VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Em menos de 24 horas, ação conjunta localiza carro roubado

Publicado em

DESTAQUE

Da Redação

 

Um veículo roubado foi localizado pelo Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) durante patrulhamento preventivo em Cuiabá. O carro, modelo Prisma de cor prata, havia sido roubado no início da noite de segunda-feira (05.06), na região da Avenida Getúlio Vargas, no Centro.

Em menos de 24 horas, já na terça-feira (06.06), o carro foi encontrado em uma área de difícil acesso, próximo ao bairro Doutor Fábio, na Capital.

O comandante do Ciopaer, coronel PM Henrique Silva Santos, disse que o patrulhamento aéreo é constante, contudo, o êxito nas ações são resultados do trabalho integrado entre as forças de Segurança Pública.  

“Com base nas informações de veículos roubados e furtados na região metropolitana, a tripulação do Águia realizou a aproximação ao veículo e a checagem junto ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), que confirmou que o carro era roubado”, disse o comandante.

A tripulação da aeronave acionou uma viatura do 3º Batalhão de Polícia Militar, que foi até o local para encaminhar o veículo à Delegacia Especializada de Roubo e Furto de Veículo Automotor (DERRFVA).

Leia Também:  PM recupera motocicleta furtada e prende suspeito minutos após o crime

O proprietário do veículo, Odirlei Florentino de Araújo, de 32 anos, elogiou a rápida resposta das forças de Segurança em localizar o carro que utiliza para trabalho e lazer com a família.  “Por mais tenha seguro, saber que o carro foi recuperado tão rápido me deixou muito feliz”.

Balanço

A ação desta terça-feira é mais uma que resulta do trabalho integrado do Ciopaer com a Polícia Militar (PM-MT) e Polícia Judiciária Civil (PJC). De janeiro deste ano até agora, o Centro Integrado de Operações Aéreas localizou mais de 37 veículos em Cuiabá e Várzea Grande durante patrulhamento aéreo.

Neste ano, o grupamento aéreo intensificou o serviço de inteligência e a parceria com as delegacias da Polícia Judiciária Civil, em especial de roubo e furto de veículos, conforme o coronel PM Henrique.

Além de Cuiabá e Várzea Grande, o patrulhamento aéreo ocorre nas regiões circunvizinhas, com o objetivo de localizar veículos abandonados que foram roubados ou furtados.

Ciopaer

As atividades do Ciopaer foram regulamentadas pelo Governo do Estado por meio do Decreto nº 8304, de 17 de novembro de 2006. O objetivo é centralizar, em um único órgão, o controle, a operação e a manutenção das aeronaves de asas fixas e rotativas de atividade policial de Mato Grosso.

Leia Também:  Volta as Aulas: Início da Correção das apostilas de agosto e entrega do material de setembro

Atualmente, o Ciopaer dispõe de três helicópteros e quatro aeronaves. O efetivo é de 92 profissionais da segurança pública, entre policiais militares, policiais civis e bombeiros militares, que se dividem nas funções de pilotos, tripulantes, mecânicos e nos serviços administrativos.

Os profissionais atuam em apoio às ocorrências de roubos, cercos, perseguições, resgates, salvamentos, incêndio, defesa civil, entre outros.

Desde 2015, o Ciopaer tem auxiliado as forças de segurança pública nas ações integradas em todo o estado. Além disso, o grupamento especializado também realiza patrulhamentos preventivos com foco na redução dos índices criminais.

Em 2016, por exemplo, foram realizados 216 patrulhamentos aéreos em Cuiabá e Várzea Grande, o que contribuiu de forma direta para a redução dos índices de criminalidade nas duas maiores cidades mato-grossenses.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Invasores de lotes no entorno do Contorno Leste em Cuiabá implantam terror

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas.

Publicados

em

Fotos: Arquivo Pessoal

Muitas propriedades na região do Contorno Leste, em Cuiabá-MT, nas imediações do condomínio Belvedere, foram invadidas recentemente por grupos motorizados, fato amplamente noticiado na mídia estadual. No entanto, os invasores – que utilizam métodos violentos, genuinamente no estilo viking, segundo descrevem as vítimas -, continuam agindo impunemente na área. Todos os terrenos no entorno do Contorno Leste estão na mira dos criminosos, alertam.

“Basta ir lá para ver a movimentação intensa deles, mais parecendo cobras querendo dar o bote nas pessoas”, diz um geólogo que adquiriu um terreno no lugar, aquisição registrada em cartório.

“Eu nem saio do carro, pois temo ser agredido. A coisa está assim: invadem e expulsam o dono da propriedade. Ele nem pode retornar ao local”.

Foto: Arquivo Pessoal

Temendo pela sua segurança pessoal e da família, ele pediu para não postar fotos suas, apenas do BO. A esperança é de que alguma resolução judicial garanta a retomada de posse das áreas invadidas.

“Eu fui um dos primeiros a denunciar essa tropa infame. São abusados, querem tomar tudo que construímos à força, que suamos tanto para pagar. E o pior é que estão conseguindo, como fosse direito deles. Em resumo: quem tem terreno por ali (Contorno Leste) não tem mais qualquer segurança: de um dia pra outro pode perder sua propriedade. E ainda levar baita surra dos brutamontes que integram os grupos”.

Leia Também:  Governador permanece internado para combater infecção pulmonar

Ainda que tenha sido um dos primeiros a registrar BO, frisando na Polícia que os proprietários das chácaras próximas ao Contorno Leste estão sendo prejudicados, ameaçados e até agredidos, o chacareiro lamenta que nada tenha sido feito ainda em prol de proteger pessoas e propriedades.

“Esses invasores chegam em quantidade sempre maior, e continuam de prontidão, atentos ao menor descuido de algum sitiante para se apoderar de suas terras. Têm agido mesmo com violência, segundo muita gente já confirmou. Pelo menos no meu caso isso ainda não aconteceu, pois não estava lá quando invadiram minha chácara”, disse.

João Pinto teve área invadida Foto: Arquivo Pessoal

Um dos chacareiros mais prejudicados é o português João Antônio Pinto, informa, já com grande parte de suas terras invadidas. Na sua propriedade, João Pinto cria gado, tem pista, hangar, e é onde guarda seu avião, um monomotor modelo Super Hélio Courier.

“Não sei se os vikings, como estão sendo denominados esses invasores, já chegaram ao centro da propriedade do vizinho João Pinto, também se apoderando de tudo que se encontra por lá. Porém, nos arredores, fincaram bandeira de posse ilegal”.

Leia Também:  Rondonópolis terá pelo menos mais 30 respiradores artificiais a partir desta semana

O chacareiro conta ter ficado sabendo que um dos filhos de João Pinto foi agredido ao tentar barrar a derrubada de cerca, operação feita por tratores.

“As autoridades precisam tomar providências urgentes! Estamos mesmo vivenciando, em Cuiabá, as barbaridades protagonizadas pelos vikings há séculos, quando invadiam terras e trucidavam pessoas. E isso  é movimento orquestrado por quadrilha especializada: dispõem de maquinário pesado, carros de luxo e recursos para bancar proteção de leões de chácara. Como um simples chacareiro vai enfrentar esses brutamontes? É um caso de Polícia!”

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA