VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Polícia Civil atenderá ocorrências e divulga atividades durante a Expoagro

Publicado em

DESTAQUE

Da Redação

 

A Polícia Judiciária Civil está presente na 53ª Expoagro em Cuiabá, com serviços de segurança pública e divulgação de projetos sociais. O delegado regional de Cuiabá, Cley Celestino Batista, informou que em dez dias de evento, a PJC atuará com 138 policiais civis nas atividades operacionais e 20 na administração e gestão.

Uma equipe composta por um delegado, escrivão, e investigadores fará registros de boletins de ocorrêncios e atenderá eventualidades ocorridas dentro do Parque de Exposição Senador Jonas Pinheiro. A equipe ficará na Delegacia Móvel, que permanecerá estacionada na entrada do parque durante todos os dias do evento.

As ações sociais da PJC podem ser conferidas no stand da instituição, no pavilhão do governo, local onde foi montada a exposição fotográfica comemorativa aos 175 anos de sua existência. Entre os principais projetos sociais estão o De Cara Limpa Contra as Drogas e De Bem Com a Vida, que são coordenados pela Polícia Comunitária da PJC.

Outros atrativos apresentados aos visitantes da feira agropecuária são os armamentos de pequeno e grande porte utilizados pelos policiais civis, uniformes, munições, explosivos e equipamentos usados pela Gerência de Operações Especiais (GOE), e ainda o veículo blindado da Polícia Judiciária Civil,  além de dois displays interativo para o público tirar fotografias.

Leia Também:  Homem é assassinado por desconhecido ao tentar assaltar

Ainda no espaço do Governo, dentro do Parque de Exposições de Cuiabá, o visitante poderá conferir serviços disponibilizados por outros órgãos do Estado, e todo o aparato da Segurança Pública.

Com satisfação, o investigador de polícia Luiz Carlos Torquato da Silva, da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá, falou da alegria em participar pela primeira vez de um trabalho social bem diferente do desenvolvido no seu dia a dia. “É um prazer trazer para a sociedade informações sobre a história da Polícia Civil e apresentar os projetos sociais preventivos que são desenvolvidos pela Coordenadoria de Polícia Comunitária”, destacou o policial civil.

Também lotada na Derf, a investigadora Ariane de Aguiar Correa destacou a importância em aproximar a população cada vez mais da polícia. “Está havendo uma quebra de paradigmas, pois antigamente as crianças tinham medo e se assustavam quando ouviam falar em polícia, hoje em dia os adolescentes e crianças admiram os policiais e sempre se aproximam para tirar fotos”, mencionou Ariane Aguiar.

Para o adolescente João Guilherme Tavares de Jesus, de 14 anos e admirador da exposição, o melhor atrativo foi o veículo Blindado, que chamou sua atenção pelo tamanho e potência do carro forte da Polícia Civil, construído para atender ocorrências especiais.

Leia Também:  Mato Grosso apresenta redução expressiva na criminalidade

Serviço / Atendimento

Durante os dez dias de evento agropecuário na capital, o ônibus da Polícia Civil ficará estacionado na entrada do Parque de Exposições, com equipe completa de delegado, escrivão e cinco investigadores, para atender possíveis situações de gravidades, bem como realizar a confecção de registro de boletim de ocorrência.

O cidadão poderá tirar dúvidas jurídicas e receber outras orientações policiais direto com o delegado de polícia, que estará com a equipe todas as noites do evento. Conforme o delegado de polícia, Guilherme de Carvalho Bertoli, a presença das equipes de policiais civis ajuda a trazer maior sensação de segurança. Além de coibir delitos, fortalecer e disponibilizar ao cidadão a prestação imediata do serviço policial. 

Para facilitar o trabalho das equipes, a Diretoria de Execução Estratégica buscou deixar em pleno funcionamento internet nos computadores ligados ao Sistema de Registro de Boletim de Ocorrência (SROP), impressora, para agilizar a confecção do boletim de ocorrência ao cidadão.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Invasores de lotes no entorno do Contorno Leste em Cuiabá implantam terror

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas.

Publicados

em

Fotos: Arquivo Pessoal

Muitas propriedades na região do Contorno Leste, em Cuiabá-MT, nas imediações do condomínio Belvedere, foram invadidas recentemente por grupos motorizados, fato amplamente noticiado na mídia estadual. No entanto, os invasores – que utilizam métodos violentos, genuinamente no estilo viking, segundo descrevem as vítimas -, continuam agindo impunemente na área. Todos os terrenos no entorno do Contorno Leste estão na mira dos criminosos, alertam.

“Basta ir lá para ver a movimentação intensa deles, mais parecendo cobras querendo dar o bote nas pessoas”, diz um geólogo que adquiriu um terreno no lugar, aquisição registrada em cartório.

“Eu nem saio do carro, pois temo ser agredido. A coisa está assim: invadem e expulsam o dono da propriedade. Ele nem pode retornar ao local”.

Foto: Arquivo Pessoal

Temendo pela sua segurança pessoal e da família, ele pediu para não postar fotos suas, apenas do BO. A esperança é de que alguma resolução judicial garanta a retomada de posse das áreas invadidas.

“Eu fui um dos primeiros a denunciar essa tropa infame. São abusados, querem tomar tudo que construímos à força, que suamos tanto para pagar. E o pior é que estão conseguindo, como fosse direito deles. Em resumo: quem tem terreno por ali (Contorno Leste) não tem mais qualquer segurança: de um dia pra outro pode perder sua propriedade. E ainda levar baita surra dos brutamontes que integram os grupos”.

Leia Também:  Polícia Civil de Rondonópolis participa de trabalho em conjunto de fiscalização

Ainda que tenha sido um dos primeiros a registrar BO, frisando na Polícia que os proprietários das chácaras próximas ao Contorno Leste estão sendo prejudicados, ameaçados e até agredidos, o chacareiro lamenta que nada tenha sido feito ainda em prol de proteger pessoas e propriedades.

“Esses invasores chegam em quantidade sempre maior, e continuam de prontidão, atentos ao menor descuido de algum sitiante para se apoderar de suas terras. Têm agido mesmo com violência, segundo muita gente já confirmou. Pelo menos no meu caso isso ainda não aconteceu, pois não estava lá quando invadiram minha chácara”, disse.

João Pinto teve área invadida Foto: Arquivo Pessoal

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas. Na sua propriedade, João Pinto cria gado, tem pista, hangar, e é onde guarda seu avião, um monomotor modelo Super Hélio Courier.

“Não sei se os vikings, como estão sendo denominados esses invasores, já chegaram ao centro da propriedade do vizinho João Pinto, também se apoderando de tudo que se encontra por lá. Porém, nos arredores, fincaram bandeira de posse ilegal”.

Leia Também:  Mato Grosso apresenta redução expressiva na criminalidade

O chacareiro conta ter ficado sabendo que um dos filhos de João Pinto foi agredido ao tentar barrar a derrubada de cerca, operação feita por tratores.

“As autoridades precisam tomar providências urgentes! Estamos mesmo vivenciando, em Cuiabá, as barbaridades protagonizadas pelos vikings há séculos, quando invadiam terras e trucidavam pessoas. E isso  é movimento orquestrado por quadrilha especializada: dispõem de maquinário pesado, carros de luxo e recursos para bancar proteção de leões de chácara. Como um simples chacareiro vai enfrentar esses brutamontes? É um caso de Polícia!”

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA