou. A Sinfra atualizou o antigo projeto para atender nossa realidade e concluiu os 51 km que restavam. Não temos nem palavras para agradecer esta obra, que vai alavancar a nossa produção e desenvolver o município”, disse Olivo Bedusque, presidente da Associação de Produtores Rurais.

Olivo disse que os produtores sempre foram ativos, e que já fizeram vários mutirões para conservar a rodovia. “Em 2013 nós fizemos um mutirão com 8 tratores ‘patrolinhas’ e uma patrola para fazer o acabamento neste trecho de 70 km.  Nós estamos muito, mais muito satisfeito com esse governo que ao invés de parar as obras está acelerando”.

Leia Também:  Polícia Militar fecha festa clandestina e multa 12 pessoas

A pavimentação da rodovia MT-336 é resultado da ação do Pró-Estradas, o maior programa de obras rodoviárias da história de Mato Grosso. Idealizado pelo governador Pedro Taques, o programa executado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) já concluiu 1.500 km de asfalto somente em dois anos e meio desta gestão.

Com a obra, Santo Antônio do Leste passa a se conectar por asfalto com a MT-130 – que foi totalmente recuperada pelo Pró-Estradas -, e que dá acesso a Paranatinga e Primavera do Leste, importantes municípios da região. Além disso, Santo Antônio do Leste deixou a incomoda lista das cidades com acesso por estrada de terra. Agora, lá se chega por asfalto. Em todo o Estado, no início desta gestão, eram 39 sedes municipais sem ligação asfáltica. A expectativa é reduzir – em quatro anos – para apenas 17 cidades.

“Sabemos que os desafios são muitos, mas as obras de pavimentação e reconstrução executadas em todas as regiões do estado mostram, de forma clara, que estamos no caminho certo. As nossas ações, mesmo diante da atual crise econômica, estão levando mais dignidade para os mato-grossenses que esperaram por tantos anos pela melhoria das rodovias que chegam até os municípios”, afirmou o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte. 

Leia Também:  Homem é detido após furtar bonecos promocionais de restaurante fast food

Com investimentos de R$ 50 milhões, a pavimentação da rodovia MT-336 era aguardada há anos pela população, que sofria com a pista sem asfalto. “Santo Antônio do Leste está recebendo um grande presente. Esta é uma obra diferenciada, pois a pista tem 10 metros de largura”, pontuou o prefeito Miguel Brunetta.

De acordo com informações técnicas repassadas pela Sinfra, a rodovia recebeu uma melhor capa asfáltica devido ao grande tráfego pesado de caminhões nesta região. “Usamos o chamado CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente), que é a capa nobre da engenharia, feita para aguentar o tráfego de caminhões carregados com a produção de grãos”, explicou a superintendente de obras da Sinfra, Paula Fenerich.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Invasores de lotes no entorno do Contorno Leste em Cuiabá implantam terror

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas.

Publicados

em

Fotos: Arquivo Pessoal

Muitas propriedades na região do Contorno Leste, em Cuiabá-MT, nas imediações do condomínio Belvedere, foram invadidas recentemente por grupos motorizados, fato amplamente noticiado na mídia estadual. No entanto, os invasores – que utilizam métodos violentos, genuinamente no estilo viking, segundo descrevem as vítimas -, continuam agindo impunemente na área. Todos os terrenos no entorno do Contorno Leste estão na mira dos criminosos, alertam.

“Basta ir lá para ver a movimentação intensa deles, mais parecendo cobras querendo dar o bote nas pessoas”, diz um geólogo que adquiriu um terreno no lugar, aquisição registrada em cartório.

“Eu nem saio do carro, pois temo ser agredido. A coisa está assim: invadem e expulsam o dono da propriedade. Ele nem pode retornar ao local”.

Foto: Arquivo Pessoal

Temendo pela sua segurança pessoal e da família, ele pediu para não postar fotos suas, apenas do BO. A esperança é de que alguma resolução judicial garanta a retomada de posse das áreas invadidas.

“Eu fui um dos primeiros a denunciar essa tropa infame. São abusados, querem tomar tudo que construímos à força, que suamos tanto para pagar. E o pior é que estão conseguindo, como fosse direito deles. Em resumo: quem tem terreno por ali (Contorno Leste) não tem mais qualquer segurança: de um dia pra outro pode perder sua propriedade. E ainda levar baita surra dos brutamontes que integram os grupos”.

Leia Também:  PM recupera veículo minutos depois de ter sido furtado em Primavera do Leste

Ainda que tenha sido um dos primeiros a registrar BO, frisando na Polícia que os proprietários das chácaras próximas ao Contorno Leste estão sendo prejudicados, ameaçados e até agredidos, o chacareiro lamenta que nada tenha sido feito ainda em prol de proteger pessoas e propriedades.

“Esses invasores chegam em quantidade sempre maior, e continuam de prontidão, atentos ao menor descuido de algum sitiante para se apoderar de suas terras. Têm agido mesmo com violência, segundo muita gente já confirmou. Pelo menos no meu caso isso ainda não aconteceu, pois não estava lá quando invadiram minha chácara”, disse.

João Pinto teve área invadida Foto: Arquivo Pessoal

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas. Na sua propriedade, João Pinto cria gado, tem pista, hangar, e é onde guarda seu avião, um monomotor modelo Super Hélio Courier.

“Não sei se os vikings, como estão sendo denominados esses invasores, já chegaram ao centro da propriedade do vizinho João Pinto, também se apoderando de tudo que se encontra por lá. Porém, nos arredores, fincaram bandeira de posse ilegal”.

Leia Também:  Em sistema drive thru, Peixe Santo será vendido em quatro pontos da cidade a R$ 15,90 kg

O chacareiro conta ter ficado sabendo que um dos filhos de João Pinto foi agredido ao tentar barrar a derrubada de cerca, operação feita por tratores.

“As autoridades precisam tomar providências urgentes! Estamos mesmo vivenciando, em Cuiabá, as barbaridades protagonizadas pelos vikings há séculos, quando invadiam terras e trucidavam pessoas. E isso  é movimento orquestrado por quadrilha especializada: dispõem de maquinário pesado, carros de luxo e recursos para bancar proteção de leões de chácara. Como um simples chacareiro vai enfrentar esses brutamontes? É um caso de Polícia!”

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA