VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Prefeitura de Várzea Grande e IFMT estudam parceria na implementação de projetos socioeducacionais

Publicado em

DESTAQUE

Da redação

A Prefeitura Municipal de Várzea Grande e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, campus de Várzea Grande (IFMT-VG), estudam firmar Termos de Cooperação Técnica para viabilizar projetos socioeducacionais nas diversas áreas da Administração Pública, no município. A ideia de parceria surgiu após a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, conhecer na tarde de terça-feira (27/06), projetos desenvolvidos pelo Instituto bem como seus resultados positivos.

“Temos certeza que uma futura parceria com uma instituição como o IFMT vai beneficiar crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, e talvez consigamos ampliar esses benefícios para outros públicos, pois, devido à grande variedade de cursos técnicos e de graduação ofertados pelo Instituto, poderemos levar conhecimento e benefícios diversos para além da instituição de ensino conforme vimos exemplos reais apresentados pela diretora geral. Eu e minha equipe técnica ficamos maravilhadas com os projetos que já existem e podem em um futuro próximo beneficiar a sociedade várzeagrandense, a exemplo de aulas de línguas, formação de corais, orquestra, regularização fundiária, entre outros. Também observamos que essa parceria fortaleceria não somente as ações da Prefeitura nas mais diversas áreas como também as ações do IFMT que poderá oportunizar aos seus alunos um processo de formação mais completo e humanizado, ao aplicar na prática o conhecimento adquirido em sala de aula, garantindo inclusão cultural, valorização e preservação da memória, difusão de conhecimento e de cidadania”, avaliou a prefeita Lucimar Campos.

Ao citar como valorosa a participação da Prefeitura de Várzea Grande na instalação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso no município, a diretora geral do Campus, Sandra Maria de Lima, enfatizou “que uma aproximação maior com a Prefeitura irá ajudar o IFMT a concretizar projetos e atingir os nossos objetivos. A universidade tem papel comunitário e obrigação em participar de iniciativas de inclusão social. Além disso, é um processo que vai beneficiar professores e acadêmicos com a possibilidade de atuação na comunidade”, afirmou, lembrando que vários cursos poderão se incluir no projeto de parceria com  atividades extraclasse.

Leia Também:  Prefeitura do Rio mantém escolas fechadas até 30 de abril

Para o Reitor do IFMT, professor Willian Silva de Paula, a aplicação na prática de atividades extraclasse só poderá de fato se tornar realidade com a iniciativa e o compromisso das partes em firmar o Termo de Parceria. “A vontade política de fazer o melhor para a cidade de Várzea Grande que a nossa prefeita tem demonstrado nos seus atos e feitos administrativos, irá garantir também o apoio necessário para essa instituição de ensino pública  na solidificação da parceria. Nosso papel é garantir  qualidade e excelência do ensino superior e técnico, e temos  a obrigação de garantir aos nossos alunos e à sociedade em geral o melhor. A prefeita entendeu a importância de se garantir o bom funcionamento do Instituto por isso nos cedeu espaço físico para funcionamento enquanto a construção definitiva do Campus não é finalizado, o que também demonstra seu compromisso em manter e consolidar o IFMT no município”, ratificou o reitor.

Entre os projetos explanados à chefe do Executivo Municipal e sua equipe técnica destacaram-se o “Resgate da Humanidade” que visa implantar uma orquestra e o Coral IFMT de Várzea Grande; o projeto “Jovem Educador” onde os melhores alunos em línguas estrangeiras do instituto multiplicam o conhecimento com alunos da rede pública municipal de ensino; projeto “Plantart” que tem condições de contribuir com até 90 regularizações fundiárias de moradias urbanas por semestre; além, dos projetos “Expedição Secular”; “Jornada Científica”;  “Semana da Adversidade”; “Pauta Viva”; “Inclusão em Libras”, “Pinacoteca”, “Ecolog”, entre outros.

Leia Também:  Policiais derrubam verdadeiro empreendimento do crime em Várzea Grande.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, logo após o recesso escolar de julho, os técnicos da secretaria buscarão o IFMT para consolidar as propostas apresentadas e iniciar o intercâmbio de projetos. “Ter junto à secretaria municipal de Educação a  presença do Instituto, uma das mais importantes instituições de ensino do Estado, será a união da educação e cultura para a melhoria da qualidade de vida da população e para a excelência educacional no município”, frisou.

O desenvolvimento da pesquisa na prática junto aos mais carentes e vulneráveis foi um dos pontos citados pela secretária municipal de Assistência Social, Kathe Martins, sobre a parceria com o Instituto. “Todos sabemos que o IFMT é uma instituição de excelência em educação. E, se estão dispostos a estender ações sociais que irão agregar conhecimento e benefícios ao mesmo público alvo nosso, que é a sociedade em vulnerabilidade social, não podemos perder mais essa chance que vai nos ajudar a conquistar um município melhor para se viver”, disse.

Também participaram do encontro os vereadores Ícaro Reveles e Gisa Barros, o Pró-reitor de Extensão do IFMT, Marcus Vinicius Taques de Arruda, a coordenadora de gestão escolar da Secretaria Municipal de Educação, Benedita Ponce, a superintendente da subprefeitura do Cristo Rei, Isabela Guimarães, além de toda equipe diretora educacional do Campus.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Invasores de lotes no entorno do Contorno Leste em Cuiabá implantam terror

FAMÍLIAS ESTÃO DESESPERADAS COM AS INVASÕES QUE ACONTECEM DIARIAMENTE NA REGIÃO DO CONTORNO LESTE DA CAPITAL MATO-GROSSENSE.

Publicados

em

Fotos: Arquivo Pessoal

Muitas propriedades e pequenos lotes, situados na região do Contorno Leste, em Cuiabá-MT, nas imediações do condomínio Belvedere, foram invadidas recentemente por grupos motorizados, fato amplamente noticiado na mídia estadual.

Os invasores utilizam métodos violentos, genuinamente no estilo viking, segundo descrevem as vítimas, e continuam agindo impunemente na área. Segundo reunião que fizeram para análise da situação, todos os terrenos de pequeno, médio e grande porte no entorno do Contorno Leste estão na mira dos criminosos, alertam.

“Basta ir lá para ver a movimentação intensa deles, mais parecendo cobras querendo dar o bote nas pessoas”, diz um geólogo que adquiriu lote no lugar, aquisição registrada em cartório.

“Eu nem saio do carro, pois temo ser agredido. A coisa está assim: invadem e expulsam o dono da propriedade. Ele nem pode retornar ao local”.

Foto: Arquivo Pessoal

Temendo pela sua segurança pessoal e da família, ele pediu para não postar fotos suas, apenas do BO. A esperança é de que alguma resolução judicial garanta a reintegração de posse das áreas invadidas.

“Eu fui um dos primeiros a denunciar essa tropa infame. São abusados, querem tomar tudo que construímos à força, que suamos tanto para pagar. E o pior é que estão conseguindo, como fosse direito deles. Em resumo: quem tem terreno por ali (Contorno Leste) não tem mais qualquer segurança: de um dia pra outro pode perder sua propriedade. E ainda levar baita surra dos brutamontes que integram os grupos”.

Leia Também:  Prefeitura do Rio mantém escolas fechadas até 30 de abril

Ainda que tenha sido um dos primeiros a registrar BO, frisando na Polícia que os proprietários de lotes e chácaras próximas ao Contorno Leste estão sendo prejudicados, ameaçados e até agredidos. O geólogo lamenta que nada tenha sido feito ainda em prol de proteger pessoas e propriedades.

“Esses invasores chegam em quantidade sempre maior, e continuam de prontidão, atentos ao menor descuido de algum sitiante para se apoderar de suas terras. Têm agido mesmo com violência, segundo muita gente já confirmou. Pelo menos no meu caso isso ainda não aconteceu, pois não estava lá quando invadiram meu lote”, disse.

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas. Na propriedade, acessada pelo Planalto (Coxipó Mirim) ou pelo Jardim Imperial, João Pinto cria modesta quantidade de gado, tem pista, hangar, e é onde guarda um monomotor, avião modelo Super Hélio Courier.

“Não sei se os vikings, como estão sendo denominados esses invasores, já chegaram ao centro da propriedade do vizinho João Pinto, também se apoderando de tudo que se encontra por lá. Porém, nos arredores, fincaram bandeira de posse ilegal”.

Leia Também:  STJ nega rever decisão do Tribunal da Lava Jato sobre manter Moro nos processos

O geólogo conta ter ficado sabendo que um dos filhos de João Pinto foi agredido ao tentar barrar a derrubada de cerca, operação feita por tratores.

“As autoridades precisam tomar providências urgentes! Estamos mesmo vivenciando, em Cuiabá, as barbaridades protagonizadas pelos vikings há séculos, quando invadiam terras e trucidavam pessoas. E isso  é movimento orquestrado por quadrilha especializada: dispõem de maquinário pesado, carros de luxo e recursos para bancar proteção de leões de chácara. Como um simples chacareiro vai enfrentar esses brutamontes? É um caso de Polícia!”

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA