VÁRZEA GRANDE

DESTAQUE

Conta-propina de Lula e Dilma no exterior tinha US$ 150 milhões

Publicado em

DESTAQUE

Quem diz é Joesley Batista. Dinheiro foi pago em troca de repasses do BNDES à JBS. e , segundo o empresário, sabiam de tudo

Da Redação

 

No acordo de delação premiada que fechou com a Operação Lava Jato, o empresário Joesley Batista revela como funcionava o esquema de propinas no BNDES durante os governo petistas de Lula e Dilma Rousseff. Segundo o empresário, o acesso do grupo JBS a aportes bilionários do banco estatal e de fundos de pensão foi comprado à custa de milionárias propinas que tinham Lula e Dilma como destinatários.

O dinheiro sujo era pago, segundo o empresário, para garantir que nenhum pleito do grupo fosse atrapalhado por burocratas do governo. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, era o responsável por receber os pleitos e negociar a propina devida em cada operação.

Foi por ordem de Mantega que o empresário abriu no exterior duas contas para depositar a propina que, diz ele, era destinada a Lula e Dilma. “Os saldos das contas vinculadas a Lula e Dilma eram formados pelos ajustes sucessivos de propina do esquema BNDES e do esquema-gêmeo, que funcionava no âmbito dos fundos Petros e Funcef. Esses saldos somavam, em 2014, cerca de 150 milhões de dólares”, afirmou Joesley na delação.

Depois de Guido Mantega ter favorecido seu grupo empresarial em negócios no BNDES, Joesley abriu uma conta para depositar a propina devida no negócio. Tempos depois, o empresário teve uma conversa com Mantega na qual ele solicitou que outra conta fosse aberta. Joesley ficou confuso, mas a explicação de Mantega foi reveladora. “Em reunião com Guido Mantega ocorrida no final de 2010, este pediu ao depoente que abrisse uma nova conta, que se destinaria a Dilma. O depoente perguntou se a conta já existente não seria suficiente para os depósitos dos valores a serem provisionados, ao que Guido respondeu que esta era de Lula, fato que só então passou a ser do conhecimento do depoente. O depoente indagou se Lula e Dilma sabiam do esquema e Guido confirmou que sim”, anotaram os procuradores na transcrição do depoimento de Joesley.

Leia Também:  Anvisa alerta para falsificação de remédios brasileiros no exterior

“Os pagamentos de propina não se destinavam a garantir a realização de operações ilegais, mas sim evitar que se criassem dificuldades injustificadas para a realização de operações legais”, complementou.

O empresário relatou aos investigadores que foi a partir do período eleitoral de 2014 que o saldo astronômico de propinas reservado aos dois ex-presidente começou a ser usado. “A partir de julho de 2014, Guido Mantega passou a chamar o depoente quase semanalmente ao Ministério da Fazenda, em Brasília, ou na sede do Banco do Brasil em São Paulo, para reuniões a que só estavam presentes os dois, nas quais lhe apresentou múltiplas listas de políticos e partidos que deveriam receber doações de campanha a partir dos saldos das contas”, disse Joesley.

Joesley teve encontros com Lula e com Dilma Rousseff no qual discutiu abertamente o emprego da propina escondida no exterior nas campanhas do partido. Com o ex-presidente, numa conversa no Instituto Lula, em outubro de 2014, Joesley relatou a preocupação com o fato de o grupo já ter doado 300 milhões de reais a campanhas petistas. “Não havia plataforma ideológica que explicasse tamanho montante”, ponderou Joesley. Lula, segundo ele, ignorou: “O ex-presidente olhou nos olhos do depoente, mas nada disse”.

Leia Também:  Convênio de cartórios com MRE agiliza emissão de certidões no exterior

Um mês depois, naquele mesmo ano, Joesley encontrou Dilma Rousseff no Palácio do Planalto para tratar de um repasse de 30 milhões de reais para a campanha do petista Fernando Pimentel ao governo de Minas Gerais. Na conversa, o empresário alertou Dilma de que o saldo das contas de propina no exterior seria liquidado a partir da doação. “Dilma confirmou a necessidade e pediu que procurasse Pimentel”, disse.

Joesley contou que o Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma e depois ministro da petista, se encontrava semanalmente com o executivo Ricardo Saud, diretor de relações institucionais do grupo empresarial, para acertar a distribuição da propina nas campanhas políticas. Os pleitos de Edinho eram levados pelo executivo diretamente a Joesley que, depois de aprová-los com Guido Mantega, liberava o dinheiro. “O ajuste mais amplo consistia em direcionar grande parte do dinheiro para a campanha de Dilma Rousseff, tanto para o PT nacional quanto para os diretórios estaduais do PT. O restante deveria custear a compra dos partidos da coligação, conforme o PT fosse fechando os negócios”, explicou.

 

 

Fonte: Veja

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DESTAQUE

Lançamento oficial do ‘Carnaval 2023’ será na segunda-feira (6)

A criançada poderá se divertir com apresentações Patrulha Canina (Tia Hanna). Haverá ainda a participação de Charanga do Mestre Cachaço, uma iniciativa que reúne artistas cuiabanos que exaltam a música popular brasileira.

Publicados

em

Foto: Davi Valle - Secom-Cuiabá

O secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Aluízio Leite, convida para o lançamento oficial do Carnaval 2023, em Cuiabá. Os detalhes serão divulgados na segunda-feira (6), na sede da Pasta, instalada na rua Barão de Melgaço, 3677, Centro, a partir das 15h.

Neste ano, a Prefeitura de Cuiabá irá promover a ‘Folia de Momo’ em três pontos da capital: a Praça da Mandioca, Praça 8 de Abril e no Calçadão Ricardo Franco. Serão seis dias da tradicional festa carnavalesca, e o primeiro ‘esquenta’ vai acontecer no próximo dia 12.

“Escolhemos esses locais por serem os que mais representam a nossa querida e amada Cuiabá. Com muita segurança e de forma gratuita, os foliões irão desfrutar de dias de muita alegria e tradição”, explicou.

O famoso “esquenta” será no próximo domingo (12), na Praça 8 de Abril. Nesse dia haverá premiação para os bichinhos que apresentarem as fantasias mais criativas. A programação incluirá ainda um desfile dos bichinhos e muitas marchinhas de carnaval com a banda Canoa de Prata.

A criançada poderá se divertir com apresentações Patrulha Canina (Tia Hanna). Haverá ainda a participação de Charanga do Mestre Cachaço, uma iniciativa que reúne artistas cuiabanos que exaltam a música popular brasileira.

Leia Também:  Cruzeiro divulga relacionados para partida conta o Juazeirense-Ba pela Copa do Brasil

“Não podemos deixar de agradecer nossos parceiros e colaborares que estão sempre juntos com a Prefeitura de Cuiabá, ajudando manter a nossa cultura. A gestão Emanuel Pinheiro preza exatamente isso. Promover eventos que valorizem os nossos artistas locais”, finalizou o secretário.

Fonte: SECOM CUIABÁ

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA