VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Governador não citou presidente do Tribunal de Contas e diz que não aceita “ingerência”

Publicado em

DESTAQUE

 

Da Redação/MidiaNews

O governador Pedro Taques (PSDB) usou parte de seu discurso na manhã desta terça-feira (25), durante solenidade de posse dos novos procuradores do Estado, para sair em defesa de sua gestão e dos secretários de seu Governo.

 

O tucano afirmou que seu Governo não aceitará “ingerências descabidas” feitas, eventualmente, por outras instituição ou Poderes.

 

A declaração, na verdade, veio em resposta ao presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Antônio Joaquim, que anunciou uma ação judicial a ser movida contra a Secretaria de Estado de Fazendo (Sefaz).

 

Em seu discurso, o governador agradeceu a cada uma das autoridades presentes e dirigiu sua fala ao conselheiro substituto Moises Maciel que, no ato realizado na manhã de hoje, representava o TCE.

“Cumprimento meu professor, o procurador Luiz Scaloppe; cumprimento o procurador-geral do Estado, Rogério Gallo; o chefe da Casa Civil, Paulo Taques; o secretário de Fazenda, Gustavo de Oliveira, o homem do dinheiro; o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos; o defensor Marcio Dorileo; a corregedora da PGE, Glaucia Amaral e deixei por fim, não em razão de sua desimportância, mas em razão de sua importância, o conselheiro Moises Maciel”, disse Taques.

Leia Também:  Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto

 

Na sequência, o governador afirmou ter respeito pelo Tribunal de Contas, mas pontuou que sua gestão não admitirá qualquer tipo de ilegalidade.

 

“Quero dizer aqui de público o respeito que tenho por vossa excelência, pelos conselheiros do Tribunal de Contas, pelo Tribunal de Contas do nosso Estado, uma instituição séria, que tem colaborado para que possamos chegar a este momento histórico. Mas este Governo não tolera a ilegalidade. Como diria Platão, sou amigo de todos, mas sou mais amigo da Constituição”, afirmou.

 

“A constituição precisa ser preservada e este Governo não aceita ingerências que sejam descabidas. Não aceito que secretários do meu Governo sejam constrangidos”, acrescentou o governador.

 

Por fim, Taques ainda pediu para que o conselheiro Moises transmitisse aos demais membros do TCE sua postura de admiração ao órgão.

 

Para isso, o governador citou os conselheiros da Corte de Contas, sem, contudo, mencionar o nome do presidente Antonio Joaquim.

 

“Em seu nome quero expressar o respeito [ao TCE] e leve esse respeito ao conselheiro Valdir Teis, ao conselheiro Valter Albano, ao conselheiro José Carlos Novelli, ao conselheiro Luiz Carlos, ao conselheiro Luiz Henrique e aos conselheiros do TCE”, disse.

Leia Também:  Em vídeo, governador mostra andamento das obras no Hospital Central em Cuiabá; assista

 

“Eu, como governador deste Estado, respeito as instituições, mas sou mais amigo da constituição”, concluiu Taques.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Invasores de lotes no entorno do Contorno Leste em Cuiabá implantam terror

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas.

Publicados

em

Fotos: Arquivo Pessoal

Muitas propriedades na região do Contorno Leste, em Cuiabá-MT, nas imediações do condomínio Belvedere, foram invadidas recentemente por grupos motorizados, fato amplamente noticiado na mídia estadual. No entanto, os invasores – que utilizam métodos violentos, genuinamente no estilo viking, segundo descrevem as vítimas -, continuam agindo impunemente na área. Todos os terrenos no entorno do Contorno Leste estão na mira dos criminosos, alertam.

“Basta ir lá para ver a movimentação intensa deles, mais parecendo cobras querendo dar o bote nas pessoas”, diz um geólogo que adquiriu um terreno no lugar, aquisição registrada em cartório.

“Eu nem saio do carro, pois temo ser agredido. A coisa está assim: invadem e expulsam o dono da propriedade. Ele nem pode retornar ao local”.

Foto: Arquivo Pessoal

Temendo pela sua segurança pessoal e da família, ele pediu para não postar fotos suas, apenas do BO. A esperança é de que alguma resolução judicial garanta a retomada de posse das áreas invadidas.

“Eu fui um dos primeiros a denunciar essa tropa infame. São abusados, querem tomar tudo que construímos à força, que suamos tanto para pagar. E o pior é que estão conseguindo, como fosse direito deles. Em resumo: quem tem terreno por ali (Contorno Leste) não tem mais qualquer segurança: de um dia pra outro pode perder sua propriedade. E ainda levar baita surra dos brutamontes que integram os grupos”.

Leia Também:  Sorp aplica multa de R$ 120 mil em boate da capital

Ainda que tenha sido um dos primeiros a registrar BO, frisando na Polícia que os proprietários das chácaras próximas ao Contorno Leste estão sendo prejudicados, ameaçados e até agredidos, o chacareiro lamenta que nada tenha sido feito ainda em prol de proteger pessoas e propriedades.

“Esses invasores chegam em quantidade sempre maior, e continuam de prontidão, atentos ao menor descuido de algum sitiante para se apoderar de suas terras. Têm agido mesmo com violência, segundo muita gente já confirmou. Pelo menos no meu caso isso ainda não aconteceu, pois não estava lá quando invadiram minha chácara”, disse.

João Pinto teve área invadida Foto: Arquivo Pessoal

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas. Na sua propriedade, João Pinto cria gado, tem pista, hangar, e é onde guarda seu avião, um monomotor modelo Super Hélio Courier.

“Não sei se os vikings, como estão sendo denominados esses invasores, já chegaram ao centro da propriedade do vizinho João Pinto, também se apoderando de tudo que se encontra por lá. Porém, nos arredores, fincaram bandeira de posse ilegal”.

Leia Também:  Base aliada consegue votos para arquivar a denúncia contra Temer

O chacareiro conta ter ficado sabendo que um dos filhos de João Pinto foi agredido ao tentar barrar a derrubada de cerca, operação feita por tratores.

“As autoridades precisam tomar providências urgentes! Estamos mesmo vivenciando, em Cuiabá, as barbaridades protagonizadas pelos vikings há séculos, quando invadiam terras e trucidavam pessoas. E isso  é movimento orquestrado por quadrilha especializada: dispõem de maquinário pesado, carros de luxo e recursos para bancar proteção de leões de chácara. Como um simples chacareiro vai enfrentar esses brutamontes? É um caso de Polícia!”

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA