Prefeitura resgata Festival de Siriri nos 300 anos da Capital

Da Redação

 

A cidade calorosa já está bem próxima do seu marco de 300 Anos. E a Prefeitura de Cuiabá vai comemorar essa data com muitas ações culturais que valorizem as raízes locais. Para isso, a equipe da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo está trabalhando no desenvolvimento do 13º Festival de Siriri. O tradicional evento, que ficou anos esquecido, agora é resgatado é acontecerá durante três dias do mês de abril – 26, 27 e 28 -, no Espaço Liu Arruda, no Museu do Rio.

“Nesta edição, o Festival retoma suas origens, estimulando a participação de grupos raízes de Cuiabá, unindo o momento de resgate desse tradicional Festival ao marco dos 300 Anos da Capital. Vale considerar também que em nenhuma outra época o Siriri foi tão valorizado como agora. Isso ficou evidente no 18° Festival de Büyukçekmece – Turquia/2017, onde o grupo Flor Ribeirinha consagrou-se campeão Mundial de Folclore, levando a beleza das cores, do ritmo, do canto e da dança da nossa cultura para encantar o mundo”, destaca o secretário adjunto de Cultura, Justino Astrevo.

Nessa retomada, o Festival terá a participação de oito grupos provenientes dos diversos quintais da ‘cuiabania’. São eles: Flor Ribeirinha, Flor do Campo, Flor do Atalaia, Flor do Cerrado, Raízes Cuiabanas, Coração Franciscano, Voa Tuiuiú e São Gonçalo Beira Rio.

De acordo com Astrevo os grupos foram selecionados a partir da história de tradição de cada. Os quesitos foram vários, dentre eles, os anos dedicados à cultura do Siriri. A princípio tinha se pensando, segundo o secretário, em fazer etapas por inscrição, mas se avaliou que neste momento de resgaste, era relevante fazer a seleção dos oito grupos já consolidados nessa tradição.

“Avaliamos da melhor forma os critérios de seleção, fizemos a elaboração do projeto, alinhamos com os grupos as diretrizes do Festival, para que tudo seja retomado com a maior qualidade possível, seguindo as deliberações do prefeito e também da primeira-dama, que tem estado à frente de muitas ações de cunho social e cultural”, frisa o gestor.

Gestão do Festival

Para o desenvolvimento do Festival, foi montada uma comissão, que envolve membros do munícipio e dos grupos. A fase agora é de chamamento de instituições para fazer a gestão do evento. O processo está aberto e o edital foi publicado no Diário de Contas, do dia 8 de fevereiro.  As instituições interessadas deverão apresentar os envelopes dos documentos, de acordo com as normas do edital, no dia 13 de março, às 14h30, na sala de reunião dos Conselhos da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Turismo, localizada na rua Barão de Melgaço, 2677.

A fase de seleção da instituição observará as seguintes etapas:  13 de março – Envio das propostas técnicas pelas OSCs, 14 a 15 de março –  Análise das propostas pela Comissão de Seleção; 18 de março –  Divulgação do resultado preliminar, 19 de março – Interposição de recursos contra o resultado preliminar, 22 de março – Análise dos recursos pela Comissão de Seleção, 25 de março – Homologação e publicação do resultado definitivo da fase de seleção, com divulgação das decisões recursais proferidas (se houver).

Escolhida a instituição e celebrado o termo, a empresa vencedora receberá um recurso de R$ 350 mil para executar o projeto. Esse recurso, oriundo da Fonte 100, cobrirá gastos de serviços como: assessoria jurídica, produção, licenças, contratação de empresas de iluminação, tendas, praça de alimentação, contratação de artistas locais para shows, locação de arquibancadas, decoração e ajuda de custo para os grupos de Siriri participantes, entre outros, dispostos no anexo VIII, do edital.

“Pensamos nesse formato de parceria, pois traz mais celeridade ao processo, facilitando na contratação dos serviços. É importante destacar, que todo esse processo será acompanhado de perto pelos gestores do Município e tudo será publicado no Diário de Contas, dando total transparência às ações”, esclarece o adjunto.

Sobre a premiação para os grupos vencedores, Astrevo explica “que está sendo discutido com a comissão e somente após a escolha da instituição é que será finalizado esse assunto”, conclui.