Adeus a PHA

Por Jean Borsatti

A morte do jornalista, Paulo Henrique Amorim, pegou a todos de surpresa. É triste saber que o jornalismo brasileiro não terá mais um nome como PHA, o Brasil perde um jornalista comprometido com a verdade e apaixonado por sua profissão.
PHA começou sua carreira no jornalismo em 1961, três anos antes do Golpe Militar de 1964, período em que a imprensa seria intensamente censurada pelo regime, porém, isso nunca abalou o jornalista, sempre defendeu com unhas e dentes não apenas a democracia, mas também a liberdade de expressão e de imprensa, que por anos foram estranguladas.
Em tempos em que o jornalismo está em descredito é triste saber que não teremos mais um profissional como Paulo Henrique Amorim, que sempre foi uma fonte de expiração para milhares de apaixonados pelo jornalismo e pela verdade. Se não bastasse a perda trágica de Ricardo Boechat, agora o jornalismo brasileiro precisa lidar com mais uma tragédia.
Paulo Henrique Amorim, nunca se curvou para ninguém, sempre bateu de frente e lutou pelo que achava justo e necessário, não se curvou ao sistema, tampouco as mazelas do jornalismo tradicional, um verdadeiro herói para aqueles que se comprometem com a verdade.
Que a morte de PHA, faça com que outros mil jornalistas comprometidos com a verdade, a democracia e a liberdade de imprensa e expressão surjam, para que assim o jornalismo não caia ainda mais em descredito.