VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Monitorados por envolvimento com o tráfico de drogas, suspeitos atropelam policial em tentativa de fuga

Publicado em

DESTAQUE

Da Redação

 

Uma ação conjunta entre as policias Civil (PJC) e Militar (PM) nesta quarta-feira (13.09), no bairro Jardim Palmeiras, em Lucas do Rio Verde (354 km de Cuiabá) resultou na prisão de dois homens por envolvimento com o tráfico de drogas.

Os suspeitos já estavam sob monitoramento por denúncia. Durante as observações a rotina dos rapazes, os policiais perceberam que os suspeitos costumavam pegar certa quantidade de droga na região da central e saiam de motocicleta em direção a Avenida Brasil.

 Com isso, os policiais do 13º Batalhão aguardaram nas proximidades até o momento exato de abordar a dupla. No momento da abordagem os suspeitos tentaram foragir, e no momento da fuga acabaram atropelando um policial.

A equipe fez o acompanhamento e conseguiram capturar os suspeitos alguns metros depois do local da abordagem. Além da prisão dos suspeitos, uma pistola de 9 mm e cerca de 200 gramas de pasta base, um aparelho celular e duas balanças de precisão foram apreendidos com a dupla.

Diante dos fatos ambos foram encaminhados a Delegacia de Polícia do município para seguir com os procedimentos policiais.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PM intercepta dupla que fugiu de abordagem em Rondonópolis
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Médicos que atuavam em Água Boa são denunciados pelo MPE

Publicados

em

Infomoney

Médicos não habilitados pelas autoridades brasileiras foram denunciados pelo Ministério Público do Estado por exercício ilegal da medicina em Água Boa, a 730 Km de Cuiabá. Victor Gustavo Barja Oliva, Jéssica da Vera Cruz Sousa e Lydia da Vera Cruz Souza. De acordo com a instituição, eles vão responder por expor a vida ou a saúde de outras pessoas a perigo, associação criminosa e falsidade ideológica.

 

Também foram acionados o médico Sebastião Siqueira de Carvalho Júnior e Raquel Guerra Garcia, sócios e administradores da empresa Cure Tratamento em Saúde Ltda, que era responsável até então pela prestação dos serviços de saúde na Unidade de Terapia Intensiva de Covid-19 do hospital onde os fatos ocorreram.

 

De acordo com o MPMT, várias reclamações relacionadas à atuação dos denunciados chegaram ao Ministério Público e os fatos estão sendo apurados na esfera cível e criminal. Existe, inclusive, inquérito policial instaurado para apurar possíveis consequências criminais envolvendo a morte de duas pessoas.

 

Na denúncia cita, que o grupo atuou entre os meses de abril e maio deste ano no Hospital Regional Paulo Alemão. Além de exercer a profissão de médico sem autorização legal, as investigações descobriram que eles faziam declaração falsa, com o intuito de alterar a verdade sobre fato juridicamente importante.

 

O MPMT cita ainda, que por várias vezes o grupo atuou sem a supervisão do médico responsável pelo local, prescrevendo medicamentos, avaliando pacientes e exames clínicos, e realizando procedimentos médicos, como dreno de tórax, acesso central, intubação e massagem cardíaca.

 

Os administradores da unidade hospitalar, que atuavam nesse período, estão sendo acusados de substituir os medicamentos de primeira linha, por outros que não da mesma eficácia. O MPMT disse ainda, que existem relatos de pacientes que teriam passado pela experiência de acordar durante o período em que se encontravam intubados.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Prefeitura realiza fiscalização no combate à Poluição Sonora
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA